MENU

Neymar sem Ganso: aproveitamento do Santos cai, mas do 11 nem tanto

Neymar sem Ganso: aproveitamento do Santos cai, mas do 11 nem tanto

Atualizado: Sexta-feira, 13 Maio de 2011 as 4:57

Sem o “parça” Paulo Henrique Ganso a seu lado, Neymar terá a missão de liderar o Santos na final do Campeonato Paulista, contra o Corinthians, neste domingo, na Vila Belmiro, e na fase de mata-mata da Taça Libertadores: quarta que vem, o time alvinegro faz o jogo de volta das quartas de final da competição continental contra o Once Caldas-COL, no Pacaembu. Conseguirá o camisa 11 ser decisivo sem o apoio do 10?

Neymar e Ganso abraçados no jogo do Santos: dupla é amiga dentro e fora de campo (Foto: Ag. Estado)

  Os números mostram que o aproveitamento do Santos cai quando Neymar joga sem Ganso. Mas o desempenho individual do atacante não sofre muitos abalos. No primeiro semestre do ano passado, com a dupla tinindo, o Peixe atropelou seus adversários e conquistou o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil. Em agosto, porém, durante o Brasileirão, Ganso sofreu grave lesão no joelho esquerdo, teve de ser operado e só voltou a jogar em março deste ano. Assim, o Peixe deixou de lutar pelo título do Brasileirão dez rodadas antes do fim.

Ganso é mais velho. Tem 21 anos e foi promovido ao time principal em 2008. Neymar, 19, subiu no início de 2009. Desde então, disputaram 88 jogos juntos e conquistaram 60% dos pontos que disputaram: 47 vitórias, 18 empates e 23 derrotas. O atacante fez 45 gols, média de 0,5 gol por jogo. O meia marcou 20.

Sem Ganso, Neymar jogou 40 partidas e venceu só 15. Aproveitamento de 48,3%. Mas a média de gols marcados pelo atacante sem Ganso a seu lado não caiu tanto: ele fez 17, média de 0,42. Ou seja, a ausência de Ganso pesa mais para o time em si do que para Neymar individualmente.        

veja também