MENU

Para dirigente do Palmeiras, alvoroço prejudica negociação por Ronaldinho

Para dirigente do Palmeiras, alvoroço prejudica negociação por Ronaldinho

Atualizado: Terça-feira, 14 Dezembro de 2010 as 1:36

Sem nenhuma contratação anunciada, o Palmeiras ainda sonha em dar ao menos um presente de Natal ao torcedor em 2010. O diretor de futebol Wlademir Pescarmona voltou a comentar o assunto Ronaldinho Gaúcho, que defende o Milan e faz parte dos sonhos dos alviverdes. Para o cartola, o alvoroço criado pela imprensa no assunto atrasou as negociações pelo meia.   - Havíamos acordado semana passada que teríamos uma conversa com o Assis (empresário do jogador) para saber o que o Ronaldinho queria, um papo completamente inicial, não se chegou falar em números, absolutamente nada. Seria uma conversa informal para saber se havia interesse. Por causa das notícias que saíram, acabamos abortando essa conversa. Por justiça com o próprio jogador e com o Milan. Criou-se um alvoroço muito grande. Não havia ainda afirmativa de que ele queria voltar ou não para o Brasil. Não quero dar a menor perspectiva para o torcedor. Só digo o seguinte: se houver a menor chance de que dê certo, nós vamos para cima – disse, à Rádio Jovem Pan.

Já com relação a Adriano, o empresário do jogador, Gilmar Rinaldi, já deixou claro que o assunto só voltará à pauta depois do Natal, quando o atacante da Roma estiver no Brasil.

- Até que ele venha para o Brasil passar o Natal, não teremos novidades sobre o assunto – disse o empresário.

Ciente da situação, Pescarmona garantiu que irá aguardar a decisão do jogador. O Imperador também é alvo do Corinthians.

- O Adriano já deixou bem claro que no dia 18 ele volta pra cá. Nessa conversa que ele vai ter com o Gilmar e com sua mãe ele vai decidir se fica no Brasil. A partir do momento que ele decidir ficar, aí poderemos iniciar as conversas.

Outros reforços

Além dos nomes em pauta que mais chamam a atenção dos torcedores, Pesarmona também confirmou o interesse e as negociações com outros nomes da lista do técnico Luiz Felipe Scolari.

- Estamos na diretoria até a eleição (na segunda quinzena de janeiro) e vamos trabalhar como se fôssemos continuar. Não podemos parar de contratar. Temos logo o Paulista, depois a Copa do Brasil. Estamos trabalhando violentamente desde a infeliz eliminação da Sul-Americana até agora para montar o time como o Felipe pediu. Não estamos fazendo nada aleatoriamente, sem que haja consulta diária para a comissão técnica sobre os nomes. Prometo esforço, correria, não paramos de conversar, mandar email, ficar no telefone. Independente da diretoria que virá, nos esforçaremos. Pode acontecer de darmos um presente de Natal para o torcedor, vamos ver.

- Interesse nosso no Alex (do Fenerbahçe), é claro que tem. Mas ele tem contrato até maio do ano que vem. Fica dificil assim, o clube que tem que se disponibilizar a cedê-lo. Há vários interesses que você tem que juntar pra seguir com a negociação

O zagueiro Rhodolfo e o volante Chico, do Atlético-PR, o atacante Jobson, do Botafogo e Rafael Moura, do Goiás também constam na lista palmeirense.

- O Chico tem proposta do exterior, mas nos interessa e estamos nos esforçando para trazê-lo. Disputar com times de fora torna tudo muito dificil. Mas a coisa também está andando. O Rhodolfo tem o passe muito caro, a negociação está complicada pelos valores. E ele é visado no exterior também. Sobre o Jobson, também trombamos na questão do dinheiro. A ideia do Botafogo é vendê-lo, e isso fica difícil. Quanto a Rafael Moura, os valores são muito altos para que possamos contratá-lo. O jogador se valoriza de uma hora para a outra e fica dificil chegar nessa posição com esses valores. O próprio Rafael Moura se valorizou muito, ainda contra o Palmeiras.

Quanto a Maikon Leite, que tem contrato com o Santos até junho de 2011, Pescarmona acredita que a negociação já está muito mais avançada e a enxerga como “positiva”.

- O Maikon Leite sempre interessou, a diretoria anterior já tinha vislumbrado a vinda dele. Infelizmente existe uma divergência entre os procuradores e estamos tentando solucionar, já fizemos várias reuniões. Parece que a coisa está começando a clarear, estamos chegando a um resultado positivo. Não quero falar que ele está contratado porque ainda não assinou. Mas comparado a um mês atrás, está muito melhor. Está prevalecendo o bom senso e a coisa está começando a andar – concluiu.    

veja também