MENU

Palmeiras promete aumento a Kleber, mas Fla mantém esperança

Palmeiras promete aumento a Kleber, mas Fla mantém esperança

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2011 as 9:13

Kléber no treino do Palmeiras (Foto: Ag. Estado)

  O Flamengo não desiste de Kleber. O clube do Rio de Janeiro ganhou tempo, mas não esperava uma resposta tão rápida do Palmeiras. A ausência do atacante na partida contra o Atlético-GO , devido a uma lesão na coxa esquerda, manteve a esperança rubro-negra de tirar o jogador do Verdão. Isto porque ele não disputou o sétimo jogo pelo clube paulista no Brasileirão, o que inviabilizaria a transferência para outra equipe da Série A, conforme regulamento da CBF. No entanto, o Palmeiras acena com proposta de aumento salarial para o jogador e deve marcar reunião para a próxima semana com a intenção de acertar as novas bases. O presidente Arnaldo Tirone é cauteloso, mas admite que o reajuste vai sair. Do outro lado, a proposta do Fla seduz: o GLOBOESPORTE.COM apurou que, além de levantar a verba para comprar os direitos econômicos do atacante, o Flamengo tenta convencê-lo a mudar para o Rio com uma generosa oferta salarial. Os rendimentos girariam em torno de R$ 500 mil.

- Ainda não é hora de falar sobre isso, vamos nos reunir nos próximos dias. Não passa pela minha cabeça perder o Kleber, ele é um atleta bem remunerado e vamos valorizá-lo da forma que merece – assegurou Tirone.

O Gladiador não entrou em campo, mas foi ao Canindé. De um camarote, viu, sem esboçar reações, o Alviverde derrotar os goianos por 2 a 0 ( veja, ao lado, a indiferença do atacante no momento do gol de Maikon Leite, que abriu o marcador ). Em entrevista, porém, Kleber assegurou que não há qualquer relação entre o desfalque e o assédio do Fla e reiterou a vontade de permanecer no Palmeiras.

- Sempre estive tranquilo, não há problema algum em relação ao que vem de fora. Quem responde à proposta do Flamengo é o Tirone. Por mim, não saio do Palmeiras – disse.

O fato é que o caso virou uma novela repleta de polêmicas e informações conflitantes sobre as cifras que envolveriam um possível negócio. No último dia 18, o Flamengo fez uma proposta de € 3 milhões (cerca de R$ 7 milhões) por 50% dos direitos econômicos - a outra metade pertence ao Cruzeiro – e por 100% dos direitos federativos de Kleber. A oferta foi recusada pelo Verdão. Os cariocas mantiveram o interesse e buscam uma alternativa para pagar a multa rescisória de € 6 milhões (equivalente a R$ 13,7 milhões), valor estabelecido por Palmeiras e Cruzeiro e firmado em documento. Desta maneira, o Alviverde não teria como frear o negócio, e a decisão ficaria com o jogador. Os mineiros sequer precisariam ser consultados. O Palmeiras teria de informá-los sobre o pagamento da multa em 24 horas e repassar metade do dinheiro.

O lado verde tem outra versão. O Palmeiras diz que R$ 13,7 milhões seria o valor mínimo combinado com o Cruzeiro para uma eventual negociação. Como não quer se desfazer do jogador, o clube poderia segurá-lo até o pagamento de uma multa que hoje é de R$ 143,6 milhões, 10% a menos do que o valor estipulado em sua chegada, há um ano (R$ 159 milhões). A cada ano de contrato que se passa, a multa cai em progressão geométrica - 20% depois do segundo ano, 40% ao fim do terceiro e 80% após a quarta temporada.

A informação que o Flamengo tem é de que a multa mais alta de fato existe, mas envolve apenas Kleber e Palmeiras em caso de rescisão do contrato (válido até junho de 2015) e está fixada em R$ 240 milhões, obtida por meio do novo texto da Lei Pelé, que utiliza a seguinte conta: multiplicar por 200 o salário anual do jogador. Tal multa, no entanto, não inviabilizaria o negócio com o Rubro-negro ou com qualquer outro clube disposto a pagar o valor mínimo estabelecido (€ 6 milhões).

A saída para o Palmeiras pode ser um aumento. Mesmo em rota de colisão com Arnaldo Tirone, o camisa 30 quer mesmo ficar. De preferência com a valorização substancial em seu contrato. No centro de toda a questão, Kleber diz que pode estar disponível para próximo jogo do Palmeiras, contra o América-MG, no dia 7, em Minas Gerais. Ele inicia a fisioterapia nesta sexta-feira e depende do aval dos médicos para retornar.

- Talvez eu já esteja pronto – resumiu.

Com mais tempo para trabalhar no caso, os dirigentes rubro-negros adotaram o silêncio. O discurso de que as negociações são tratadas internamente ganhou força nos últimos dias. Ficou mais difícil encontrá-los. As respostas são padronizadas e curtas: "sem novidades". Tudo para evitar que os negócios se tornem ainda mais complexos.

Nesta sexta-feira, o empresário do jogador, Giuseppe Dioguardi, informou via Twitter que estará no Rio para tratar de outros negócios. Existe a expectativa de que um encontro com dirigentes do Flamengo ocorra.            

veja também