MENU

Náutico: Waldemar Lemos e seu sósia se encontram nos Aflitos

Náutico: Waldemar Lemos e seu sósia se encontram nos Aflitos

Atualizado: Sexta-feira, 25 Novembro de 2011 as 10:46

Waldemar Lemos sobre o sósia: 'Parece mesmo'

(Foto: Aldo Carneiro) Waldemar Lemos é técnico do Náutico e conseguiu fazer com que o time subisse para a Série A do Campeonato Brasileiro. Osvaldo Leitão tem 56 anos, é autônomo, torcedor do Náutico e nas horas vagas se transforma em... Waldemar Lemos. Os dois personagens desta matéria se encontraram na última quinta-feira, nos Aflitos.

- O marido da minha prima foi o primeiro a notar a semelhança. De repente, o pessoal da vizinhança começou a brincar comigo. Mas até então, achava que era chacota, pois a gente nunca acha que se parece com alguém. Quando fui assistir a Náutico e Sport, as pessoas começaram a pedir para tirar foto comigo. Homem, mulher, idosos, crianças, nunca tirei tanta fotografia na minha vida - disse Osvaldo, que não aparecia no campo do Timbu desde a Batalha dos Aflitos, em 26 de novembro de 2005.

O teste de popularidade foi novamente posto em prática nas bilheterias da rua da Angustura na última quarta-feira. Conhecido como Waldemar do Janga, bairro onde mora, na cidade de Paulista, Osvaldo esteve nos Aflitos para comprar o ingresso para a partida contra a Ponte Preta. Quando os torcedores presentes na fila reconheceram a semelhança começou a algazarra.

- Uh, é Waldemar! Uh, é Waldemar!

Feliz com o reconhecimento, Osvaldo aproveitou seus 15 minutos de fama.

- Estou gostando demais, quem é que não curte aparecer na mídia? Nesses dias, fui botar a gasolina e o frentista brincou comigo: "Olha, é o Waldemar do Janga". É assim na rua, no shopping... - revelou Osvaldo.

Com a torcida, sua popularidade foi aprovada, mas e em campo? Waldemar Cover seguiu rumo ao habitat do original e foi ver o treino do Náutico. Enquanto faziam um recreativo, divididos em quatro times, os atletas foram surpreendidos com uma figura parecida com a chefia.

- Eita, olha o Waldemar - gritou o goleiro Glédson

- Deixa de ser preguiçoso, Waldemar, vamos trabalhar - emendou o volante Derley.

Começou uma gritaria, Waldemar do Janga, discreto, dava o ok, acenava para os jogadores, que começaram aplaudir. Uma festa em campo. Waldemar Lemos, na dele, comandando o treinamento, não deu muita bola. Se a popularidade com o elenco também está em alta, faltou com o ídolo Lemos.

Osvaldo ganhou uniforme do clube e ficou na espera do treinador, que no profissionalismo habitual, continuou o treino, sem dar atenção ao sósia. Depois dos trabalhos, o encontro finalmente aconteceu. Waldemar apertou a mão de Waldemar.

- É, ele parece mesmo. Somos todos filhos de Deus, todos nós nos parecemos - filosofou o Waldemar original, ao som das gargalhadas do volante Derley e o atacante Kieza.

Waldemar do Janga, tranquilão assim como o treinador, pouco falou. Ganhou um autógrafo do técnico e saiu satisfeito.

- Foi muito esse meu dia de Waldemar - brincou Osvaldo.

veja também