MENU

Nos braços da Fiel, Marcelinho dá adeus e comanda vitória do Timão sobre Huracán

Nos braços da Fiel, Marcelinho dá adeus e comanda vitória do Timão sobre Huracán

Atualizado: Quinta-feira, 14 Janeiro de 2010 as 12

O futebol brasileiro começou a se despedir nesta quarta-feira de um de seus filhos mais talentosos e polêmicos surgidos nas duas últimas décadas. Amado pelos corintianos e odiado pelos rivais, Marcelinho Carioca marcou o fim de sua carreira. Foram 45 minutos, suficientes para fazer as quase 20 mil pessoas presentes ao Pacaembu voltarem a um passado glorioso e projetarem muita saudade para o futuro. Os gols e a tradicional comemoração girando os braços não vieram, mas com passes precisos e jogadas que encantaram os alvinegros, o Pé de Anjo brilhou no adeus, entrando definitivamente para a história do clube mais popular de São Paulo.

O jogo? Souza, Morais e Dentinho fizeram os gols da vitória por 3 a 0 do mistão do Corinthians sobre os reservas do Huracán-ARG, no primeiro amistoso da temporada (assista aos gols no vídeo acima). No domingo, a equipe estreia no Campeonato Paulista contra o Monte Azul, às 17h, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto.

No fim do primeiro tempo, Marcelinho Carioca caiu nos braços da torcida. Emocionado, o meia subiu no alambrado e deu uma volta olímpica para ouvir pela última vez os gritos de "Uh, Marcelinho!", que sempre ecoaram pelo Pacaembu nos oito anos que vestiu a camisa alvinegra. Em seguida, discursou seu amor pelo clube em nome da Libertadores:

- Corinthians minha vida, minha história, meu amor! Eu amo vocês! O que eu sou como atleta profissional de futebol devo à instituição Corinthians e a essa nação corintiana aqui! E rumo à Libertadores! Vamos ganhar a Libertadores, p...! Obrigado por me fazerem feliz, por me ensinarem muito, pelo carinho e pelas críticas! Aprendi a ser homem, cidadão e, acima de tudo, a ser o verdadeiro corintiano! - disse.

E a felicidade de Marcelinho já havia estado dentro de campo.

- Deu para me movimentar, dar uns passes e ajudar a fazer dois gols. Está de bom tamanho, Do jeito que o Mano e os jogadores me receberam, todos me esperando, fiquei muito honrado e feliz. Voltar e ver um Pacaembu lotado gritando seu nome, vencer os hermanos, ver a alegria da garotada... Finalizo a minha carreira muito feliz - completou.

Inspirado, Marcelinho se destaca no primeiro tempo

A festa começou antes da partida. Roberto Carlos, Ralf, Tcheco, Danilo e Iarley foram apresentados e ovacionados pela torcida. Quando o juiz apitou, o forte calor em São Paulo, cerca de 34 graus, não impediu que o Corinthians começasse a partida pressionando. Com muita movimentação, os baixinhos Marcelinho Carioca, Morais e Defederico confundiram a marcação do Huracán. A primeira grande chance veio com o Pé de Anjo. Ele acertou um lindo passe por cima da zaga para Defederico. O argentino dominou desequilibrado e chutou fraco para Calviño defender fácil.

A garotada do Huracán poucas vezes se arriscou no campo de ataque. Melhor para os paulistas, que continuaram em cima. Aos dez, Defederico cruzou da direita, Paulo André desviou de cabeça para fora e tirou grande oportunidade de Escudero, que surgia por trás da zaga sem qualquer marcação. Quatro minutos depois, novamente Marcelinho Carioca. Ele bateu escanteio com muito veneno para a pequena área, William apareceu livre, mas cabeceou para fora.

O Timão só conseguiu deslanchar a partir dos 32 minutos. Morais recebeu passe de Jucilei na linha de fundo e cruzou. A zaga não conseguiu cortar, e a bola sobrou na área para Souza. O centroavante dominou e soltou a bomba, sem chances de defesa para o goleiro: 1 a 0. O segundo saiu aos 38. Morais tabelou com Souza, invadiu a área e, com um lindo toque, encobriu Calviño.

Mano troca tudo no Timão

No segundo tempo, como esperado, o técnico Mano Menezes promoveu seis alterações na equipe - Balbuena, Ralf, Elias, Boquita, Dentinho e Edno nos lugares de Alessandro, Marcelo Mattos, Morais, Marcelinho Carioca, Defederico e Souza, respectivamente.

Em ritmo lento e sem querer correr riscos de sofrer alguma lesão, o Corinthians só levou perigo aos 14 minutos. Dentinho aproveitou erro de marcação argentino, avançou pelo lado esquerdo do ataque e cruzou. Na pequena área, Edno desviou, mas o goleiro fez ótima defesa.  O atacante, aliás, teve outra oportunidade, aos 22, chutando de fora da área e acertando o travessão.

O terceiro gol surgiu aos 28. Em contra-ataque, Boquita viu Dentinho pelo lado esquerdo da área e tocou. O atacante se livrou do zagueiro e bateu rasteiro, cruzado, aumentando a vantagem alvinegra. A partir dos 35 minutos, um temporal caiu sobre o Pacaembu e impediu que o Corinthians continuasse pressionando. Agora, é esperar a estreia no Paulistão.

Por: Carlos Augusto Ferrari e Leandro Canônico

veja também