MENU

No 4º tropeço seguido, Atlético-MG perde para o Ceará, que segue invicto

No 4º tropeço seguido, Atlético-MG perde para o Ceará, que segue invicto

Atualizado: Domingo, 6 Junho de 2010 as 6:06

No último jogo disputado no Mineirão, que passará por reforma visando a Copa do Mundo de 2014, o Atlético-MG decepcionou mais uma vez o seu torcedor, ao perder por 1 a 0 para o Ceará na tarde deste domingo. Foi a quarta derrota consecutiva do time de Vanderlei Luxemburgo que fica na zona de rebaixamento durante a parada para o Mundial da África do Sul, com seis pontos. Já o Ceará segue invicto no Brasileirão, obteve sua quinta vitória e chegou aos 17 pontos.

PRINCIPAIS LANCES PRIMEIRO TEMPO 8 min - Contra-ataque do Ceará, Misael arranca pela esquerda, cruza para dentro da área, Washington aparece livre, mas cabeceia para fora 19 min - Tardelli fa boa jogada no meio-campo, tenta lançar Muriqui na área adversária, mas Diego sai do gol e faz a defesa 22 min - Oziel, na direita, arrisca chute forte, Aranha dá rebote, a sobra fica para o lateral-direito que tenta chutar novamente, mas Leandro afasta para escanteio 34 min - Diego Macedo toca para Coelho, que chuta colocado. O goleiro Diego se estica e espalma para escanteio que é desperdiçado pelo Atlético SEGUNDO TEMPO 4 min - Oziel cobra falta para dentro da área, Careca sobe mais que a defesa do Atlético, desvia de cabeça, Aranha faz a defesa, a bola sobra para o jogador do Ceará, que chuta para fora 10 min - GOOOLLL DO CEARÁ!!! Misael faz boa jogada pela esquerda, cruza, a bola passa pela zaga e Washington coloca na rede atleticana 12 min - Coelho cobra falta no ângulo, o goleiro Diego salta e faz a defesa, colocando para escanteio 13 min - Diego Macedo recupera a bola na direita, cruza para dentro da área, Tardelli desvia pressionado e a bola vai para fora 34 min Em outro contra-ataque do Ceará, Ernandes avança com a bola e tenta colocar, mas erra o alvo, por pouco 41 min - Erick Flores arrisca chute da entrada da área, a bola explode no travessão de Aranha NOTÍCIAS DO ATLÉTICO-MG NOTÍCIAS DO CEARÁ O gol de empate do Corinthians, aos 47 min do segundo tempo, contra o Botafogo, impediu o time cearense de comemorar a liderança. A equipe de Paulo César Gusmão fica na vice-liderança, com os mesmos 17 pontos que o clube paulista, mas com um gol de saldo a menos: sete a seis. Na volta do Brasileirão, em 14 de julho, no Castelão, Ceará e Corinthians jogarão pela liderança.

Surpresa da ‘primeira fase’ do Campeonato Brasileiro, o Ceará completou cinco jogos sem sofrer gols, confirmando o fato de ter a melhor defesa entre os 20 participantes, com apenas um gol sofrido. Além disso, o time cearense conseguiu o seu primeiro triunfo como visitante, já que vinha de dois empates nas suas duas partidas fora de casa. 

A derrota atleticana esvaziou a festa programada para depois do jogo, quando todas as luzes do Mineirão foram apagadas e um intenso foguetório coloriu os céus da região da Pampulha. Mas os torcedores do time alvinegro mineiro deixaram o estádio, em meio ao espetáculo pirotécnico, abalado com a derrota.

Foi a primeira derrota do Atlético-MG para o Ceará, em Belo Horizonte, na história desse confronto e foi a segunda vez seguida que o time atleticano perdeu no Mineirão, depois de um bom início como mandante, com vitória sobre Vasco (2 a 1) e Atlético-PR (3 a 1). No domingo passado, o time atleticano levou de 3 a 1 do Fluminense, no estádio da Pampulha.

Um clima de nostalgia tomou conta dos torcedores que compareceram ao Mineirão para acompanhar o último jogo da fase antiga do chamado “Gigante da Pampulha”. A homenagem ao ex-atacante Marques, antes de a bola rolar, quando ele recebeu placa e pôs seus pés na caçada da fama do Mineirão, contribuiu com o ambiente festivo.

Com a bola rolando, no entanto, o torcedor atleticano pôde perceber logo que o seu time teria dificuldades. Com muitos desfalques, sem contar os jogadores que vinham atuando, mas que deixaram o clube em função de uma reformulação do elenco feita pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, o time atleticano não conseguiu, na maioria da partida, se impor ao Ceará.

Sem Zé Luís, contundido, Cáceres na seleção do Paraguai, e Fabiano e o jovem João Pedro, ambos suspensos, Luxemburgo manteve o sistema 3-5-2, promoveu a volta de Coelho à lateral direita e deslocou Diego Macedo para o meio-campo ao lado de Jataí e de Ricardinho. No gol, depois de quatro jogos e 10 gols sofridos, Marcelo foi substituído por Aranha, que havia perdido a posição e mais uma vez voltou a ser titular.

“Foi opção minha, normal no futebol, da mesma forma que eu optei pelo Marcelo da vez passada, agora escolhi o Aranha numa análise do que aconteceu nos jogos passados”, explicou Luxemburgo, sem esconder a necessidade de uma vitória atleticana para melhorar sua posição e para dar tranquilidade na intertemporada, durante a Copa do Mundo.

O jogo

O primeiro tempo foi marcado pelo equilíbrio e forte marcação. Foram 45 minutos de poucos lances de gols criados pelos dois times. O Atlético-MG tentava tomar a iniciativa ofensiva, mas cometia muitos erros de passes e tinha dificuldade para furar o forte bloqueio da melhor defesa do Campeonato. O Ceará iniciou a partida com um único gol sofrido após seus seis primeiros compromissos.

Como Atlético-MG quase não chegava ao gol defendido por Diego, o time visitante se arriscou em alguns contra-ataques, levando perigo a Aranha, que, aos 22 min fez difícil defesa. O goleiro da equipe cearense só foi exigido duas vezes em maior grau de dificuldade. Aos 34 min, quando Coelho chutou de esquerda e o camisa 1 dos visitantes colocou a escanteio, e aos 44, quando Werley desviou cruzamento, de cabeça, mas ele pegou firme.

O primeiro tempo, que teve fraco nível técnico, terminou sem gols. Na saída para o vestiário, os jogadores atleticanos utilizaram a palavra “paciência” para definir a situação do jogo. “Temos que ter muita paciência para superar a marcação deles”, comentou o lateral-direito Coelho. “É preciso paciência, porque o time adversário está fechadinho, com três zagueiros e dois volantes, o que dificulta o nosso jogo”, observou Muriqui.

Os jogadores do time visitante não esconderam que o objetivo inicial do Ceará é não sofrer gols. “Nossa proposta é defender bastante e sair no contra-ataque. A nossa equipe está bem postada. No segundo tempo, o Atlético vai sair para cima, deverá deixar espaços e vamos ter aproveitar isso”, analisou o zagueiro Anderson, antecipando o que acabou acontecendo.

O Atlético-MG retornou para o segundo tempo no 4-4-2. Luxemburgo tirou o terceiro zagueiro Lima e colocou o jovem meia Wendel, jogador formado pelas categorias de base do clube, numa tentativa de aumentar a força ofensiva da equipe. Já o Ceará voltou com a mesma formação e começou melhor em campo, levando perigo para Aranha.

Foram duas chances criadas, até que Washington colocou a bola nas redes, aos 10 min, aproveitando cruzamento feito por Misael, do lado esquerdo. O 16º gol sofrido, que o deixa novamente como a defesa mais vazada do Brasileirão, levou o Atlético-MG à frente, na tentativa de chegar pelo menos ao empate.

Em cobrança de falta, aos 12 min, Coelho obrigou Diego a difícil defesa e pouco depois, Diego Tardelli, livre, desperdiçou ótima chance, tocando a bola para fora. Por volta dos 20 min, a torcida atleticana, que vinha incentivando a equipe, começou a protestar, pedindo “raça ao time todo”. Em campo, o time da casa não se encontrava, enquanto o Ceará no contra-ataque seguia levando perigo e teve chances de ampliar sua vantagem.Não aconteceu o segundo gol, mas o time cearense confirmou sua vitória. Enquanto os visitantes comemoravam o resultado, abrançando-se em campo, a torcida atleticana vaiava e gritava, em coro, nomes de jogadores dispensados, como os volantes Jonílson e Correa.

ATLÉTICO-MG 0 x 1 CEARÁ

ATLÉTICO-MG

Aranha; Werley, Lima (Wendel) e Jairo Campos; Coelho, Jataí, Diego Macedo, Ricardinho (Neto Berola) e Leandro (Ricardo Bueno); Diego Tardelli e Muriqui

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CEARÁ

Diego; Oziel, Anderson, Fabrício e Ernandes; Michel, Careca, João Marcos e Geraldo (Erick Flores); Washington (Lopes) e Misael (Toni)

Técnico: Paulo César Gusmão

Data: 6/6/2010 – domingo

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Árbitro: Célio Amorim (SC)

Auxiliares: Marco Antonio Martins (SC) e Luís Alberto Kallenberger (SC)

Cartões amarelos: Jataí (A), Anderson (C), Michel (C), Oziel (C), Ricardo Bueno (A), Diego C)

Cartão vermelho: Jataí (A)

Gols: Washington, aos 10 min do segundo tempo

  fonte: uol.com.br

veja também