MENU

Novos Meninos da Vila tentam passo inicial para decisão após oito anos

Novos Meninos da Vila tentam passo inicial para decisão após oito anos

Atualizado: Quarta-feira, 25 Maio de 2011 as 9:49

Elano fez parte da geração que levou Peixe à final em 2003 (Foto: Ricardo Saibun / Santos F.C.)

  Uma nova safra de Meninos da Vila tenta levar o Santos novamente a uma final de Taça Libertadores. Nesta quarta-feira, às 21h50m (horário de Brasília), no Pacaembu, o Peixe disputa o primeiro jogo das semifinais contra o Cerro Porteño-PAR. A última vez que a equipe praiana chegou à decisão da competição mais cobiçada do continente foi em 2003, com Diego, Robinho, Elano (que está de volta), Renato, entre outros garotos. Enfrentou o Independiente Medellín-COL e avançou com duas vitórias (1 a 0, na Vila; 3 a 2, em Medelín).

Agora, a geração de Neymar e Ganso tenta repetir o feito, mas buscando um final diferente: há oito anos, o Alvinegro perdeu o título para o Boca Juniors. Seria a consagração da geração que, de 2010 para cá, deu dois títulos estaduais e a Copa do Brasil ao Santos.     O jogo de volta será na próxima quarta-feira, em Assunção. Quem passar, enfrenta o vencedor do confronto entre Vélez Sarsfield e Peñarol, que começam sua disputa na próxima quinta-feira, em Montevidéu.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances, em Tempo Real, com vídeos exclusivos. A TV Globo transmite para os estados de SP, RS, MG (exceto Juiz de Fora), GO, TO, MS, MT, BA, PE, MA (exceto Balsas) e PA (exceto Santarém). O SporTV 2 e o SporTV HD mostram ao vivo para todo o Brasil. O uruguaio Jorge Larrionda apita a partida, auxiliado pelos também uruguaios Pablo Fandiño e William Casavieja.

Santos: invicto há 13 jogos, o Peixe tenta se manter em ritmo de decisão para passar pelo Cerro. A ideia dos alvinegros é tentar vencer bem esse jogo de ida para ter mais tranquilidade na partida de volta, quarta-feira que vem, em Assunção. Cerro Porteño: assim como o Santos, os paraguaios definiram a Taça Libertadores como prioridade. O técnico Leonardo Astrada tem escalado reservas no campeonato paraguaio. O Cerro confia que pode arrancar, ao menos, um empate no Pacaembu. Na primeira fase, os dois times dividiram o Grupo 5 com Colo Colo-CHI e Deportivo Táchira-VEN. Na Vila Belmiro, os paraguaios conseguiram um 1 a 1.

Santos:   Sem poder contar com o lateral-direito Jonathan e com o meia Paulo Henrique Ganso, machucados, o técnico Muricy Ramalho irá mandar a campo o mesmo time do segundo tempo da partida contra o Once Caldas-COL, quarta-feira passada, pelas quartas de final. Pará será escalado na lateral-direita. No meio, um trio de volantes: Arouca, Adriano e Danilo, sendo que o último atuará mais avançado. Elano terá liberdade para armar. Essa é a escalação: Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Danilo e Elano; Neymar e Zé Eduardo. 

Cerro Porteño: Sem problemas com lesões, o técnico Leonardo Astrada deverá mandar a campo a mesma base que eliminou o Jaguares-MEX, nas quartas de final. A escalação provável: Diego Barreto, Iván Piris, Mariano Uglessich, Pedro Benítez e César Benítez; Luis Cáceres, Rodrigo Burgos, Javier Villarreal e Iván Torres; Jonathan Fabbro e Roberto Nanni.

Elano (Santos): será escalado mais adiantado, como um meia, fazendo a função de Paulo Henrique Ganso. Ele jogou assim no segundo tempo do jogo contra o Once Caldas e agradou a Muricy Ramalho. O camisa 8 tenta chegar à sua segunda final de Libertadores. Era um dos destaques do time de 2003.

Jonathan Fabbro (Cerro Porteño): está em boa fase no Cerro. Principal articulador de jogadas da equipe paraguaia, rápido e com bom arremate de fora da área.

 Muricy Ramalho (técnico do Santos) – “Nós vencemos o Cerro no Paraguai, na primeira fase, mas isso não quer dizer nada. Já passou. Agora é semifinal. Eles chegaram muito bem, conseguiram se classificar às oitavas vencendo o Colo Colo fora de casa. Estão com moral”.

  Pedro Benítez (zagueiro do Cerro Porteño) – "Sorte nossa que o Ganso não vai jogar, porque ele é uma grande jogador. Ele tem muita qualidade e isso faz uma diferença grande Mas o Neymar joga e temos de ter muito cuidado ."

* Este será o quinto jogo entre Santos e Cerro Porteño na história da Taça Libertadores. São duas vitórias santistas e dois empates. Um desses triunfos, no dia 28 de fevereiro de 1962, é histórico. Nesse dia, na Vila Belmiro, o Peixe venceu por 9 a 1. Até hoje, é a maior goleada da competição.

* A última vez que uma das semifinais da Libertadores teve um confronto entre brasileiros e paraguaios foi em 2006, quando o Internacional eliminou o Libertad após um empate sem gols em Assunção e uma vitória por 2 a 0 em Porto Alegre.

* Desde que Muricy Ramalho chegou à Vila Belmiro, o Santos ainda não perdeu. O técnico estreou no empate sem gols com o Americana (14/04, pelo Campeonato Paulista) e obteve oito vitórias, quatro pelo estadual, do qual foi campeão, e quatro pelas Libertadores. Foram cinco empates, com 17 gols marcados e 5 sofridos.

Noite de 14 de abril. Penúltima rodada da fase de grupos da Taça Libertadores. Após um início ruim, o Santos dependia de uma vitória sobre o Cerro, em Assunção, para seguir na competição. Um empate não eliminaria a equipe brasileira matematicamente, mas daria chance a Cerro e Colo Colo jogarem por um empate entre si na última rodada. Para piorar as coisas para o Peixe, Neymar, Elano e Zé Eduardo, suspensos, não puderam jogar. Mas havia Ganso e o meia jogou por todos. Com atuação brilhante, ele liderou a vitória alvinegra por 2 a 1, gols de Danilo e Maikon Leite.          

veja também