MENU

Palmeiras e Cruzeiro conseguem efeito suspensivo, e Kleber pode jogar

Palmeiras e Cruzeiro conseguem efeito suspensivo, e Kleber pode jogar

Atualizado: Terça-feira, 13 Julho de 2010 as 9:23

Cruzeiro e Palmeiras resolveram a situação de Kleber e o atacante pode reestrear oficialmente pelo Verdão. Nesta segunda-feira, os clubes conseguiram um efeito suspensivo da decisão que impedia o clube mineiro de realizar transferências, por conta de uma dívida com o Goytacaz. O efeito foi obtido no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Assim, o Gladiador está liberado para jogar. A diretoria espera registrar o contrato do jogador no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF ainda nesta segunda, para que ele possa enfrentar o Santos, quinta-feira, pelo Campeonato Brasileiro.

A decisão vale até o momento em que o Goytacaz conseguir um recurso especial que cancele o efeito suspensivo. Dessa forma, o Cruzeiro perderia novamente o direito de registrar jogadores. O clube tem três reforços que aguardam a resolução da pendência: Rômulo, Everton e Montillo.

Mas se o clube da segunda divisão carioca conseguir esse recurso, afetará apenas os mineiros. Isso porque o Palmeiras já se garantiu com um mandado de segurança, que mantém a decisão favorável ao Verdão mesmo que o Cruzeiro seja punido.

Kleber esteve na Toca da Raposa nesta segunda, para assinar documentos referentes à saída dele do clube mineiro. Nesta terça, ele já é esperado para voltar aos treinos com o grupo do Palmeiras, na Academia de Futebol.

Os advogados do Palmeiras, André Sica, e do Cruzeiro, Fabiano de Oliveira Costa, foram ao Rio depois que o nome de Kleber sumiu do Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. O Goytacaz cobra uma compensação de cerca de R$ 6,4 milhões pela transferência do atacante Jussiê, em 2001. Na ocasião, o Cruzeiro contratou o jogador e depois o negociou com o futebol francês. O clube fluminense alega que Jussiê saiu afirmando que iria encerrar a carreira. Porém, pouco tempo depois, apareceu com contrato assinado com a equipe celeste.

veja também