MENU

Palco da estreia do Brasil na Copa recebe os últimos retoques

Palco da estreia do Brasil na Copa recebe os últimos retoques

Atualizado: Terça-feira, 8 Junho de 2010 as 8:55

O Ellis Park Stadium, em Joanesburgo, palco da estreia do Brasil na Copa do Mundo, dia 15 de junho, contra a Coreia do Sul, está praticamente pronto. O gramado, que parecia mais um areião há algumas semanas, já está verde. Nesta segunda-feira pela manhã, o GLOBOESPORTE.COM visitou o estádio para conferir como andam os trabalhos. O primeiro jogo no local será disputado dia 12 de junho: Argentina e Nigéria.

Funcionários usam uma máquina com luzes para secar o gramado após a irrigação. O ar seco de Joanesburgo prejudica a grama, por isso, esse processo é repetido várias vezes ao dia. As traves ainda não foram instaladas. Os banheiros estão prontos - bem equipados - e limpos. Do lado de fora, ainda há pequenos detalhes sendo finalizados, últimas peças sendo soldadas.

O acesso ao estádio já não é tão fácil como no início. Seguranças guardam todas as entradas. O sistema de catracas eletrônicas já está funcionando. São pequenos portais com catracas grandes, que só são liberadas após a validação do ingresso.

O estádio foi reformado para a Copa do Mundo e chama atenção. Ele não é tão impressionante quanto o Soccer City, palco da abertura e da final do mundial, que acabou se tornando um monumento, mas é funcional, moderno, confortável. Está encravado numa área central de Joanesburgo. É parecido com os estádios ingleses: formado quadrado, com cadeiras bem próximas ao gramado.

Palco histórico

O Ellis Park foi inaugurado em 1928 e era usado exclusivamente para partidas de rúgbi. Em 1982, ele foi demolido e reerguido, ampliando a capacidade de 57 mil para 61 mil espectadores. Em 1995, o estádio recebeu a final da Copa do Mundo de rúgbi, disputada entre África do Sul e Nova Zelândia e vencida pelos sul-africanos. O evento se tornou histórico foi utilizado por Nelson Mandela, então recém-eleito presidente do país, para unir brancos e negros, que passaram quase 40 anos separados por causa da política oficial de segregação racial.

Postado por: Cristiano Bitencourt

veja também