MENU

Nos passos de Mano e Ney, sub-17 busca vaga dupla no Sul-Americano

Nos passos de Mano e Ney, sub-17 busca vaga dupla no Sul-Americano

Atualizado: Sexta-feira, 11 Março de 2011 as 9:51

O torcedor brasileiro que acompanhou a recente trajetória de sucesso da Seleção sub-20 não precisará quebrar a cabeça, muito menos dormir altas horas da madrugada, para acompanhar a sub-17 no Sul-Americano da categoria. O regulamento da competição, que começa neste sábado, com o duelo entre Equador e Bolívia, às 18h (de Brasília), pelo Grupo A, é exatamente o mesmo - duas chaves de cinco equipes, com três avançando ao hexagonal final. O país-sede é um vizinho do Peru: o Equador, temido pelas suas altitudes. Mas e a Seleção verde-amarela? Apesar do ponto de interrogação quanto ao futuro, já se sabe que ela segue modelos de ponta.     A equipe treinada por Emerson Ávila tem semelhanças com a principal, de Mano Menezes, e a sub-20, de Ney Franco, que vão além do tempo de seus comandantes à frente delas. Ao aceitar o convite-desafio, o ex-técnico assistente do Cruzeiro sabia que também corria contra o relógio para dar uma cara de time à sub-17. Bastou, então, olhar para cima e aplicar as filosofias.     – Esse entrosamento entre as Seleções é importante. Assim que recebi o convite do Ney tive uma reunião com o Mano na sede da CBF. Não é que as equipes devam jogar na mesma forma, mas as estratégias são importantes que sejam seguidas e vamos procurar fazer um trabalho sempre para servir a Seleção Principal – disse Emerson Ávila, que também se reuniu recentemente com Ney Franco durante o período de treinos na Granja Comary, em Teresópolis, para traçar os planos da viagem.

– Foi bom a sub-20 ter ganho o Sul-Americano, certamente traz um pouco mais de entusiasmo e motivação a eles. Mas também uma certa cobrança, porque eles já estão com a taça – completou.

Dos 20 jogadores, quatro são do Internacional, clube com mais atletas, entre eles o meia-atacante Andrigo, de apenas 16 anos, e apontado como uma das maiores revelações coloradas da última década. O São Paulo, maior representante na sub-20, tem apenas dois, embora o atacante Lucas Piazon, comparado até a Kaká, seja visto como uma das principais armas do time. Outro grande nome é o meia Adryan, único do Flamengo.

Todos estes lutam por espaço em um grupo que pode ter um segundo semestre atarefado. Caso mantenha o favoritismo e termine a competição entre os quatro melhores, a Seleção Brasileira estará automaticamente classificada para o Mundial sub-17, entre 18 de junho e 10 de julho, e os Jogos Pan-Americanos (sub-22), entre 14 e 27 de outubro. Ambos serão disputados no México.

Altitude: possível maior adversário na primeira fase Antes, no Equador, a sub-17 também terá de vencer a altitude. Na primeira fase, todos os jogos do Grupo B serão na cidade de San Miguel de Ibarra, norte do país, a 2.225m do nível do mar, incluindo a estreia diante da Venezuela, no dia 13, às 12h (de Brasília) - Chile, Paraguai e Colômbia completam a chave. O hexagonal final será na capital Quito, onde clubes brasileiros sofreram nos últimos anos com os 2.850m. De meter medo...

– Jogamos pelo sub-15 em Cochabamba (2.574m), na Bolívia. O primeiro jogo foi sinistro, mas depois nos acostumamos. Agora, jogar a 2.850m é pesado. Temos pulmão, mas também temos coração – brincou o meia Adryan.

– Nossa maior preocupação foi com o período de treinos, pois muitos deles estavam voltando de férias e antes tínhamos de colocar todos no mesmo nível físico. Acredito que quando chegarmos a Quito já estaremos com uma adaptação boa do período em Ibarra. Nessa faixa etária eles se adaptam muito fácil às condições de clima, tempo, altitude. É uma idade boa – afirmou o técnico Emerson Ávila.

O plano tático, a princípio, também remeteu às seleções de Mano e Ney Franco. O esquema 4-2-3-1 foi o utilizado no torneio Nike Friendlies, em dezembro, embora o elenco ainda não contasse com muitos nomes presentes agora. Para Emerson, o mais importante é sistema se adaptar aos jogadores, e não o contrário.

– Procuro sempre não escolher o esquema antes de conhecer os atletas. O principal é saber utilizá-los da melhor forma dentro de um bom sistema tático. Podemos nos acertar com dois volantes, três no meio e um na frente. Ou talvez com dois municiando e dois finalizando. Nós não temos aquele camisa 9, embora todos sejam de boa qualidade. Estou à vontade para escolher o que for de melhor – declarou.

Confira os 20 convocados da Seleção:

Goleiros

Charles (Cruzeiro)

Uilson (Atlético-MG)

Laterais

Wallace (Fluminense)

Claudio Winck (Internacional)

Emerson (Santos)

Zagueiros

Matheus Barbosa (Coritiba)

Josué (Vitória)

Marquinhos (Corinthians)

Meias

Rodrigo (Internacional)

Allan (São Paulo)

Mizael (Grêmio)

Marlon Bica (Internacional)

Andrigo (Internacional)

Guilherme (Vasco)

Adryan (Flamengo)

Hernani (Atlético-PR)

Atacantes

Pedro Paulo (Cruzeiro)

Diego (Santos)

Leo (Cruzeiro)

Lucas Piazon (São Paulo)    

veja também