MENU

Pato lamenta chances perdidas e diz que vai melhorar em próximos jogos

Pato lamenta chances perdidas e diz que vai melhorar em próximos jogos

Atualizado: Segunda-feira, 4 Julho de 2011 as 11:54

Era olhar para o ataque, ver Alexandre Pato e optar pelo lançamento em profundidade. Em quatro oportunidades, os meias da Seleção Brasileira encontraram o atacante entre os zagueiros. Apesar da dificuldade dos lances, o camisa 9 dominou a bola com grande habilidade e criou lances de perigo. Ao todo, o centroavante deu dois chutes a gol, um deles no travessão no empate por 0 a 0 com a Venezuela, na estreia na Copa América, neste domingo, em La Plata.

Apesar de ter passado em branco na estreia do time canarinho, Pato já sabe o que precisa fazer para mudar o panorama da falta de gols. A partir de terça-feira, às 15h30m (de Brasília), em Campana, o jogador vai trabalhar firme para acertar a pontaria e não decepcionar no próximo jogo diante do Paraguai.

- Infelizmente não consegui marcar os gols. Fiz o meu melhor, mas a bola bateu na trave. Vamos trabalhar para que no próximo jogos o gol possa sair. Tentei fazer o meu melhor ali na frente. Corri, escutei o que o Mano disse, o que ele decidiu. Estou contente pela oportunidade que ele me deu – afirmou Pato, que acabou substituído na etapa final para a entrada do meia Lucas, do São Paulo.

Sobre o empate com a Venezuela, Pato afirmou que o Brasil não terá vida fácil no torneio continental. Na opinião do atacante, a equipe precisa trabalhar para corrigir os erros da estreia e conquista o primeiro triunfo na Argentina.

- Não tem nenhuma seleção fácil, são fortes e todas querem ganhar do Brasil. Não conseguimos fazer o que as pessoas esperavam: os gols. Mas vamos trabalhar em cima dos erros que cometemos para que isso não aconteça nos próximos jogos – disse o jogador.

No próximo sábado a Seleção Brasileira enfrenta o Paraguai, às 16h (de Brasília), em Córdoba, pela segunda rodada da Copa América. 

Alexandre Pato luta contra o goleiro Vega e o zagueiro Vizcarrondo (Foto: EFE)            

veja também