MENU

Palmeiras cede o empate ao Goiás no final

Palmeiras cede o empate ao Goiás no final

Atualizado: Domingo, 8 Agosto de 2010 as 6:19

Márcio Araújo levou vantagem sobre a marcação de

Wellington Monteiro na partida deste domingo

(Foto: André Costa / Agência Estado)  

Ainda não foi neste domingo que o Palmeiras comemorou uma vitória sob comando do técnico Luiz Felipe Scolari. Depois de um bom primeiro tempo, quando a equipe abriu 1 a 0 e controlou a partida, na etapa complementar, o Verdão se acovardou, permitiu o crescimento do rival que, com um gol de cabeça no finalzinho, decretou o justo empate por 1 a 1. O destaque da partida foi o volante Amaral, do Goiás. Foi dele a falha que originou o gol de Ewerthon, no primeiro tempo. Porém, o camisa 8 não se abateu, foi ao ataque, e marcou o gol que fez a festa dos pouco mais de 13 mil pagantes presentes ao estádio Serra Dourada.

Com a igualdade no marcador, o Palmeiras continua na zona intermediária da tabela de classificação. O time é o 11º, com 16 pontos. Já o Goiás, que foi a 13, se mantém na posição que abre a zona de rebaixamento. Os dois times voltarão a campo pelo Nacional no próximo final de semana. No sábado, dia 14, o time paulista receberá o Atlético-PR no estádio do Pacaembu. No dia seguinte, o time esmeraldino vai até Porto Alegre encarar o também desesperado Grêmio. O Palmeiras, no entanto, também irá a campo na quarta-feira, já que estreará na Copa Sul-Americana na quarta-feira, contra o Vitória, em Salvador.

Ewerthon aproveita falha adversária e marca

Pressionado por sua péssima campanha no Campeonato Brasileiro, o Goiás tomou a iniciativa da partida. Jogando com velocidade pelo lado direito, o time criou uma boa chance aos oito, quando Douglas fez bela jogada, invadiu a área e cruzou para Everton Santos, que falhou feio na finalização. Mas, como a fase não é boa, uma bobeada da defesa goiana permitiu o gol palmeirense e mudou a história da partida.

 Aos 12, Jonilson recuou uma bola fácil para Amaral que, no entanto, dominou errado. Kléber, esperto, roubou e fez belo passe para Ewerthon, que livre na área, disparou uma bomba rasteira e acertou o canto rasteiro esquerdo de Harlei, que pulou e não alcançou nada: Verdão 1 x 0.

Esse gol fez o Goiás se perder completamente em campo. O time seguiu buscando o ataque mas, sem qualidade, além de não criar nada, passou a deixar o contra-ataque à disposição ao Palmeiras. Aos 18, o segundo gol só não saiu porque Kleber, após passar por três marcadores, preferiu arriscar o chute e errou, ao invés de tocar para Patrik, que invadia livre a área. Seis minutos depois, Patrik cobrou falta pela esquerda, Harlei espalmou e a zaga esmeraldina afastou o perigo.

 A tranqüilidade do Palmeiras era tamanha em campo que o Goiás só voltou a importunar aos 35, em cobrança de falta de Bernardo, bem defendida por Deola. Seis minutos depois, após cruzamento da esquerda de Júnior, a bola sobrou dentro da pequena área para Everton Santos, que dominou e bateu por cima do gol, perdendo um gol inacreditável. (Reveja o lance) . Antes do apito final de Sandro Meira Ricci, o goleiro do Verdão voltou a trabalhar em chute de Everton Santos.

Etapa complementar

Das tribunas, já que foi punido pelo STJD e não pode ficar no banco de reservas, o técnico Emerson Leão resolveu mexer no Goiás para o segundo tempo. Ele sacou o meia Bernardo e colocou o atacante Felipe, que foi o artilheiro da equipe no Brasileirão do ano passado. Com isso, Everton Santos foi recuado para o meio. O Verdão, que voltou com o mesmo time, chegou com perigo logo aos dois minutos, quando Armero fez bela jogada pela esquerda e cruzou para Ewerthon, que não alcançou a bola.

Aos seis, o Goiás chegou a empatar, mas o lance foi bem anulado pela arbitragem. Douglas desceu pela direita e cruzou na área para Pedrão que, em impedimento, ajeitou para Everton Santos marcar o gol. O auxiliar César Augusto de Oliveira Vaz, corretamente, assinalou a infração e o juiz Sandro Meira Ricci anulou o gol.

A entrada de Felipe deu novo gás ao Goiás, que melhorou muito de produção. Everton Santos, no meio, apareceu para o jogo e o time também passou a contar com o apoio dos laterais, o que até então não acontecia. O Palmeiras, claramente, recuou sua marcação para tentar encaixar um contra-ataque e matar a partida. E isso irritou Luiz Felipe Scolari que, aos 17, fez a primeira mudança, sacando o apagado Vitor para colocar o veterano Marcos Assunção. Com isso, Márcio Araújo saiu do meio-campo e foi para a lateral-direita. Depois, sacou Ewerthon e colocou o estreante Luan. No Goiás, Leão respondeu com duas mudanças: Romerito e Otacílio Neto nas vagas de Douglas e Everton Santos.

Goiás pressiona e gol sai no fim

O time da casa aumentou ainda mais seu ritmo nos últimos 25 minutos. Aos 24, Felipe recebeu dentro da área, cortou a marcação de Maurício Ramos e bateu firme, no canto direito baixo de Deola, que fez um milagre e mandou a bola para escanteio. Felipão, irritado com a produção do seu time, fez mais uma mudança. Percebendo que o adversário dominava o meio-campo, ele sacou Kleber, que pouco fez em campo, para colocar o volante Tinga. De nada adiantou. Aos 45, após cobrança de falta da direita, Amaral subiu mais alto que a zaga palmeirense e, de cabeça, decretou o justo empate. (Reveja o lance)     Por GLOBOESPORTE.COM Goiânia

veja também