MENU

O preço dos vacilos: Palmeiras perde 12 pontos em gols sofridos no fim

O preço dos vacilos: Palmeiras perde 12 pontos em gols sofridos no fim

Atualizado: Terça-feira, 27 Setembro de 2011 as 9:39

Marcos Assunção alerta para pontos perdidos em

empates sofridos no fim (Foto: Ag. Estado)

  O empate por 1 a 1 com o Atlético-GO, no Serra Dourada, foi a confirmação de uma amarga rotina do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. Mesmo com dois jogadores a mais e a vitória parcial por 1 a 0, o Verdão bobeou na defesa e sofreu um inesperado empate em Goiânia. Só neste Brasileirão o Verdão saiu na frente e cedeu o empate no segundo tempo em seis oportunidades – 12 pontos a menos na conta. Além de se distanciar da briga por título e ter desvantagem em relação aos concorrentes por Libertadores, o time ratificou a sina de rei do empate: foram 12, em 26 jogos.

Com 39 pontos, o Palmeiras está na oitava colocação, a dois pontos do quinto colocado Fluminense – que abre a zona de classificação para a Libertadores. Contra Cruzeiro (duas vezes), Internacional, Bahia, Atlético-PR e Atlético-GO, o time teve apagões na defesa e se desconcentrou quando não devia, sofrendo gols considerados bobos pela comissão técnica: todos saíram depois dos 20 minutos do segundo tempo. Erros que se repetem, mas que precisam sumir para que o Verdão siga na briga por grandes objetivos.

- Estamos pecando por nós mesmos. O time não está conseguindo fazer a diferença nos momentos em que precisa. Isso está prejudicando, não podemos ficar adiando nossa recuperação. Daqui a pouco estaremos nas últimas cinco partidas a três, quatro, cinco pontos da Libertadores, e assim não vamos conseguir chegar – alertou o volante Marcos Assunção.     Com esses 12 pontos na tabela, o Palmeiras seria líder com a marca de 51, dois acima do Vasco, atual ponteiro do Brasileirão. São apenas projeções, mas que dão a dimensão do estrago que as bobeadas causaram. Na maioria desses empates, o Verdão estava em situação favorável.

Quando encontrou situação adversa, o time reagiu. Contra o Avaí, em Florianópolis, os comandados de Felipão tiveram de buscar a igualdade mesmo atuando com um a menos. No fim, com nove contra dez, a equipe segurou o resultado com certa tranquilidade.

- Conseguimos segurar o Avaí, mas não conseguimos vencer com dois a mais. São vacilos que nos fazem sofrer. Foi um balde de água fria que vai ser difícil de ser esquecido durante a semana – lamentou Assunção.

- Nós tínhamos de ter vencido o jogo, somos o Palmeiras. Temos de parar com esses vacilos – decretou o volante.

A ordem é acabar com a desatenção. Para isso, o elenco tem semana cheia de treinos até o duelo de sábado contra o lanterna América-MG, no Canindé. Os 12 jogos finais são tratados como decisões, e o pacto fechado após conversa entre os líderes do grupo e o presidente Arnaldo Tirone é bem claro: no mínimo, uma vaga na Libertadores. Por um 2012 mais tranquilo e com menos bobeadas.            

veja também