MENU

Parreira admite sondagem da seleção chilena e diz que convite 'interessa'

Parreira admite sondagem da seleção chilena e diz que convite 'interessa'

Atualizado: Quarta-feira, 24 Novembro de 2010 as 8:49

O técnico Carlos Alberto Parreira confirmou que recebeu uma sondagem da federação chilena de futebol para assumir o comando da seleção do país. Porém, segundo o brasileiro, nenhuma proposta foi apresentada de forma oficial pelos dirigentes locais. Treinador da África do Sul na Copa do Mundo de 2010, ele admitiu que o convite é interessante.

- Fizeram um contato. O presidente anunciou que eu seria um nome cogitado e ficou de conversar comigo. Uma coisa ficou no ar. Deve partir a iniciativa deles de fazer um contato. Em princípio, a ideia interessa, mas temos que conversar sobre o projeto, que passa pelas eliminatórias e pela Copa do Mundo - afirmou.

Parreira aproveitou para fazer um balanço da temporada e de sua passagem pela seleção da África do Sul. Segundo o treinador, a responsabilidade de dirigir um país em sua própria casa é mais complicado do que em outro local.

- A principal participação da minha carreira em 2010 foi ter dirigido a África do Sul na  Copa do Mundo. Foi a primeira vez na minha carreira que dirigi a seleção dona da casa. A responsabilidade é ainda maior. Você tem envolvimento com todo o país, com todas as camadas sociais, com todo o tipo de mídia. É diferente. Ser técnico fora do seu país é uma coisa. Comandar o time da casa é uma pressão grande. O legado que ficou para o povo foi maravilhoso - disse o treinador.

O treinador, campeão do mundo pela Seleção Brasileira em 1994, afirmou que o caminho do Brasil rumo à Copa de 2014 será tortuoso.

- Será difícil porque nós temos mais responsabilidade do que os outros. Espera-se muito mais do Brasil do que da África do Sul, por exemplo. Os africanos conseguiram entregar uma ótima Copa. Nós precisamos entregar no mesmo nível ou melhor. Todo mundo quer que o Brasil, o melhor futebol do mundo, faça a melhor Copa do Mundo de todos os tempos. Temos que ter em mente esse objetivo - disse o treinador, que preferiu ficar em casa até dezembro antes de retomar a carreira.

Por: Márcio Iannacca

veja também