MENU

O Paulista Gabriel Medina confirmou o favoritismo.

O Paulista Gabriel Medina confirmou o favoritismo.

Atualizado: Segunda-feira, 7 Maio de 2012 as 8:41

Em boas ondas de meio a 1 metro, ele destruiu os adversários para faturar o cheque de US$ 40 mil e somar 6500 pontos no ranking da divisão de acesso do circuito mundial.
 
Na final, ele passou pelo pequeno Glenn Hall, australiano naturalizado irlandês.
 
A decisão começou com uma situação polêmica. Medina e Glenn Hall disputaram uma esquerda e o brasileiro estava melhor posicionado.
 
Mesmo assim, Hall também entrou na onda e sua prancha chegou a atingir a perna de Medina, mas os juízes entenderam que não houve interferência.
 
Não teve jeito. Com um surf extremamente superior ao do adversário, Medina passou a comandar as ações e venceu a final pelo placar de 15.67 a 10.87.
 
Limitadíssimo, Glenn Hall não foi páreo para Medina e escapou por muito pouco da combinação. Com 7.17 e 8.50 no somatório, o brasileiro deixou o adversário precisando de 9.90.

Antes de fechar sua campanha com chave de ouro, ele triturou o ídolo californiano Dane Reynolds nas quartas e o australiano Adrian Buchan na semi.

Em confronto bastante aguardado pelo público, Medina mais uma vez frustrou a torcida local. Depois de conseguir uma virada espetacular contra Brett Simpson na sexta-feira, ele partiu com tudo para cima de Reynolds na manhã deste sábado.

Surfando de backside, abriu a bateria com nota 9.00, ampliou vantagem com 7.33 e encerrou o massacre com 9.20, deixando o adversário precisando de combinação pela segunda vez na prova.

Reynolds bem que tentou, mas não conseguiu reagir e saiu da água com 5.50 e .5.00 no somatório.

A vítima na semi foi Adrian Buchan. Inspiradíssimo, Medina abusou dos aéreos para arrancar a primeira nota 10 do Lowers Pro logo na primeira onda.

Não demorou muito para o brasileiro espancar outra onda e arrancar 8.90 dos juízes. Não satisfeito, Gabriel novamente decolou em grande estilo para obter 9.80 e registrar impressionantes 19.80 pontos em vinte possíveis.

O brasileiro ainda descartou mais duas notas (6.17 e 6.50), enquanto Buchan sentiu o golpe e somou apenas 6.00 e 2.43.

Na outra semifinal, Glenn Hall tirou da prova o badalado havaiano John John Florence, impedindo a final que muitos esperavam.

Competitivo ao extremo, Hall começou bem com 7.77 na melhor onda e vigiou bastante o adversário. John John teve muita dificuldade para reagir e só acordou nos instantes finais, quando descolou 9.00 pontos e passou a precisar de 2.93.

No desespero, o havaiano buscou algumas ondas inexpressivas e até conseguiu a virada com 3.17, mas viu o adversário dar o xeque-mate na última onda e conseguir 4.83.

 

Foto: Marcio Canavarro.

veja também