MENU

Palmeiras arranca empate contra a Lusa, mas não se livra da 'ressaca' pós-clássico

Palmeiras arranca empate contra a Lusa, mas não se livra da 'ressaca' pós-clássico

Atualizado: Sexta-feira, 5 Fevereiro de 2010 as 12

O Palmeiras fez contra a Portuguesa o seu primeiro jogo após a derrota no clássico contra a Corinthians por 1 a 0. Mas mesmo atuando em casa, o time alviverde sofreu com os desfalques de Cleiton Xavier e Léo e não saiu do empate por 1 a 1.

O resultado deixou o Palmeiras em posição intermediária na tabela de classificação do Campeonato Paulista com nove pontos, na sétima colocação. Já a Portuguesa tem um ponto a menos, mas ocupa agora o nono lugar.

As duas equipes se preparam agora para voltar a campo neste domingo pela sétima rodada do Campeonato Paulista. O Palmeiras vai até Bragança enfrentar o Bragantino, enquanto a Portuguesa encara a Ponte Preta no Moisés Lucarelli.

O jogo

A chuva que castigou o gramado do Parque Antarctica antes da partida prejudicou as duas equipes durante o primeiro tempo. Mesmo assim, ambos os times criaram boas chances de gol.

Com Cleiton Xavier suspenso, havia a expectativa que o Muricy optasse por uma formação mais defensiva, com três volantes. O treinador, no entanto, surpreendeu e promoveu a entrada de três meias para envolver a Lusa - Sacconi, Diego Souza e Joãozinho.

Assista aos gols da partida:

Quando a partida começou, o Palmeiras manteve domínio da posse de bola no meio-campo, mas teve dificuldades para criar chances claras de gol. A Portuguesa, por sua vez, não chegou com tanta frequência à meta rival, mas ainda assim criou as melhores oportunidades no início do duelo.

Aos poucos, o setor ofensivo alviverde começou a envolver o adversário movido pelos avanços de Diego Souza. Quando parecia que o Palmeiras finalmente sairia na frente, a Portuguesa se aproveitou de uma falha de Pablo Armero para abrir o placar com Luís Carlos, aos 31min.

Depois disso, o time da casa tentou abafar o rival para chegar ao empate, mas não saiu do zero até o intervalo. “Não conseguimos nos infiltrar na zaga deles. O campo está prejudicando com as poças, mas precisamos de tranquilidade porque temos condições de virar. Se fizermos o primeiro, conseguimos virar”, ponderou Marcos a caminho do vestiário.

No segundo tempo, o Palmeiras voltou melhor no jogo, ajudado pelo sol que deu o ‘ar da graça’ no estádio após a chuva tê-lo castigado por boa parte da partida. E o time alviverde chegou ao empate na jogada que mais o caracteriza na era Muricy Ramalho: a bola aérea - em falha da defesa da Portuguesa, o zagueiro Danilo deixou a sua marca.

Comandado por Diego Souza (chegou a chutar uma bola na trave), que cresceu de rendimento durante a segunda etapa, o Palmeiras pressionou a Portuguesa, mas não conseguiu marcar o gol da vitória, pois pecou nas finalizações. A Lusa também foi perigosa nos contra-ataques, mas não fez o segundo gol.

"Em algumas bolas faltou um pouco de sorte. Tomamos um gol bobo que num jogo igual como esse acaba atrapalhando", reconheceu o atacante Lenny, que entrou durante a partida.

Por: Rodrigo Farah

veja também