MENU

Nuzman destaca chancela do COI: Rio é viável para organizar Jogos olímpicos de 2006

Nuzman destaca chancela do COI: Rio é viável para organizar Jogos olímpicos de 2006

Atualizado: Sexta-feira, 6 Junho de 2008 as 12

Nuzman destaca chancela do COI: Rio é viável para organizar Jogos olímpicos de 2006

Após o anúncio do Comitê Olímpico Internacional (COI) sobre a passagem do Rio de Janeiro para a fase final da candidatura aos Jogos Olímpicos de 2016, feita no dia 4 de junho, em Atenas, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e do Comitê RIO 2016, Carlos Arthur Nuzman, comemorou a chancela dada pelo Comitê Olímpico Internacional. "Quero agradecer a confiança e o reconhecimento do Comitê Olímpico Internacional. O COI deixou claro hoje que a cidade do Rio é viável para organizar os Jogos Olímpicos. Este é um momento muito importante não só para o esporte brasileiro, mas para todo o Brasil", disse Nuzman. "Temos que agradecer também o apoio dos três níveis de Governo desde a mobilização feita na organização dos Jogos Pan-americanos Rio 2007."

Para o presidente do COB, este é o momento da América do Sul. "O COI tem foco na universalidade dos Jogos e todos os continentes têm chances. A América do Sul, que nunca recebeu os Jogos, vem conquistando um espaço inédito pela organização de grandes eventos internacionais e o Brasil é um dos principais responsáveis por este movimento", declarou Nuzman. "Este é um momento de reconhecimento por tudo o que vem sendo feito pela juventude na América do Sul através do esporte", completou.

Para Nuzman, com a passagem de fase da candidatura brasileira, houve a comprovação e o reconhecimento do resultado da organização dos Jogos Pan-americanos Rio 2007. "O sucesso do RIO 2007 foi fundamental para termos sido alçados hoje à condição de cidade-candidata. O COI dependia da comprovação e reconhecimento do resultado do que foi o RIO 2007 e as ações dos três níveis de Governo em prol do esporte", afirmou Nuzman.

Outro ponto de destaque, segundo o presidente do COB, foram as notas dadas pelo COI para instalações e segurança da candidatura brasileira. "O relatório do COI dá notas superiores para as instalações do Rio do que para as de Chicago. Quando poderíamos pensar que uma cidade brasileira teria melhores instalações do que uma grande cidade americana como Chicago? Esta evolução é fruto do esforço feito para os Jogos Pan-americanos Rio 2007, quando construímos instalações de nível olímpico", explicou Nuzman, também destacando as boas notas para segurança. "Recebemos nota 7 em segurança e nota 7 em segurança no mundo de hoje merece aplausos. Este também é mais um legado do Rio 2007, onde tivemos um trabalho unificado de todos os setores policiais", disse Nuzman. "Acredito que o nosso maior trabalho será, como indica o relatório do COI, em acomodações. Temos esse déficit no Rio, mas vamos trabalhar para evoluir também neste quesito", afirmou Nuzman.

Também em Atenas, o Ministro do Esporte Orlando Silva disse que informou ao Presidente Lula assim que o resultado foi anunciado. Segundo o Ministro, o Presidente reafirmou o compromisso do Governo Federal com os investimentos necessários para candidatura brasileira. "A harmonia entre os níveis de Governo que já foi um ponto positivo no RIO 2007 será ainda mais aperfeiçoado na campanha de 2016. A organização será marcada por profissionalismo, transparência e planejamento consistente, como aconteceu nos Jogos Pan-americanos. Os três níveis de Governo vão agir por música", disse o Ministro.

Para o Governador Sergio Cabral, o Rio não terá dificuldades para alcançar a infra-estrutura necessária aos Jogos Olímpicos. "Fico feliz com o resumo comparativo divulgado pelo COI. No que tange à infra-estrutura, nós temos todas as condições de apresentar um excelente nível na área aeroviária, portuária, ambiental. Estaremos prontos para o desafio. O Rio de Janeiro vive um momento muito rara em termos econômicos, com investimentos de mais de R$ 20 bilhões do setor privado e público. Não vejo empecilhos para conseguirmos honrar os requisitos básicos de infra estrutura. No RIO 2007, a qualidade dos serviços e da infra-estrutura apresenta foi um item ressaltado com elogios pelos participantes", disse o Governador.

Para o Prefeito Cesar Maia, o Rio vem em processo de expansão acentuada no processo de candidatura olímpica e isso está nítido nas notas atribuídas pelo COI. "Nosso quadro é ascendente e positivo e isso foi percebido pelo COI em seu critérios de avaliação. Houve uma evolução nas notas obtidas em tentativas passadas, o que mostra uma evolução da cidade e da proposta das candidaturas", comemorou Cesar Maia, afirmando que sempre teve a preocupação de colocar o esporte como ferramenta de desenvolvimento social e econômico.

Para o Secretário Geral do Comitê RIO 2016. Carlos Roberto Osório, a candidatura brasileira tem um ótimo plano diretor. "Nosso projeto é compacto e contamos com 56% das instalações já concluídas por conta de termos realizado os Jogos Pan-americanos Rio 2007. Ofereceremos Jogos compactos e operacionalmente bem resolvidos. O que devemos fazer agora é reavaliar alguns pontos do dossiê e torná-los ainda mais eficientes", disse Osório.

Além do Rio de Janeiro, também passaram de fase Chicago, Tóquio e Madri. Agora as cidades candidatas terão que elaborar um dossiê detalhado os 19 itens da candidatura. Este dossiê será entregue ao COI até 12 de fevereiro de 2009. Nos meses de abril e maio uma Comissão de Inspeção visitará as cidades e irá elaborar um relatório, que servirá de base para a votação dos 115 membros do COI. A eleição da cidade sede aos Jogos de 2016 está marcada para o dia 2 de outubro, em Copenhague, na Dinamarca.

veja também