MENU

Patricia quer anunciar patrocinadores de 2012 no dia do aniversário

Patricia quer anunciar patrocinadores de 2012 no dia do aniversário

Atualizado: Terça-feira, 23 Agosto de 2011 as 10:10

Fla firmou nova parceria com a TIM nesta segunda:

chip para celular (Foto: Leandra Benjamin)

  Anunciado no último dia 12, o patrocínio da empresa Procter & Gamble, que estampa as marcas Duracell e Gillette na camisa rubro-negra, vai render R$ 5,6 milhões ao Flamengo até o fim do ano. A ideia da presidente Patricia Amorim é estender a parceria para a próxima temporada. Segundo ela, as conversas já começaram. A intenção da mandatária é anunciar a ampliação do vínculo no próximo dia 15 de novembro, data do aniversário de 116 anos do clube.

- A ideia é essa. Quero apresentar o patrocinador do ano que vem no dia do aniversário do Flamengo, de presente para a torcida – disse.

Com o acerto com a P&G, o Flamengo contabiliza R$ 16,6 milhões em patrocínios (já possuía R$ 8 milhões do BMG nas mangas e R$ 2 milhões da TIM no número da camisa).

Dois novos acordos ainda podem ser firmados. Um deles, intermediado pela Traffic, é da empresa Brasil Brokers, do ramo imobiliário, e prevê o pagamento de R$ 2 milhões por quatro meses para estampar a marca no ombro da camisa. Neste caso, a parceira do Rubro-Negro na contratação de Ronaldinho Gaúcho não receberia comissão de agência. Em breve deve entrar na pauta de votação do Conselho Deliberativo.

- Por mim, a camisa não teria patrocínio algum, mas não dá para ser assim. Com a dívida que os clubes têm, é complicado. Não é uma decisão minha – comentou a presidente, que sempre foi contra a ideia de “fatiar” o uniforme.

O outro contrato envolve o acordo judicial com a Cosan Combustíveis e Lubrificantes S.A. (Esso Brasileira de Petróleo Ltda). Costurado no fim do ano passado por Arthur Rocha, colaborador da gestão de Patricia Amorim e ex-vice geral do clube, ele prevê o encerramento da ação que arrasta-se por quase 16 anos mediante o recebimento de cerca de R$ 7,7 milhões. A Cosan acenou ainda com o pagamento de mais R$ 2,8 milhões para estampar a marca Mobil do lado esquerdo da barra do calção e na meia, num total de R$ 10,5 milhões por um ano.

O Conselho Fiscal, no entanto, faz questionamentos sobre esta segunda proposta. Primeiro porque a Cosan protelou o cumprimento do acordo. A forma de pagamento é outro ponto de interrogação.

- O da Cosan envolve esse acordo antigo, talvez demore um pouquinho.          

veja também