MENU

Nos pênaltis, Bahia derrota o Vitória e avança na Copa São Paulo

Nos pênaltis, Bahia derrota o Vitória e avança na Copa São Paulo

Atualizado: Quarta-feira, 19 Janeiro de 2011 as 8:50

Após 18 anos, Bahia e Vitória voltaram a se encontrar na Copa São Paulo de Futebol Júnior. E ao contrário de 1993, desta vez o Tricolor levou a melhor: venceu a decisão por pênaltis por 4 a 3, após empate por 1 a 1 no tempo normal, e avançou às quartas de final da competição, quando vai enfrentar o Santos.

Se pecou pelo baixo nível técnico, a partida no estádio Nicolau Alayon, em Barra Funda, teve vários ingredientes de um grande clássico. Equilíbrio, lances de efeito, polêmicas, violência, muita chuva e emoção até o fim.

Vitória domina no início

Como não poderia deixar de ser, o clássico baiano começou quente. Com a partida pegada e muita marcação de ambas equipes, as oportunidades de gols eram raras, mas as entradas mais fortes foram muitas. Tanto que, na primeira etapa, o árbitro Edson Pavani Junior distribuiu seis cartões amarelo por faltas duras: quatro para o Leão, e dois para o Tricolor.

Aos 23, o primeiro grande lance do jogo. Agdon, do Vitória, tentou encobrir Renan de fora da área, e o goleiro teve de se desdobrar para evitar o gol. A jogada animou o time rubro-negro, que passou a pressionar o adversário. Destaque para o meia Arthur Maia, principal articulador do Leão. Aos 31, ele acertou um lindo chute da entrada da área e obrigou Renan a fazer outra boa defesa.

Chuva, gols e polêmica

No segundo tempo, o Bahia voltou melhor, com mais iniciativa de jogo e passou a criar as melhores oportunidades. Na melhor delas, aos 11, Rafael, de costas, acertou uma forte cabeçada, e o goleiro do Vitória, Luís Gustavo, fez linda defesa, espalmando para escanteio.

A pressão, que já era grande, transformou-se em domínio absoluto, quando Cleiton, do Vitória, foi expulso, aos 19 minutos. Com um jogador a mais, o Bahia se mandou ao ataque, mas pecou nas finalizações. A chuva apertou, e o Leão se segurou como pôde.

No entanto, após muito insistir, o Bahia abriu o placar. Após cobrança de falta alçada na área, a zaga do Vitória vacilou, e a bola sobrou limpa para Rafael marcar, aos 43 minutos da etapa final. Foi então que o árbitro Edson Pavani Junior assinalou quatro minutos de acréscimo. E aos 49 minutos e 30 segundos, Adalto acertou um chute improvável de muito longe e empatou a partida. Foi a senha para muita confusão e reclamação dos jogadores e comissão técnica do Tricolor.

Pênaltis

Na disputa por pênaltis, mais equilíbrio, mas o Bahia levou a melhor e venceu por 4 a 3. Duílio e Alan Pinheiro desperdiçaram as cobranças do Vitória. Madson converteu a última  e deu a vaga ao Tricolor.

Outro classificado

Em outra partida das oitavas de final, o Desportivo Brasil venceu a Ponte Preta por 2 a 1, e também avançou às quartas de final. Na próxima fase, a equipe paulista enfrenta o PAEC.

veja também