MENU

No provável adeus de Conca, Fluminense bate o Atlético - PR

No provável adeus de Conca, Fluminense bate o Atlético - PR

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2011 as 7:12

Todos os olhos estavam voltados para Conca. Mas naquela que pode ter sido a  última partida do argentino pelo Fluminense, quem brilhou mesmo foi Ciro. Com dois gols do atacante, o Tricolor bateu o Atético-PR por 3 a 1, na noite desta quinta-feira, no Engenhão. Com proposta irrecusável do Guangzhou Evergrande, da China, o camisa 11 deve anunciar oficialmente a sua saída das Laranjeiras nos próximos dias.

O resultado deu ainda mais tranquilidade ao técnico Abel Braga. Com a segunda vitória seguida no Campeonato Brasileiro, o Fluminense ganhou uma posição e terminou a rodada no sétimo lugar, com 12 pontos, a apenas dois da zona de classificação para a Libertadores. Em crise, o Atlético-PR se manteve na lanterna da competição, com apenas um ponto e nenhuma vitória.

Graças ao adiamento da partida na Vila Belmiro contra o Santos, que seria no dia 7 de julho e foi transferida para 24 de agosto, o Fluminense terá um descanso de dez dias. Só voltará a campo no dia 10, contra o Flamengo, no Engenhão. Já o Furacão tentará se reabilitar na próxima quarta-feira, diante do Internacional, às 19h30m (de Brasília), no Beira-Rio.

Dois gols em dois minutos e o choro de Ciro

Como não poderia deixar de ser, Conca foi o assunto principal antes de a bola rolar. A torcida se manifestou aos gritos de "fica, por favor". Mais uma vez, o argentino entrou mudo e saiu calado daquela que pode ter sido a sua última partida pelo Fluminense. O técnico Abel Braga, no entanto, falou. E deu a entender que o adeus do argentino deve mesmo ser questão de tempo.

- Conca vai falar com a imprensa durante a semana sobre essa situação. O que posso dizer é que ele está muito focado na partida - disse o comandante tricolor.

A declaração de Abelão, porém, demorou a repercutir em campo. O argentino, assim como seus companheiros, entraram dispersos. Sem uma referência no ataque, o Fluminense tinha dificuldades na saída de bola e errava seguidos passes com Diguinho e Edinho. Substituto do suspenso Rafael Moura, Ciro parecia perdido. Recuado, o Tricolor dava espaços ao Atlético-PR, que dominava a posse de bola.

Com apenas um ponto conquistado e ocupando a lanterna, o Furacão precisava da vitória para respirar na competição. Apesar do aparente domínio, o time paranaense só levava perigo ao gol de Diego Cavalieri nas jogadas de bola parada. O Fluminense, por sua vez, chegava pouco à área. Quando atacou, no entanto, esteve perto de abrir o placar duas vezes: em cabeçada de Márcio Rosário e em um bonito chute de Souza que passou raspando a trava direita de Márcio.

Personagem principal da noite, Conca estava apagado na partida. Mas bastou o argentino acordar para o Fluminense sair na frente com dois gols em dois minutos. Primeiro, ele iniciou a jogada e passou para Souza, que achou Mariano na direita. O lateral ainda cortou para dentro antes de chutar de canhota e contar com a colaboração do goleiro Márcio: 1 a 0, aos 40 minutos. O Atlético-PR não teve nem tempo de assimilar o golpe. Dois minutos depois, Marquinho roubou a bola no meio e lançou Ciro. Desta vez, a participação do argentino foi tática. Ao correr para o lado oposto, ele levou a marcação e deu ao atacante o espaço necessário para chutar e ampliar o resultado. Na comemoração de seu primeiro gol pelo Tricolor, Ciro saiu correndo em direção à torcida e não conseguiu esconder a emoção.

Gol 'pastelão' e mais emoção

As duas equipes voltaram do intervalo com as mesmas escalações. Tranquilo com a vantagem de dois gols, o Fluminense passou a administrar o resultado. Já o Atlético-PR se jogou ao ataque em busca do empate. O técnico Leandro Niehues colocou Guerrón e Kleberson em campo, mas faltava organização. Nem mesmo quando a defesa tricolor falhava, como no lance em que Gum entregou a bola para Nieto dentro da área, o Furacão soube aproveitar.

O terceiro gol do clube das Laranjeiras saiu de uma jogada "pastelão", que explica bem a situação do Atlético-PR no Campeonato Brasileiro. Após cobrança de escanteio de Souza, Gum acertou a trave. No rebote, o zagueiro Rafael Santos cabeceou na medida para que Ciro, de voleio, marcasse o terceiro gol do Fluminense.

Com a vitória garantida, Abel Braga abdicou do ataque. Trocou Ciro pelo volante Fernando Bob, ficando sem qualquer atacante de origem em campo. Naturalmente, o Fluminense perdeu poder ofensivo e terminou a partida com quatro volantes em campo. O mais avançado era Conca, que, sempre que pegava na bola, ouvia o apelo desesperado dos tricolores: "Fica, fica!". Os gritos só serviram para acordar o Furacão, que chegou ao seu segundo gol no campeonato com um cabeceio de Edigar. O apito final trouxe a certeza do desespero paranaense e da segunda vitória seguida do clube carioca no Campeonato Brasileiro. Mas também deixou na boca dos tricolores o gosto amargo do iminente adeus de Conca das Laranjeiras.

veja também