MENU

O sucessor: Deola lamenta adeus de Marcos, mas planeja nova 'dinastia'

O sucessor: Deola lamenta adeus de Marcos, mas planeja nova 'dinastia'

Atualizado: Sexta-feira, 6 Janeiro de 2012 as 2:03

Deola, em treino do Palmeiras na Academia

(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

A transição na meta do Palmeiras foi lenta, gradual, e chegou ao fim nesta semana, com a aposentadoria do goleiro Marcos. Desde 2010, Deola é apontado como o sucessor natural do “Santo”, e vai iniciar sua dinastia no dia 14 de janeiro, em amistoso contra o Ajax-HOL. Os problemas no joelho de Marcos fizeram seu reserva imediato ter uma sequência maior de partidas nos últimos dois anos – foram 79 aparições no total. Por isso, Deola já está acostumado com a pressão e não sentirá tantas mudanças com o adeus do ídolo.

A tristeza, porém, não vai acabar tão cedo. A convivência de cerca de 12 anos com Marcos deu origem a uma grande amizade, que superou os limites da Academia de Futebol. Deola não escondeu o sentimento de perda ao falar sobre a aposentadoria do amigo.

– O ano começa meio triste, a despedida dele é muito triste. Vai fazer muita falta no cotidiano do clube, mas depois dos dois meses de férias ele vai voltar rapidinho. Conversei com ele, passei metade da minha vida trabalhando com o Marcos. Então pelo menos 60% do que eu sei hoje devo a ele – afirmou Deola.

O novo titular do Verdão engrossou o coro daqueles que querem um busto de Marcos na Arena Palestra.

Deola chegou até a sugerir que a camisa 12 não seja utilizada por algum tempo, como forma de homenagear o amigo – é o número preferido de Marcos. Aos 28 anos, Deola diz não ter visto alguém maior com a camisa do Palmeiras.

– Difícil dizer se foi o maior da história, mas dos que eu vi, sem dúvida foi o maior do Brasil. Foram quase 20 anos como titular absoluto, isso não é para qualquer um. Ele escreveu uma bela história e vai ser difícil alguém igualar tudo isso – justificou.

Espelho para o futuro

Se a dinastia da camisa 12 terminou, Deola quer tentar fazer o mesmo com seu número 22, considerado “cabalístico” para o goleiro. Ele tem contrato com o Verdão até dezembro de 2015 e espera cumprir o acordo até o final. Depois disso, se a forma física ainda estiver em dia, a intenção é continuar. A convivência com Marcos fez de Deola um espelho do ídolo: não quer sair do Verdão enquanto o quiserem por lá.

– Essa camisa eu não troco por nada, é o meu número – avisou.

Depois, Deola discorreu sobre seu sentimento em relação ao clube:

– Tenho contrato até 2015 e não pretendo sair. Sei que jogador tem prazo de validade, mas enquanto eu estiver ajudando o Palmeiras, quero continuar. Enquanto o casamento der certo, estou muito feliz. São 12 anos, quase metade da minha vida vivida aqui. Tenho prazer de estar aqui e quero dar sequência por um bom tempo.

Como já vinha jogando a maior parte da temporada passada, o goleiro não vai sentir falta de ritmo ou qualquer outro problema enfrentado por um reserva. Mas agora, sem Marcos, Deola será definitivamente a bola da vez e homem de confiança do técnico Luiz Felipe Scolari e do preparador Carlos Pracidelli. A ficha do goleiro ainda não caiu.

– Até agora não parei para pensar se muda alguma coisa, acho que não muda nada, há dois anos tenho uma boa sequência, com mais de 70 jogos pelo clube. Eu já era útil para o grupo. Continua assim, a responsabilidade é a mesma do ano passado, defender o Palmeiras e tentar fazer o melhor possível. Se eu começar a pensar que vai ser diferente, vai ser uma pressão desnecessária. A cada jogo tento melhorar, é isso que vou fazer nesse ano – planejou Deola.   Deola já não tem a companhia de Marcos nos treinos...  (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)      

veja também