MENU

Neymar tem alta do hospital

Neymar tem alta do hospital

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

O atacante Neymar teve alta do Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, às 18h desta segunda-feira. O jogador do Santos foi internado no início da noite de domingo, após a vitória de 3 a 2 sobre o Santo André pela primeira final do Campeonato Paulista, com um sangramento na íris do olho direito.

Neymar se machucou ainda no primeiro tempo. Derrubado pelo zagueiro Toninho, ele caiu e bateu com a própria mão no olho. O atleta ainda continuou mais alguns minutos em campo, mas foi substituído no intervalo. Ele assistiu à segunda etapa do lado de fora, em pé no alambrado. Quando o jogo terminou, se dirigiu ao hospital na companhia do pai e de um segurança.

Por precaução, os médicos preferiram deixá-lo em observação durante a noite. Ele passou por exames nesta segunda-feira e recebeu alta no fim da tarde, quase 24 horas após ser internado. Ao sair do hospital, o jogador recebeu a orientação de fazer repouso e de usar um medicamento ocular. Não está descartada a possibilidade de um novo sangramento.

Neymar retornará ao Einstein na quarta-feira para ser reavaliado. Só então os médicos terão condição de liberar - ou não - a sua participação para as atividades físicas da semana. Do duelo com o Atlético Mineiro, quarta (21h50m, pelo horário de Brasília) em Belo Horizonte pela Copa do Brasil, o atacante já está vetado. Fica a expectativa para a sua presença na decisão paulista, domingo às 16h, no Pacaembu. O Peixe pode até perder por um gol de diferença para o Santo André que será campeão.

Campeão do mundo em 1970, o ex-jogador Tostão, hoje comentarista de futebol, teve sua carreira encerrada precocemente, em 1973, por causa de problemas gerados por um deslocamento de retina. No entanto, o médico Cláudio Luiz Lottemberg, que atendeu Neymar, afasta qualquer possibilidade de a joia santista perder a visão:

 Lesão de Neymar não é tão grave como a que teve Tostão

- Na realidade, comparativamente com o que teve o Tostão, a gravidade é bem menor. O que ele precisa é de acompanhamento, porque existem casos de pacientes que têm trauma e depois têm casos de glaucoma. Mas isso não vai deixá-lo com problemas de visão, ele não vai ficar cego - completa Lottemberg.

Por Globoesporte.com

veja também