MENU

Novamente vice, Cuca conquista respeito e admiração do torcedor

Novamente vice, Cuca conquista respeito e admiração do torcedor

Atualizado: Sexta-feira, 10 Dezembro de 2010 as 8:35

O resultado do Cruzeiro no Campeonato Brasileiro pode ser encarado de diversas formas. Por um lado, foi bom, já que a equipe estava desacreditada no início da competição e se recuperou. Por outro, foi ruim, já que o time mineiro teve reais condições de conquistar um título que não vence desde 2003. Com o vice-campeonato – o Cruzeiro ficou atrás apenas do Fluminense –, o técnico Cuca foi novamente vítima de piadinhas em relação aos vários segundos lugares que coleciona na carreira. De fato, em muitas oportunidades, o treinador comandou equipes que terminaram a competição com o vice-campeonato. Porém, neste ano, o trabalho de Cuca foi reconhecido, e a torcida cruzeirense não admite sequer pensar em um 2011 sem o treinador no banco de reservas.

A trajetória do paranaense Alexi Stival, o Cuca, como treinador começou em 1998 à frente do modesto Uberlândia, de Minas Gerais. Mas seu nome ficou conhecido a partir de 2003, quando aceitou o convite para dirigir o Goiás, no segundo turno do Campeonato Brasileiro. Na oportunidade, a equipe estava na lanterna da competição, mas terminou na nona colocação e revelou nomes como Danilo, Josué, Grafite e outros.

A partir daí, Cuca passou a treinar equipes de ponta, sempre com bons trabalhos, mas nunca com títulos. Para piorar, ficou estigmatizado por sempre levar seus times à final, sem conseguir sucesso. Desde então, coleciona vices: um da Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca), com o Botafogo, dois do Campeonato Carioca, ambos com a equipe de General Severiano, um da Copa Sul-Americana, com o Fluminense, e agora um do Campeonato Brasileiro, com o Cruzeiro. A sina só foi quebrada com o título Carioca de 2009, conquistado com o Flamengo e que selou o terceiro vice consecutivo do Botafogo.

Na época, antes da decisão que lhe deu o primeiro título, Cuca chegou a falar sobre o estigma.

- Se eu for campeão, não vou chegar aqui no dia seguinte soltando foguetes e também não vou enfiar a cabeça na privada se perder. Chegarei aqui com a mesma cara, essa cara feia que vocês sempre veem. Tenho 45 anos, quero trabalhar até os 70. Vou ser vice muitas vezes, assim como vou ganhar outras. Mas o vice-campeonato no Cruzeiro não teve a conotação negativa dos anos anteriores, por vários fatores. Primeiro, porque o treinador chegou na oitava rodada e assumiu uma equipe desacreditada, na 11ª posição. Além disso, a torcida celeste desconfiava do trabalho do treinador, já que foi a sexta opção da diretoria para assumir o lugar de Adilson Batista. Antes de Cuca, Ney Franco, Joel Santana, Jose Pekerman, Carlos Alberto Parreira e Luiz Felipe Scolari recusaram o convite do Cruzeiro.

Sobre o fim da competição nacional, o treinador enalteceu o trabalho realizado, lamentou alguns problemas com a arbitragem, mas valorizou a chegada à Libertadores de forma direta.

- O mais importante para o Cruzeiro agora é valorizar o segundo turno. A gente estava em 11º e queria buscar uma vaga pra Libertadores, e não podemos ficar tristes porque somos vice-campeões. A gente tem que parabenizar o Fluminense, que foi campeão, apesar de A, B ou C quase terem tirado o brilho. Deram uma ofuscadinha, mas não tiraram o brilho. O campeonato foi emocionante. O título podia vir pra cá, ir pra Goiânia ou ficar no Rio, como acabou ficando.

Relembre campanhas que deram vice-campeonatos para Cuca

Campeonato Brasileiro 2010

No Brasileirão, Cuca chegou durante a parada para a Copa do Mundo da África do Sul e dirigiu o time a partir da oitava rodada. O treinador chegou com a equipe em 11º lugar e obteve, em 31 jogos, 18 vitórias, seis empates e sete derrotas, com 45 gols marcados e 30 sofridos, com um aproveitamento de 64,5%. Caso estivesse no comando da equipe desde a primeira rodada e mantivesse este aproveitamento, teria ficado com o título, já que o campeão Fluminense teve 62,3% dos pontos disputados.

Copa Sul-Americana 2009

Em 2009, Cuca assumiu o Fluminense praticamente rebaixado no Campeonato Brasileiro. Com um aproveitamento impressionante na reta final, além de evitar que o time caísse, conquistou a vaga na final da Copa Sul-Americana, diante da LDU, do Equador. Depois de uma goleada incrível fora de casa, quando perdeu por 5 a 1, o Fluminense quase reverteu a vantagem no Maracanã, fazendo 3 a 0. A história poderia ter sido outra se o atacante Fred não tivesse sido expulso no segundo tempo.

Campeonato Carioca 2008

No Carioca de 2008, pelo Botafogo, Cuca chegou à final do Estadual depois de vencer a Taça Rio, equivalente ao segundo turno do torneio. Mas antes disso, havia levado o time ao segundo lugar da Taça Guanabara (primeiro turno). Na finalíssima, o Botafogo perdeu os dois jogos para o Flamengo, o primeiro por 1 a 0 e o segundo por 3 a 1. Ao longo da competição, o Botafogo acumulou 15 vitórias, um empate e cinco derrotas, fez 51 gols e sofreu 21.

Campeonato Carioca 2007

O Botafogo chegou à decisão contra o Flamengo e, depois de dois empates nos jogos finais, acabou derrotado nos pênaltis. O time chegou à decisão com o título da Taça Rio, ao derrotar a Cabofriense. Ao longo da campanha, o time alvinegro conseguiu oito vitórias, seis empates e duas derrotas.

veja também