MENU

No ano do retorno, Limeira bate o Pinheiros e conquista título paulista

No ano do retorno, Limeira bate o Pinheiros e conquista título paulista

Atualizado: Quinta-feira, 13 Janeiro de 2011 as 9:22

O time que foi montado para marcar a temporada de volta do Limeira às competições iniciou o Paulista desacreditado. Tinha no comando um ex-jogador que aceitou o desafio de assumir aquele grupo logo em seu primeiro ano como técnico principal. E o que parecia impossível aconteceu. Os jogadores passaram a acreditar que podiam chegar longe, foram derrubando favoritos e chegaram à final. Abriram 2 a 0 na melhor de cinco contra o Pinheiros, sofreram um revés dentro de casa, mas não esmoreceram. Nesta quarta-feira, no último ataque, a recompensa veio. Asseguraram o bicampeonato estadual: 77 a 75.

O primeiro título de Limeira foi em 2008, mas os problemas financeiros não permitiram que a  equipe continuasse no ano seguinte. A volta que tinha tudo para ser discreta acabou sendo perfeita.  

- O que temos que enaltecer é a garra e a luta desse grupo que começou desacreditado, que mudou a postura durante os treinos e acreditaram nesse título. E ele tem um sabor especial.Tenho que agradecer a muitas pessoas e também por terem acreditado no meu trabalho. Olha que bonito. O Limeira parou campeão e voltou campeão - comemorava o técnico Demétrius.

O jogo

A equipe da casa parecia ainda abatida pela derrota no dia anterior. Em cinco minutos de bola em jogo o máximo que tinha conseguido fazer foram dois pontos. O adversário tinha 10 e teria feito um estrago maior se Demétrius não tivesse pedido tempo. Não economizou na bronca. Coms os brios mexidos, os jogadores do Limeira respondiam com cestas e uma defesa aguerrida. Sob a batuta do armador dominicano Ramon, o Limeira se acertou também no ataque e terminou o primeiro tempo na frente: 37 a 32.

O time da capital oscilava demais e não conseguia repetir a atuação do jogo 3, do qual Figueroa  foi dono. O técnico João Marcelo Leite pedia por mais defesa, por um trabalho ofensivo melhor. Mas o Pinheiros desperdiçava as oportunidades criadas até que Olivinha chamou a responsabilidade. A vantagem que rodou na casa dos seis pontos caiu para dois: 54 a 52.

O empate veio no início do último quarto. As equipes seguiram equilibrando as ações (61 a 61).  Fora de quadra o jogo era nervoso e rendeu ao treinador do Pinheiros uma falta técnica por reclamação. Os anfitriões aproveitaram para fugir quatro pontos. A alegria durou pouco, até um novo empate (65 a 65). Dali para frente, as falhas em momentos decisivos minavam as forças do time visitante. Mas Marquinhos, livre, acertou uma bola de três a 24s do fim e igualou o placar. Os donos da casa tinham a bola do jogo nas mãos. Precisavam apenas de um ataque perfeito para erguer a taça. O caminho estava fechado, mas uma linda assistência de Eric Tatu para André Bambu fez explodir a arquibancada a 1s do fim.

veja também