MENU

Ouro, Felipe França ignora polêmica: Coisa de quem não tem o que fazer

Ouro, Felipe França ignora polêmica: Coisa de quem não tem o que fazer

Atualizado: Quarta-feira, 3 Agosto de 2011 as 9:26

A recepção foi digna do ouro conquistado. Após vencer a prova dos 50m peito no Mundial de Xangai, Felipe França teve direito a faixa, família à espera e entrevista concorrida em seu desembarque no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, no fim da tarde desta terça-feira. O nadador brasileiro comemorou o bom resultado na China, e disse ter ficado chateado com a polêmica criada em torno de um suposto movimento irregular na chegada.

  Felipe França com a medalha de ouro no desembarque em São Paulo (Foto: João Gabriel / GLOBOESPORTE.COM)

- Na hora que eu vi, pensei: “Isso é coisa de quem não tem o que fazer. Vão arrumar algo para fazer!”. Mas, depois, conversei com o meu técnico e fiquei mais calmo. É normal – disse o nadador.

Com imagens de uma câmera subaquática, uma reportagem no site da "Swimming World Magazine" aponta uma golfinhada - pernada executada pelo brasileiro na chegada da prova. O movimento não é permitido segundo as regras da Federação Internacional de Natação (Fina).

Como a Fina não usa vídeo para ajudar os árbitros - que não viram a irregularidade - e como não houve recurso dos adversários, a medalha de Felipe foi mantida. A imagem subaquática mostra que Felipe dá uma golfinhada, e a câmera de cima revela que o brasileiro é o único a levantar água da piscina com os pés na hora de chegada.

Felipe sabe que os 27s21 que o levaram ao ouro em Xangai serão insuficientes para repetir a dose em seu próximo grande compromisso: os Jogos de Londres, em 2012, já que os 50m peito não fazem parte do programa olímpico. Nos 100m peito, o nadador não conseguiu chegar à final no Mundial. Ele, no entanto, não desanima.

  Felipe França foi recebido por familiares no

desembarque ( João Gabriel / Globoesporte.com)     - Eu preciso entrar em uma melhor forma física. Não tenho de mudar tanto o trabalho dentro e fora da piscina. Com o tempo que eu fiz, ficaria em quarto na final. Então, é tentar melhorar a forma física.

O nadador reconhece que não está em sua melhor forma física, embora, confiante, diga que isso não tenha influenciado tanto, ao menos nos 50m peito.

- Não, porque eu ganhei o ouro.

Após a prata no Mundial de Roma, em 2009, porém, Felipe diz que o fator psicológico fez a diferença em Xangai.

- (A prata em 2009) não estava entalada. Foi um aprendizado. Foi mais um desabafo. Eu tenho trabalhado, mas sei que, fisicamente, já estive melhor. Mas a parte psicológica estava forte.

Nem toda a delegação brasileira desembarcou em São Paulo nesta terça-feira. Com dois ouros no Mundial, Cesar Cielo permaneceu na China por conta de documentos extraviados em Xangai. Alguns outros nadadores, como Thiago Pereira, também não voltaram ao Brasil. Kaio Marcio, que ficou fora da final dos 100m borboleta, lamentou, mas afirmou que o objetivo principal é ir bem nas Olimpíadas de Londres.

- Não consegui os meus melhores resultados, mas acontece. Ainda temos Pan para tentar. O que vale, na verdade, é chegar bem em Londres. Lá, temos que chegar para ganhar. E vamos treinar para isso.

veja também