MENU

Palermo revela sonho: 'Gostaria de ter jogado com Ronaldo'

Palermo revela sonho: 'Gostaria de ter jogado com Ronaldo'

Atualizado: Segunda-feira, 27 Junho de 2011 as 11:41

Palermo deixa campo com camisa do Boca

(Foto: agência Reuters)

  Horas antes de se despedir do futebol com a camisa do Boca Juniors, diante do Gimnasia La Plata, no dia 18 de junho, o argentino Martín Palermo, de 37 anos, revelou um sonho que não conseguiu alcançar na carreira: jogar ao lado de Ronaldo Fenômeno. O ex-atacante que, além do Boca, já defendeu Estudiantes, Villarreal, Betis e Alavés, se rendeu ao talento do brasileiro, em entrevista ao site oficial da Fifa, a última como jogador.

- Gostaria de ter jogado com o Ronaldo, que enfrentei na Copa América e em um Villarreal x Real Madrid. Tenho uma camisa dele e o admiro muito pela sua qualidade e por tudo o que ele representa. Adoraria ter feito dupla de ataque com ele.

Com 306 gols marcados em 19 anos de carreira, Palermo falou sobre um dos momentos mais marcantes na carreira: os três pênaltis perdidos contra a Colômbia, na Copa América de 1999.

- Um duro golpe que me fez aprender a superar situações negativas. Durou muito tempo. Na televisão passam toda hora e sinto algo que não sei explicar... Fico me perguntando por que teve de ser daquela maneira e por que teve de ser comigo. Mas tudo bem, podemos enumerar dez outras situações positivas que também aconteceram comigo por casualidade.

Palermo comentou os gols mais importantes da carreira. Dois deles foram contra o Real Madrid, na Copa Intercontinental, em 2000.

- Foram os dois gols mais importantes que fiz com a camisa do Boca. Aquele momento está entre os três mais importantes da minha carreira.

Palermo é ovacionado pelos argentinos (Foto: agência Reuters)

  Outro gol dramático foi contra o Peru, nas últimas eliminatórias.

- Esse briga pelo primeiro lugar com os gols contra o Real Madrid. Tinha 30 pernas na minha frente, com chuva, barro e vento. O estado da bola, a água que caía por todos os lados, estávamos ficando fora do Mundial... Como falava sobre os pênaltis contra a Colômbia, essa foi uma das situações que, por algum motivo, aconteceram comigo. A bola caiu justo no meu pé. Estava parado e ela veio para mim. Para os que dizem que a minha carreira foi um filme, aquele lance mereceria um pequeno capítulo.

Palermo lembrou o incidente em que sofreu uma lesão na Espanha, após um pedaço do muro de proteção ter caído sobre sua perna.

- Foi terrível, demorei muito para me recuperar. Quando machuquei o joelho no Boca, tive o apoio do público e fui mimado, acompanhado. Lá não me trataram mal, mas é diferente. Sofri a lesão quando estava me adaptando e depois tudo foi duas vezes mais difícil.

Questionado sobre os diversos cortes de cabelo que já teve, o argentino elegeu seu preferido.

- O topete, apesar do furor que gerou, não me ajudava muito. O platinado, mais ou menos. Acho que hoje com estas luzes fiquei bem. Pelo menos posso ficar assim mais alguns anos. O platinado e o topete teriam sido impossíveis - brincou.

Torcida do Boca apoio um dos maiores ídolos (Foto: Divulgação)

  O ex-atleta também relembrou a despedida da Bombonera, e o presente inusitado que ganhou do Boca: um dos gols do estádio.

- Pensei em doar ao museu do clube, mas é grande demais! Junto com o monumento que vão colocar, seria um exagero. Por comodidade, tentarei colocá-lo em um complexo que tenho em La Plata. Quem sabe a gente não faz um centro turístico com o gol do Palermo? Fiquei surpreso, nem imaginava. Via as gruas e não entendia o que estavam fazendo lá. Não sabia se iriam me levantar, realmente não esperava... Mas gostei da ideia: o gol e a bola fizeram parte da minha vida.

Sobre o futuro como técnico, Palermo diz que aceitaria dirigir outras equipes que não fossem o Boca Juniors.

- Menos River e Gimnasia, por uma questão de respeito pelos meus princípios e pela identificação que tenho com Boca e Estudiantes. Depois, estou aberto a dirigir outras equipes. Vamos ver o que nos reserva o futuro.

Gol é retirado do estádio La Bombonera (Foto: Divulgação/Site Oficial)

  Palermo ainda lembrou de deixar uma mensagem aos fãs de futebol.

- Um agradecimento por tudo o que me deu. Nós jogadores sempre dizemos que seria importante ter uma bola de futebol na mesinha de cabeceira para agradecer sempre, quando dormimos e quando acordamos. Acho que é isso mesmo. Vivi do futebol por 15 ou 20 anos. Devo muito e estarei agradecido para sempre.              

veja também