MENU

Na selva rubro-negra, Deivid ganha sobrevida: 'Momento é de afirmação'

Na selva rubro-negra, Deivid ganha sobrevida: 'Momento é de afirmação'

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2011 as 10:09

Jogar no ataque do Flamengo hoje em dia é como passar por um teste de sobrevivência na selva. Provações, condições difíceis, insegurança. Uma frase de Deivid após ter feito dois gols na vitória por 4 a 1 sobre o Atlético-MG, sábado passado, resume bem a tarefa.

- No Flamengo, você tem que matar um leão por dia.

Desde o início da temporada tem sido assim: quem entra não sabe por quanto tempo vai ficar. Quem sai não sabe se volta. O camisa 9, que começou 2011 como titular, iniciou 16 das 22 partidas que fez na temporada. Em seis rodadas do Brasileirão, foram apenas 75 minutos em campo. Deivid não jogou contra Avaí, Bahia, Corinthians e Botafogo. Disputou os 45 minutos finais contra o Atlético-PR e a última meia hora contra o Galo. Tempo suficiente para fazer três gols (veja vídeo acima) . Além dos dois que marcou nos mineiros, fez o do empate por 1 a 1 com o Furacão.

Gols que dão sobrevida ao jogador. Agora, ele é o vice-artilheiro do time na temporada, com nove (Thiago Neves tem 11). Pela primeira vez no ano ultrapassou Wanderley, que foi titular em cinco rodadas do nacional (exceto contra o Botafogo, quando Diego Maurício ganhou uma chance). O camisa 33, aliás, ainda não fez gols na competição e tem sete no ano.

- Vivo um momento de felicidade, afirmação. Joguei 45 minutos contra o Atlético-PR e fiz gol, entrei contra o Atlético-MG e também fiz gol. Esse momento é de afirmação e espero poder dar sequência e ganhar os jogos - afirmou Deivid.

Deivid comemora um dos gols que fez sobre o Atlético-MG, sábado (Foto: Alexandre Loureiro / VIPCOMM)

  O jogador reaparece em um momento importante. Com 10 pontos, o Flamengo está em sétimo na tabela de classificação e ensaia uma reação depois de quatro empates seguidos. Além disso, a diretoria do clube busca um reforço para o ataque (André, ex-Santos, e Kleber, do Palmeiras, ainda estão nos planos). Enquanto ninguém chega, o técnico Vanderlei Luxemburgo se vira com os nomes que tem.

- O Vanderlei está procurando encontrar o atacante que ele deseja, que ele quer. A gente sempre procura entrar e se firmar. Respeito a opinião do treinador, até porque conheço muito bem o Vanderlei. Claro que todos querem jogar, ainda mais eu, que joguei de titular em todos os times aqui no Brasil (Santos, Corinthians e Cruzeiro). Isso incomoda um pouco, mas temos que respeitar o momento de cada jogador. Trabalho sério, com honestidade, sempre respeitando e sabendo que o dia que tiver a oportunidade estarei pronto.

A situação do ataque vai ficar um pouco mais difícil em breve. Depois do jogo contra o América-MG, nesta quarta-feira, em Sete Lagoas, Diego Maurício e Negueba vão se apresentar na Seleção Brasileira, em 4 de julho, que vai disputar o Mundial Sub-20, na Colômbia. Como não haverá rodada no próximo fim de semana, os garotos vão desfalcar o time pelo menos até o dia 24, data da viagem da delegação. Se não forem cortados (dos 26 chamados, cinco ficarão fora) e o Brasil for à final (em 20 de agosto), vão perder 11 partidas do nacional. Deivid e Wanderley serão as duas únicas opções.

- Vamos perder esses jogadores, mas acho que nosso elenco é forte. Talvez o Vanderlei não tenha tantos jogadores na frente, mas vai ter de achar uma solução. Temos o Wanderley, o Deivid, até o (Ronaldinho) Gaúcho e o Thiago Neves podem jogar na frente – afirmou o meia Renato.          

veja também