MENU

Oscar faz justiça e dá vitória ao Inter contra o Juan Aurich-PER

Oscar faz justiça e dá vitória ao Inter com boa atuação

Atualizado: Sexta-feira, 10 Fevereiro de 2012 as 8:25

Até que alguém prove o contrário, Oscar é do Inter. E o camisa 16 foi justamente a principal peça na vitória por 2 a 0 do Colorado sobre o Juan Aurich, do Peru, na noite desta quinta-feira, em um Beira-Rio com aproximadamente 30 mil torcedores - Dátolo voltou a mostrar que tem estrela e, no fim do jogo, completou o placar.

Oscar é alvo de disputa com o São Paulo, que recuperou na Justiça os direitos sobre o jogador. No entanto, ele só será notificado oficialmente pelo Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP) quando a decisão for publicada no Diário Oficial, o que ocorrerá no próximo dia 17 de fevereiro.

O Tricolor alega que Oscar não tinha direito de assinar com o Inter, que comprou ano passado 50% dos direitos do jovem meia. Ele começou no Morumbi em 2004, com 13 anos, e aos 16, emancipado pela mãe, fechou com o clube paulista um contrato de cinco anos - vice de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes chegou a ironizar o gol marcado contra a equipe peruana.

Imbróglio à parte, o Inter larga na primeira colocação do Grupo 1 da Libertadores, com três pontos - The Strongest, da Bolívia, e Santos completam a rodada na próxima quarta-feira, no estádio Hernando Siles, em La Paz. O próximo compromisso do Colorado pela competição sul-americana é justamente contra o Peixe, atual campeão, no dia 8 de março, às 19h30m (de Brasília), na Vila Belmiro.

Antes, no entanto, volta a campo pelo Campeonato Gaúcho. Neste domingo, no estádio Centenário, enfrenta o Caxias, às 17h (de Brasília). O Inter, com um jogo a menos, é o quarto colocado do Grupo A da Taça Piratini, primeiro turno do estadual.

O problema judicial com o São Paulo fez de Oscar o personagem da semana. Na chegada ao Beira-Rio, se disse “tranquilo” para atuar. Quem não chegou junto com a delegação colorada foi o volante Tinga. Com dores na coxa direita, deverá parar por até 30 dias. Bolatti é o substituto imediato.

Antes da partida, o zagueiro Fleitas polemizou ao afirmar: “vocês acham que vou deixar o D’Alessandro passar?”. A frase soou como um aviso de que o argentino não teria paz em campo. Foi exatamente o que aconteceu. Em seis minutos, o camisa 10 do Inter já havia sofrido quatro faltas.

Com a bola rolando, não se via uma boa partida tecnicamente. O time colorado martelava na defesa adversária, mas pouco criava efetivamente. Forte fisicamente, os peruanos batiam, empurravam, complicavam.

Gol “Eu sou daqui”

A muralha do Juan Aurich durou 24 minutos. Foi quando Oscar recebeu no meio de campo, tabelou com Leandro Damião e, da entrada da área, bateu de canhota, rasteira, com categoria: 1 a 0. Era o gol “Eu sou daqui”. Na comemoração, o garoto correu para a frente da torcida, apontou para o símbolo e depois para o gramado.

A violência excessiva do time visitante foi punida aos 36 minutos. Ortiz cometeu falta dura e, como já tinha recebido o amarelo, acabou expulso. Mesmo com um a mais, o Inter não era objetivo ofensivamente. Somente aos 45 saiu a segunda chance de gol, com chute de Dagoberto. A melhor oportunidade veio um minuto depois, quando Kleber surgiu da defesa como homem surpresa e bateu cruzado, na rede pelo lado de fora.

Pelo lado adversário, uma única e tímida chance, aos 44. Valencia aproveitou rebote e desferiu pancada da intermediária, que não teve problema para ser defendida por Muriel.

Pressão total

Na volta do intervalo, Índio foi para o gramado, troteou, mas não teve jeito. Pediu para sair e foi substituído por Bolívar. Com um a mais, o Inter se lançou todo ao campo ofensivo. Por outro lado, o Juan Aurich praticamente só se defendia, mantendo apenas Zuñiga no ataque. Por vezes, a retranca era com oito jogadores postados na defesa. Não acionado, Muriel se aquecia na área colorada.

Sem penetração na área, a alternativa encontrada pelo Inter era com chutes de fora da área. Aos 11, Oscar tirou tinta da trave. Três minutos depois, Damião exigiu defesa monumental de Penny, com uma conclusão que tinha endereço do ângulo esquerdo.

Penny, aliás, se tornou o destaque individual da segunda etapa. Primeiro, se esticou todo no gramado e evitou aquele que seria gol de Bolatti. Já aos 39, fechou o ângulo e novamente brecou Damião. O centroavante havia tentado de “cavadinha”. O Juan Aurich subiu pouco ao ataque. Chegou a levar perigo em alguns cruzamentos, mas não teve chance real de gol.

Quem conseguiu marcar foi Jesus Dátolo, aos 45 minutos. O argentino, que havia substituído Bolatti, aproveitou sobra sobrada na área e soltou uma pancada. A bola rebateu no travessão antes de entrar. E o Inter parte com o pé direito rumo à classificação para as oitavas.

veja também