MENU

Palmeiras passa aperto, mas vence e agora vai encarar o rival Corinthians

Palmeiras passa aperto, mas vence e agora vai encarar o rival Corinthians

Atualizado: Segunda-feira, 25 Abril de 2011 as 8:23

Luiz Felipe Scolari manteve o seu bom histórico com o Palmeiras. Na 51ª partida eliminatória sob o comando do técnico, o Verdão bateu o Mirassol por 2 a 1 e agora se junta aos outros três grandes do estado na semifinal do Campeonato Paulista. Na noite deste domingo, no Pacaembu, o treinador alcançou a sua classificação de número 37. Mas não sem um pouco de drama.

Depois de sair na frente com um golaço de Valdivia, aos 10 do primeiro tempo, o Palmeiras levou o empate antes de descer para o intervalo, justamente de um ex-corintiano – Marcelinho, revelado pela base alvinegra e ainda atleta do Timão.

Os erros nas finalizações ficaram claros, principalmente com Luan. O atacante teve pelo menos duas boas chances de marcar, mas acabou desperdiçando. Coube a Márcio Araújo, atleta “queridinho” de Felipão e muito prestigiado no grupo, a missão de tirar a igualdade do marcador e colocar o Palmeiras no confronto com o Corinthians, que no sábado venceu o Oeste por 2 a 1.

Sem compromissos durante a semana, o Palmeiras apenas assiste à definição de seu adversário nas quartas de final da Copa do Brasil – o Coritiba - campeão paranaense invicto neste domingo - venceu o primeiro jogo contra o Caxias por 4 a 0 e joga a volta na quinta-feira. O Alviverde folga nesta segunda-feira e depois terá pela frente uma semana cheia de treinos até a decisão com o Corinthians. A outra semifinal será entre São Paulo e Santos, que eliminaram Portuguesa (2 a 0) e Ponte Preta (1 a 0), respectivamente.

A partida decisiva entre Palmeiras e Mirassol começou em alta velocidade, com as duas equipes tendo boas oportunidades. Apesar de ter apenas uma pequena torcida no Pacaembu de maioria verde e branca, o time interiorano não se intimidou e arriscou o primeiro chute contra Deola. Aos 4 minutos, o goleiro que deixou Marcos no banco de reservas espalmou um bom chute de Serginho.

A resposta alviverde veio logo em seguida, com Luan. O atacante recebeu de Marcos Assunção e chutou cruzado. Fernando Leal conseguiu livrar o Mirassol do primeiro gol. O camisa 21 teve outra oportunidade, aos 8 minutos, mas mandou por cima do travessão.

Aos 10, porém, Fernando Leal viu sua rede balançar. Sem firulas ou chutes no vácuo, Valdivia foi preciso. Da intermediária, acertou o ângulo direito do goleiro do Mirassol. Um golaço! O chileno, que na sexta-feira havia dito que esperava ser decisivo na hora certa - ele só tinha um gol no ano, contra o Noroeste -, decidiu. E comemorou imitando um coelhinho, em referência ao domingo de Páscoa.

Valdivia estava endiabrado. Sempre em alta velocidade e sem medo da marcação, ele causou a irritação de Esley, que foi amarelado pelo árbitro e logo substituído para evitar o pior – Marcelinho entrou na sua vaga.

A partir de então, o Palmeiras apresentava amplo domínio da partida. Parecia não sentir falta de Thiago Heleno e Cicinho, ambos lesionados. E perdia muitas oportunidades, principalmente com Luan. O Mirassol ficava com os contragolpes, com Xuxa e Serginho no comando. E foi assim que chegou ao empate. Depois de cobrança de escanteio, aos 40 minutos, Luis Henrique desviou, e Marcelinho completou para o gol.

Para diminuir os ataques palmeirenses, Ivan Baitello tentou fechar mais o time, tirando o lateral-direito Samuel e apostando em Daniel Marques. Mas o Alviverde esbarrava mesmo era em seus próprios erros.

Luan, como no primeiro tempo, desperdiçava muitos passes e conclusões. Até Kleber e Valdivia pareciam não se entender na hora do arremate final. Em uma das chances, o Gladiador driblou três dentro da área e cruzou. Mas o Mago não conseguiu alcançar a bola.

Se a frente não resolvia, o jeito era arriscar de longe. E foi o que fez Márcio Araújo, um dos “queridinhos” de Felipão no time. Aos 11 minutos, o volante viu o espaço abrir e arriscou. Fernando Leal não conseguiu alcançar. Os 2 a 1 evitavam os temidos pênaltis.

A situação palmeirense melhorou ainda mais quando Xuxa, principal homem do Mirassol, foi expulso por receber o segundo cartão amarelo. O Alviverde tinha mais espaço para avançar e dava liberdade para Valdivia emendar os seus chutes no vácuo.

No Mirassol, Marcelinho era o único que tirava alguma tranquilidade da defesa palmeirense. A velocidade do atacante, porém, não era páreo para a defesa alviverde, a melhor do estadual com somente nove gols sofridos. E no ataque, o time de Felipão seguia perdendo a oportunidade de conseguir uma vitória mais sossegada. Rivaldo, por exemplo, esteve frente a frente com Fernando Leal, mas o goleiro levou a melhor. E o arqueiro do Mirassol, no desespero, se mandou a outra área para ver se empatava a partida em cobrança de falta. Sem chances.

O que se viu depois disso foi uma troca de passes entre Lincoln e Kleber, nos acréscimos do jogo, que fez a torcida se acabar nos gritos de “olé” e de provocação ao rival Corinthians: “olêlê, ôlala, segura a gambazada que o bicho vai pegar!”          

veja também