MENU

Na estreia de Muricy, Flu perde de 3 a 2 para o Grêmio

Na estreia de Muricy, Flu perde de 3 a 2 para o Grêmio

Atualizado: Sexta-feira, 30 Abril de 2010 as 8:23

Foi uma vitória à moda gaúcha. O Grêmio fez jus à fama de time copeiro e, mesmo com dez homens durante todo segundo tempo (o zagueiro Rodrigo foi expulso aos 45 minutos da etapa inicial), derrotou o Fluminense por 3 a 2 na noite desta quinta-feira, no Maracanã. Muricy Ramalho, que estreava no comando da equipe carioca, terá uma difícil missão na próxima quarta-feira, em Porto Alegre. O Flu precisa vencer por dois gols de diferença ou por um, desde que a partir de 4 a 3. O time gaúcho pode perder por 1 a 0 ou 2 a 1 que estará classificado. Se a equipe das Laranjeiras devolver os 3 a 2, a definição será nos pênaltis. O vencedor deste cruzamento vai enfrentar Atlético-MG ou Santos. Na primeira partida, vitória do Galo por 3 a 2, no Mineirão.

No domingo, o Grêmio tem um confronto decisivo pelo Gauchão. Às 16h (de Brasília), enfrenta o arquirrival Inter, no Olímpico, no segundo jogo da final. O Tricolor, que venceu a primeira partida por 2 a 0, pode até perder por um gol de diferença que fica com a taça.

Ataque gaúcho funciona melhor

Diagnosticado com uma apendicite aguda, Fred não jogou. Difícil imaginar outra notícia capaz de preocupar tanto o torcedor do Fluminense. O principal jogador do time, que já não tinha o meia Conca, suspenso, ficou fora, e André Lima teve a missão de substituí-lo. Sem os jogadores que chama de diferenciados, o técnico Muricy Ramalho pisou pela primeira vez na área técnica do Maracanã como treinador do Tricolor carioca. Ar preocupado, de expectativa.

Apesar de não ter o zagueiro Mário Fernandes, machucado, Silas tinha Douglas de volta. E é ele quem dá o toque de qualidade ao setor de criação dos gaúchos. Com a ajuda de Leandro, a equipe se torna mais veloz. Quando os dois se acertam com Jonas e Borges na frente, aí são quase fatais.

André Lima e Douglas iniciaram os trabalhos na busca pelos gols. Tiveram ajudantes precisos. Aos 12 minutos, Mariano recebeu na direita e disparou. Olhou uma vez para a área e cruzou. Por um instante, deve ter procurado Fred. Não o encontrou, mas tinha André Lima. Bem colocado, o atacante subiu sozinho entre os zagueiros e cabeceou no canto direito do goleiro Victor.

O Fluminense saiu na frente num momento de equilíbrio do jogo. Levou vantagem por tomar a iniciativa mais cedo, só que falhou por não tomar conta do trio ofensivo gremista. Aos 19, após uma sequência de toques rápidos, Jonas recebeu na área, pelo lado esquerdo, se livrou de dois marcadores e passou para Douglas na marca do pênalti. O chute de primeira parou no zagueiro Gum, mas o camisa 10 conseguiu aproveitar o rebote e escorou de cabeça: 1 a 1. Foi o primeiro gol dele desde que chegou ao clube.

Assista aos gols da partida:

Como não tem um atacante fixo na frente da área adversária, o Grêmio avançou em bloco, com quatro homens. Numa das investidas, Borges recebeu de costas para a zaga, girou para se livrar da marcação e tocou entre dois defensores. Deixou Jonas na cara do gol. Toque rasteiro, no cantinho de Rafael: 2 a 1, de virada, aos 31.

Os gestos de Muricy Ramalho e os gritos da torcida não deixavam o Flu aceitar o resultado. Aos 35, André Lima brigou na área, e a bola sobrou para Wellington Silva. Chute forte e rasteiro, que Victor conseguiu defender. Jonas contra-atacou. Numa sobra de bola na área carioca, mandou uma bomba de primeira, e Rafael pegou. Melhor em campo, o Fluminense tentou pressionar. Wellington Silva foi quem mais buscou jogo. Aos 45, recebeu falta dura de Rodrigo. Como já tinha amarelo, o zagueirão do Grêmio foi expulso.

Com um a menos, Grêmio suporta pressão

A expulsão de Rodrigo fez os dois técnicos mexerem em suas equipes. Muricy tirou o zagueiro Digão e lançou o meia Equi Gonzalez. Tinha de atacar. Silas também mudou. Precisava defender. O técnico sacou o volante Willian Magrão e tentou reconstruir a zaga com Rafael Marques. No meio, Hugo substituiu Leandro.

Virou ataque contra defesa, e Jonas jogava até como volante no Grêmio. O Flu tinha muito domínio territorial, mas não conseguia concluir. Tanto que a primeira boa chance da etapa final foi dos gaúchos. Aos dez, Borges se enroscou com dois zagueiros na área e rolou para Hugo. De direita, o meia mandou na trave de Rafael.  

Se acertasse metade dos passes trocados, a equipe de Muricy certamente se sairia melhor. Só conseguiu chegar bem aos 15 minutos. Pequenino, Wellington Silva entrou na área sem ser notado, recebeu cruzamento e cabeceou para o chão. Victor defendeu.

Silas reforçou o meio-campo. Já que um homem de ataque estava na proteção da zaga, ele tirou Jonas, que sentiu um incômodo na coxa direita, e colocou Fábio Rochemback. Muricy também mexeu. Wellington Silva, machucado, deu lugar a Willians. Muito vaiado, o lateral-esquerdo Julio Cesar saiu para a entrada do atacante Adeílson.

O Grêmio soube fazer o tempo passar. Rochemback, Hugo, Douglas e Borges prenderam bola, trocaram passes. Aos poucos, foram tomando terreno. Aos 27, Douglas partiu da intermediária, passou por Diguinho, superou Everton na corrida e bateu cruzado: 3 a 1.

O Fluminense foi à luta. Todo ataque, buscou pelo menos diminiur a vantagem gremista para o segundo jogo. Cinco minutos depois de sofrer o terceiro, Everton cruzou da direita, o goleiro Victor saiu mal do gol - depois de o árbitro não marcar um empurrão de Leandro Euzébio em Ozeia - e Equi Gonzalez aproveitou para diminiur e inflamar o Maracanã.

Aos 39, Adeílson disparou um torpedo de fora da área, mas Victor fez grande defesa para impedir o empate. Valente, o Flu chegou mais algumas vezes. Mas ora com os zagueiros, ora com Victor, o Grêmio se segurou como era possível. Vitória na raça e festa da torcida gaúcha, que deixou o Maracanã feliz da vida, apesar da forte chuva.

veja também