MENU

Orlando Silva decide deixar o Ministério do Esporte

Orlando Silva decide deixar o Ministério do Esporte

Atualizado: Quarta-feira, 26 Outubro de 2011 as 3:12

O ministro do Esporte, Orlando Silva, vai entregar sua carta de demissão nesta quarta-feira em encontro com a presidente Dilma Rousseff, marcado para as 15h. Orlando Silva vai reafirmar sua inocência à presidente e dizer que a sua saída do comando da pasta será melhor para o Brasil. O nome de consenso do PCdoB para substituí-lo é o do deputado federal Aldo Rebelo, ex-ministro de Relações Institucionais do governo Lula. Além de Aldo, o nome que passa a ser citado por integrantes da legenda é o da deputada e ex-prefeita de Olinda Luciana Santos (PE). Neste momento, a bancada do PCdoB está reunida na liderança do partido. O cuidado da bancada é para que não haja nenhuma imposição e para que seja um nome do agrado da presidente Dilma Roussseff. Também concorre à vaga o maranhense Flávio Dino, atual presidente da Embratur, advogado, ex-juiz e ex-deputado do PCdoB, segundo o blog de Ancelmo Gois.   A decisão foi tomada durante reunião no Palácio do Planalto, pela manhã, para discutir o agravamento de sua situação, com a abertura do inquérito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar as denúncias de desvio de verbas do Programa Segundo Tempo . Participaram da reunião o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, o presidente do PCdoB, Renato Rabelo, além dos líderes do partido na Câmara, Osmar Júnior, e no Senado, Inácio Arruda.

Após o encontro, Orlando postou no Twitter que hoje ele tem um almoço especial. "Hoje meu almoço é especial, com D. Vanda, minha mãe, aniversariante. E ela veio da Bahia só para isso. Mulher guerreira, grande exemplo", escreveu.

Antes da reunião, o presidente do PCdoB teve uma longa conversa com Orlando, já para avaliar o cenário contra o ministro. Na segunda-feira, a avaliação do Planalto era de que o partido deveria conduzir saída do ministro .

Em reunião da cúpula do PCdoB na terça-feira à noite, na casa do deputado Aldo Rebelo (SP), os integrantes do partido jogaram a toalha e decidiram que não havia mais como sustentar a permanência de Orlando Silva. Depois de muita discussão com o presidente do partido e outros líderes, o nome de consenso para substituir Orlando era o do ex-ministro Aldo Rebelo.

- A unanimidade da bancada concluiu que a situação era insustentável e estava atingindo o partido como um todo. Num primeiro momento, a decisão era se unir em torno do nome de Orlando porque todo mundo achava que era tudo mentira, e ainda acha. Mas ele perdeu todas as condições políticas de continuar no cargo. Na reunião a coisa se afunilou para o nome do Aldo - contou um dos parlamentares presentes à reunião.

Cancelado na Câmara depoimento do PM delator

O policial militar João Dias Ferreira, delator das denúncias de supostas irregularidades no Ministério do Esporte, desistiu de comparecer à Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara na tarde desta quarta-feira. A desistência foi anunciada pelo presidente da comissão, deputado Sérgio Brito (PSC-BA). O motorista Célio Soares também não deve comparecer. O cancelamento do depoimento frustrou a oposição.

Já Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, advogado do ministro do Esporte, Orlando Silva, já havia informado antes do cancelamento que acompanharia os depoimentos na Câmara relacionados às denúncias de corrupção no ministério. Kakay disse que fará isso atendendo a um pedido do próprio ministro. Ele também anunciou que, em caso de acusações "levianas e irresponsáveis", entrararia imediatamente com queixas-crime contra os detratores.        

veja também