MENU

No duelo Messi x Özil, vantagem do argentino esbarra no gol do alemão

No duelo Messi x Özil, vantagem do argentino esbarra no gol do alemão

Atualizado: Sexta-feira, 2 Julho de 2010 as 7:51

Quando entrar em campo neste sábado, às 11h, para a partida das quartas de final contra a Alemanha, Messi estará acima de Özil, seu rival na criação de jogadas. Ao menos na frieza das estatísticas. O 10 da Argentina venceu mais, chutou mais, passou melhor e até sofreu mais faltas que o adversário. Há um número, contudo, que o camisa 8 alemão pode usar para fazer inveja ao Pulga: o gol. Neste quesito, Messi ainda passa em branco na Copa, enquanto Özil se orgulha de já ter balançado a rede na África do Sul, na primeira fase, contra Gana. No duelo dos cérebros, compare os números e veja quem leva vantagem:

Aos 21 anos, Özil começou a impressionar na Copa logo na estreia, quando não marcou, mas comandou o time na goleada por 4 a 0 sobre a Austrália. Após a derrota para a Sérvia na segunda rodada, as boas atuações foram recompensadas com um gol salvador diante de Gana. O meia do Werder Bremen recebeu um passe açucarado na meia lua e, de pé esquerdo, acertou uma bomba no ângulo do goleiro Kingson.

Nas oitavas de final, contra a Inglaterra, Özil mudou seu jeito de jogar. Aberto pela esquerda, assustou a defesa britânica e viu cada ataque alemão passar pelos seus pés na vitória por 4 a 1. No sábado, contra os argentinos, mais uma vez será peça fundamental no esquema de Joachim Löw. Do outro lado do campo, contudo, haverá um craque com fome de bola - e de gol.

Messi ainda não marcou, mas fez todo o resto. O argentino, que completou 23 anos durante a primeira fase do Mundial, brilhou na estreia, mas esbarrou no goleiro Enyeama. Sem se abater, manteve as boas atuações e só caiu um pouco nas oitavas, quando foi bem marcado pelo meio campo mexicano. Ainda assim, criou boas oportunidades e se credenciou como um dos melhores da Copa até agora.

Na quinta-feira, o camisa 10 argentino não treinou, gripado. Maradona deve ter mandado reforçar a dose de vitamina C e cama para seu protegido, ciente de que uma vitória dos hermanos certamente passa por aqueles pés. Na Alemanha, Özil tem responsabilidade semelhante. Em um duelo cheio de tradição, caberá aos dois jovens cérebros a missão de comandar suas seleções.

Por GLOBOESPORTE.COM Cidade do Cabo, África do Sul

veja também