MENU

Novela se arrasta, e Ganso volta a falar em mágoa com diretoria do Peixe

Novela se arrasta, e Ganso volta a falar em mágoa com diretoria do Peixe

Atualizado: Sexta-feira, 11 Março de 2011 as 5

O meia Paulo Henrique Ganso, do Santos, vive um momento de emoções distintas. Se por um lado está feliz com seu retorno ao futebol (neste sábado participará de parte do jogo contra o Botafogo-SP, na Vila Belmiro, no Paulistão), por outro ainda está triste porque, até agora, após vários meses de idas e vindas, ainda não conseguiu renovar seu contrato com o clube.

O jogador admite estar magoado com a direção do Peixe, que, em sua visão, já poderia ter dado um fim à novela que se arrasta desde agosto do ano passado, justamente na mesma época em que sofreu grave lesão no joelho esquerdo. Nesta sexta-feira, em entrevista ao SporTV, o jogador admitiu que ainda se sente incomodado com o fato de seus representantes e o clube ainda não terem chegado a um acordo.

- Eu fico triste. Por tudo o que fiz, ajudei o clube a conquistar dois títulos, passei seis meses parado por causa de uma lesão. A mágoa é porque já passou muito tempo. (O contrato) já poderia ter sido renovado, era algo que já deveria ter sido resolvido antes. Mas, paciência. São coisas do futebol. Com ou sem renovação, eu tenho contrato e vou tentar cumprir até o último instante - afirmou o jogador.

  Até a semana passada, o jogador estava otimista. Em entrevista ao Globoesporte.com , o jogador dizia que esperava que tudo estivesse resolvido antes do carnaval. Disse que ganharia aumento salarial e teria seu contrato ampliado por mais um ano. No entanto, o tempo passou e a negociação permanece parada.

O grande problema é o valor da multa. Os representantes do jogador nem fazem tanta questão de um aumento substancial. Na verdade, os valores oferecidos pelo clube agradaram. O problema é que eles querem uma diminuição no valor da multa rescisória, atualmente estipulada em € 50 millhões. O objetivo é convencer o Peixe a baixar para um valor entre € 35 e 40 milhões. É uma óbvia tentativa de tornar viável uma negociação para o exterior, já que a multa atual assusta até mesmo os endinheirados clubes europeus.

Saída de Adilson

Ganso também opinou sobre a saída do técnico Adilson Batista, demitido após o empate em 1 a 1 com o São Bernardo, pelo Paulistão. O meia deixou claro que não concordou com a atitude da diretoria, que cedeu à pressão da torcida.

- O Adilson é um grande treinador. Sempre me deu alguns toques. Os números mostram: em 11 jogos, perdeu apenas um. Não sei se foi uma atitude precipitada, mas acho que não era o momento.    

veja também