MENU

Não importa a versão: com o time reserva, Internacional bate o Novo Hamburgo: 3 a 1

Não importa a versão: com o time reserva, Internacional bate o Novo Hamburgo: 3 a 1

Atualizado: Quinta-feira, 4 Fevereiro de 2010 as 12

Não importa a versão: A, B, reservas... o Internacional está seguro neste início de temporada. Grupo forte, um planejamento seguido à risca e a rotina de vitórias. Na noite desta quarta-feira, no estádio do Vale, a equipe fez 3 a 1 diante do Novo Hamburgo, chegou a 16 pontos no Grupo 2 e deixou encaminhada a vaga para a próxima fase do Campeonato Gaucho . Jogando fora de casa, em Novo Hamburgo, a equipe da capital chegou ao triunfo com os gols de Leandro Damião, Sorondo e Thiago Humberto. Paulinho descontou para o Nóia, que soma sete pontos e está na vice-liderança do Grupo 1.

Foi uma oportunidade para o técnico colorado, Jorge Fossati, fazer testes e poupar os titulares. E ele deve ter gostado. O goleiro Muriel foi decisivo no momento em que a equipe mais precisou e ganhou pontos com o comandante. Wilson Mathias, Glaydson e Bruno Silva também se destacaram.

No próximo domingo, o Inter recebe o Avenida, às 19h30m (de Brasília), no Beira-Rio, pela sétima rodada do Estadual, e Fossati vai mandar a campo o time principal. No mesmo dia, às 19h (de Brasília), o Novo Hamburgo visita o São José de Porto Alegre.

Doces sonhos de Fossati

A noite de sono do técnico do Inter, Jorge Fossati, será das melhores. Nada como um plantel forte, recheado de boas opções para trabalhar. Contra o Novo Hamburgo, esteve em campo a terceira versão do time colorado nesta temporada. Nem A, nem B. Os reservas do grupo principal foram escalados com o reforço de um titular: o lateral-direito Nei, improvisado na esquerda.

Foi noite para ver o volante Wilson Mathias em campo. O tal "reforço espetacular" buscado no Morelia, do México, pelo vice de futebol colorado, Fernando Carvalho, estreou com a camisa vermelha. Ainda não deu para justificar o apelido, mas é jogador de valor. Alto (1,86m), magro, passadas largas e cabeça sempre erguida, praticamente não errou passes. Com o suporte de Glaydson no meio-campo, por vezes começou jogadas e curtiu se aventurar no ataque.

Não foi um primeiro tempo de muitas chances, mas de aproveitamento perfeito do Inter. Nas duas oportunidades claras que teve, balançou as redes. Aos 15, Leandro Damião, remanescente do Colorado B, recebeu passe na entrada da área de Andrezinho e nem precisou dominar. No chute de primeira, reto, abriu o placar. Quarto gol dele no Gauchão.

Andrezinho foi Andrezinho. É assim que Fossati quer. Número dez nas costas, braçadeira de capitão e a categoria de sempre. Aos 40 minutos, fez jogada de craque. Deixou dois marcadores na saudade, um deles no chão, e por pouco não concluiu um bom ataque. Foi dele a cobrança de falta para o segundo gol, seis minutos mais tarde. Em bola alçada na área, Edu se antecipou para o toque de cabeça, e Sorondo, da mesma forma, deixou o dele: 2 a 0.

Na comemoração, festa com o preparador físico Alejandro Valenzuela, que, bom profissional que é, aproveitou para molhar a cabeça do jogador. O calor em todo o Rio Grande Sul tem sido intenso. Em Porto Alegre, o temperatura beirou os 40ºC nesta quarta. Sem falar na sensação térmica. Só mesmo Jorge Fossati, que trabalhou no Qatar, para não se entregar ao calor. Manteve o terno preto impecável à beira do campo.

Nóia aperta, mas o Inter se segura

O Nóia, que já havia corrido muito no primeiro tempo, voltou ainda mais ligeiro no segundo, e a partida que parecia decidida ganhou emoção. Logo cedo, aos nove, Gustavo Papa avançou pela esquerda e cruzou para área. Se Muriel não estivesse ligado, levaria o gol. A bola tomou efeito e tinha endereço certo. O camisa 1 a afastou com um soco.

O Inter pareceu sentir a falta de ritmo. Caiu de produção e quase não criou. As 12, o Novo Hamburgo conseguiu diminuir. Paulinho foi lançado em velocidade na área, Wilson Mathias chegou para desarmá-lo, e ao mesmo tempo o goleiro Muriel saiu de carrinho. O árbitro Francisco Neto marcou pênalti. Na cobrança, três longos minutos depois, Paulinho bateu com categoria e recolocou os donos da casa no jogo.

Leandro Damião saiu no Inter para a estreia do meia Thiago Humberto, ex-Barueri. O Colorado ficava sem uma referência na área e passou um tremendo sufoco. Não fosse a noite segura de Muriel, o empate, e talvez a virada, seria inevitável. Preto e Gustavo Papa tiveram chances claríssimas, aos 27 e aos 30, mas não conseguiram vencer o camisa 1. Maiquel também ficou na cara do gol, tentou driblar o goleiro, desabou no chão e acabou expulso. A arbitragem entendeu que ele se jogou, simulando a penalidade. Como já tinha amarelo, saiu mais cedo em direção ao vestiário.

Walter entrou para dar mais peso na frente. Funcionou. Thiago Humberto, em duas oportunidades, parou no bom goleiro Nicolas. Andrezinho, que andava sumido na etapa final, apareceu para fazer o terceiro, aos 39. Mas não valeu. Lançado por Danilo Silva pelo lado direito da área, tocou na saída de Nicolas e saiu para a festa. A arbitragem assinalou impedimento corretamente. 

Só que o gol teria de ser mesmo de Thiago Humberto. Aos 41, Bruno Silva brigou pela bola, foi à linha de fundo pelo lado direito e cruzou para a área. No carrinho, com o pé esquerdo, Thiago deixou o dele, fechou a vitória e ganhou a estreia feliz que tanto queria.

veja também