MENU

Única mulher no Desafio das Estrelas, Bia Figueiredo impressiona em Florianópolis

Única mulher no Desafio das Estrelas, Bia Figueiredo impressiona em Florianópolis

Atualizado: Segunda-feira, 30 Novembro de 2009 as 12

Única mulher entre os participantes do Desafio das Estrelas, Bia Figueiredo impressionou no fim de semana em Florianópolis. Competindo pela primeira vez contra Michael Schumacher, heptacampeão da Fórmula 1, a piloto conseguiu bons resultados, como largar na frente de Felipe Massa na corrida de sábado e se recuperar muito bem no domingo, quando largou na 19ª posição e chegou em décimo lugar, à frente de feras como Vitantonio Liuzzi, campeão mundial de kart em 2001, e Antonio Pizzonia.

''Foi bem bacana. Fiquei extremamente impressionada com o evento, de fora não dá para ter uma noção de como é. Dentro da pista é uma disputa intensa, não tem piloto bobo aqui. Fora da pista é bem legal, todo mundo é muito amigo. É uma oportunidade de aprender com os pilotos que estão correndo fora, saber o que está acontecendo lá. Inclusive o Schumacher, que a gente nunca encontra. Foi legal a minha participação. Pena que na primeira bateria eu tive um problema com a palheta. Na segunda, quase cheguei perto do alemão. Na largada fiquei atrás dele, só que me envolvi nas confusões e acabei ficando um pouquinho. Foi muito legal, vou treinar mais no ano que vem para chegar um pouco mais bem preparada'', diz Bia.

A brasileira, que já venceu duas corridas na Indy Lights (foi a pioneira na categoria), deverá dar o salto para a Fórmula Indy no ano que vem. E a grande curiosidade de todos é sobre uma disputa com Danica Patrick, a mulher que mais destaque conseguiu no automobilismo americano. Mas Bia não está preocupada com uma possível rivalidade ou concorrência. Ela encara a todos da mesma forma.

''Vou para a Indy no ano que vem, de um jeito ou de outro. As coisas estão acontecendo, e eu fico aqui, como piloto, um pouco ansiosa. Mas espero dar uma notícia em breve. A pressão de disputar com a Danica não me preocupa. Não tenho nenhum problema. Tenho uma carreira até mais longa que a dela. Vou buscar o meu espaço. Não estou indo para a Indy para disputar com a Danica e sim com todo mundo''.

Com os pés no chão, Bia pensa sistematicamente em sua carreira. A piloto já teve problemas de verba em outras categorias, mas encontrou em André Ribeiro, ex-piloto da Indy, um mentor e empresário. Seu sonho agora é estrear na nova categoria, para depois começar a almejar vitórias e glórias ainda maiores.

''Quem cuida disso para mim é o André Ribeiro. Ele toma a frente de todas as negociações com as equipes e os patrocinadores. Eu só dou um suporte. Estou sempre em contato com os brasileiros. No dia a dia lá a gente sempre conversa muito. O André também conhece muito o meio. Meu sonho, atualmente, é chegar na Indy. Depois, o próximo passo é a primeira vitória, depois um campeonato e as 500 Milhas. Estou amando correr nos EUA''.

Por: Rafael Lopes

veja também