MENU

Palmeiras faz blitz, vence a Ponte por 2 a 1 e assume a liderança

Palmeiras faz blitz, vence a Ponte por 2 a 1 e assume a liderança

Atualizado: Sábado, 17 Março de 2012 as 9:05

iG São Paulo

Time de Felipão definiu placar em 12 minutos e segurou o adversário no final do jogo

Com um início de jogo arrasador, o Palmeiras venceu mais uma partida no Campeonato Paulista e assumiu pelo menos até este domingo a liderança do torneio. Contra a Ponte Preta, no Pacaembu, o time de Luiz Felipe Scolari fez dois gols em 12 minutos e encaminhou a vitória por 2 a 1. Juninho, aos dois minutos, e Marcos Assunção, aos 11, abriram o placar. Ferron, aos 36, diminuiu.

 

Veja fotos da partida do Palmeiras contra a Ponte Preta no Pacaembu

 

Juninho comemora seu gol, o primeiro do Palmeiras contra a Ponte Preta no Pacaembu

Foto: Gazeta Press

 

Torcedores mirins homenageiam o atacante Barcos, apelidado de "Pirata"

Foto: Gazeta Press

"Marcos

Marcos Assunção comemora seu gol de falta com Juninho, que abriu o placar

Foto: Gazeta Press

"Roger,

Roger, da Ponte Preta, em lance da partida contra o Palmeiras

Foto: Gazeta Press

"Juninho

Juninho toca por cima do goleiro Lauro para abrir o placar aos 2 minutos de partida

Foto: Gazeta Press

"Barcos

Barcos foi homenageado por torcedores neste sábado no Pacaembu

Foto: AE

"Jogadores

Jogadores entraram em campo com faixa da campanha da diretoria que pretende arrecadar fundos com torcedores para contratar Wesley

Foto: AE

"Ferron

Ferron comemora o gol da Ponte Preta no final do primeiro tempo

Foto: Gazeta Press

 

Veja a classificação completa e os próximos jogos do Campeonato Paulista

Com o resultado o Palmeiras segue sendo o único invicto do campeonato com 32 pontos, dois a mais que o Corinthians. O rival palmeirense joga neste domingo contra o Comercial, em Ribeirão Preto e se vencer reassume a ponta. Já a Ponte Preta se mantém entre oito que se classificariam para a segunda fase. Porém, seu rival Guarani o ultrapassou nesta rodada. A Ponte se mantém com 24 pontos. O Guarani foi a 26 ao bater o Mirassol também neste sábado.

Tanto Palmeiras como Ponte Preta têm clássicos na próxima rodada. No Pacaembu, o Palmeiras brigará com o Corinthians pela liderança do torneio. Em Campinas, no próximo sábado, a Ponte Preta tentará superar o Guarani jogando em casa, no Moisés Lucarelli.

O jogo A experiência com os dois meias surtiu efeito logo na primeira jogada ofensiva do Palmeiras. Aos dois minutos, Daniel Carvalho tocou para Valdivia na intermediária e recebeu a bola de volta, para fazer então a assistência para Juninho, que invadiu a área e finalizou na saída do goleiro, abrindo o placar. Desde os primeiros lances, Daniel Carvalho e Valdivia se alternavam entre o meio e o ataque. Os dois trocavam também de lados, confundindo a marcação do adversário. A Ponte tentou responder em cobrança de falta, que Ferron completou de cabeça, mas Deola fez a defesa.

Leia também: Ex-goleiro Marcos receberá homenagem de Dilma Rousseff

Aos 11, o Verdão ampliou. Em falta da meia-direita, Marcos Assunção viu os colegas pedindo a bola na área, mas cobrou direito, no ângulo da meta da Macaca, encobrindo o goleiro Lauro. Pouco depois, Juninho cruzou da esquerda para Valdivia cabecear, acertando o zagueiro.

A primeira grande oportunidade da equipe visitante saiu dos pés de seu principal jogador. Renato Cajá chutou de fora da área e deu trabalho para Deola mandar para escanteio. Do outro lado, Barcos ainda sofria com a forte marcação da Ponte, enquanto Valdivia e Daniel Carvalho seguiam encontrando espaços.

E mais: Palmeiras prorroga contrato e aumenta salário de Patrik

O camisa 83 recebeu do chileno pela direita e bateu forte, obrigando Lauro a espalmar. Para evitar que o Palmeiras ficasse exposto, Valdivia também voltava para ajudar na marcação, dando até carrinho para tentar roubar a bola. Porém, a Ponte conseguiu descontar. Aos 37, João Paulo cobrou escanteio e Ferron aproveitou falha defensiva alviverde para cabecear sozinho para as redes.

As duas equipes voltaram sem alterações para o segundo tempo, e a equipe de Campinas se mostrou mais disposta a buscar o ataque, mas acabou levando contragolpes. Em um deles, Valdivia pediu pênalti, em jogada que o árbitro considerou normal. Depois de um primeiro tempo apagado, Barcos aparecia mais no jogo. O argentino recebeu na meia-esquerda de Valdivia, girou e chutou para fora. No lance seguinte, o atacante dominou na área, driblou o marcador e arrematou para fora.

Ao perceber a evolução do adversário, Gilson Kleina fez duas mudanças na equipe. Agenor foi substituído por William Magrão, e Rodrigo Pimpão entrou no lugar de Enrico. A Ponte, inclusive, quase empatou o jogo, quando Magrão finalizou com perigo. Mas o Verdão voltou ao ataque. Daniel Carvalho avançou pela direita, ignorou pedidos de cruzamentos de Valdivia e bateu direto, para defesa de Lauro. Instantes depois, Barcos dominou na área e chutou no canto, exigindo boa defesa do arqueiro adversário.

Felipão, porém, constatou a queda no ritmo do meio-campo, e tirou Daniel Carvalho para a entrada de Tinga. Mas o Palmeiras continuou falhando na tentativa de marcar o terceiro. Barcos recebeu cruzamento livre e cabeceou para fora. Nos minutos finais, a Ponte Preta partiu para o ataque e levou sustos ao goleiro Deola, mas não conseguiu evitar a derrota.

FICHA TÉCNICA - PALMEIRAS 2 X 1 PONTE PRETA
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 17 de março de 2012, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Assistentes: Marco Antônio Gonzaga da Silva e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa
Cartões amarelos: Artur (Palmeiras). Agenor, João Paulo (Ponte)

Público: 19.152 pagantes
Renda: R$ 579.772,00

Gols: Juninho, aos 2, e Marcos Assunção, aos 11 minutos do primeiro tempo e Ferron, aos 37 minutos do primeiro tempo

Palmeiras: Deola; Artur, Leandro Amaro, Román e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vitor (Chico), Daniel Carvalho (Tinga) e Valdivia (Maurício Ramos); Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Ponte Preta: Lauro; Guilherme, Ferron, Diego Sacoman e Uendel; João Paulo, Agenor (William Magrão), Gerson (Márcio Diogo), Enrico (Rodrigo Pimpão) e Renato Cajá; Roger Técnico: Gilson Kleina


Continue lendo...

veja também