MENU

Palmeirenses negam dependência excessiva de Marcos Assunção

Palmeirenses negam dependência excessiva de Marcos Assunção

Atualizado: Quarta-feira, 20 Outubro de 2010 as 6:45

Marcos Assunção tem sido decisivo para o Palmeiras neste segundo semestre. Tanto que recebeu atenção especial do técnico Luiz Felipe Scolari no treino desta terça-feira, último antes do duelo contra o Universitario de Sucre, pela Copa Sul-Americana, nesta quarta. Especialista nas cobranças de falta, ele já até avisou que o time precisa depender menos dele. No entanto, o elenco discorda que tenha em Assunção a única arma para o Verdão vencer as partidas.

Dos oito gols do volante com a camisa alviverde, sete foram de falta - o último deles no empate por 1 a 1 com o Ceará, domingo passado, pelo Brasileirão. Mesmo assim, o zagueiro Fabrício crê que o time tem apresentado outras opções de gol e dá como exemplo o próprio jogo contra os cearenses.

- Não tem dependência dele. Contra o Ceará tivemos outras três chances e não conseguimos marcar, com Lincoln, Rivaldo e Márcio Araújo. Nosso time tem criado bastante, com o Valdivia, o Kleber e o próprio Assunção. Só não estamos conseguindo concluir em gol - ressaltou Fabrício.

Não tem dependência dele (Assunção). Nosso time tem criado bastante, só não estamos conseguindo concluir em gol" Fabrício Mas para o Verdão ter faltas a seu favor, alguém tem de sofrê-las. O time é o sexto que mais apanha no Campeonato Brasileiro, com 17,3 infrações por jogo. O atacante Kleber é o segundo que mais apanha em toda a competição, com 104 faltas já sofridas no total - apenas Neymar levou mais pancadas. Por conta disso, o meio-campista Tinga valoriza o trabalho de criação do Palmeiras, que confunde a marcação rival e provoca as infrações que favorecem Assunção.

- Contra o Ceará, criamos muito e não demos espaços. Mas o Assunção só está fazendo os gols porque também estamos sofrendo as faltas, criando jogadas, indo para cima. Ficamos felizes por ter um jogador como ele no nosso time, por isso, quanto mais faltas a gente sofrer, melhor - admitiu Tinga.

Apesar de refutarem a dependência excessiva de Marcos Assunção, Tinga e Fabrício admitem que aprendem muito observando os treinos específicos do experiente volante. Principalmente o zagueiro, que tem o costume de praticar as cobranças de longe.

- Já tive a oportunidade de treinar com ele. Então pego o máximo que posso colher, como posicionamento, jeito de bater na bola... Quero sugar bastante dessa técnica dele para poder aprimorar a minha - disse Fabrício.

Nesta quarta, o Verdão enfrenta o Universitario às 22h (de Brasília), na Arena Barueri. O time só precisa de um empate para avançar às quartas-de-final da Sul-Americana.

Por Diego Ribeiro e Julyana Travaglia São Paulo

veja também