MENU

Peixe admite não saber se decisão de demitir Adilson foi a melhor possível

Peixe admite não saber se decisão de demitir Adilson foi a melhor possível

Atualizado: Segunda-feira, 28 Fevereiro de 2011 as 4:05

O diretor de futebol do Santos, Pedro Luiz Nunes Conceição, admite que não ter certeza se a decisão de demitir Adilson Batista foi a melhor possível. Afirma que, na reunião ocorrida no último domingo, que decidiu a saída do técnico, não houve unanimidade, mas acabou prevalecendo a opinião da maioria.

- Não temos certeza se tomamos a melhor decisão. O tempo será o senhor da verdade. O que eu tenho certeza é que foi a melhor decisão para este momento - afirmou o dirigente, em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, no CT Rei Pelé.

Ao explicar os motivos que levaram a diretoria a demitir o técnico, Pedro Luiz Conceição adotou um discurso contraditório. Primeiro, garantiu que a pressão da torcida não pesou. Desde a derrota para o Corinthians, domingo retrasado, o treinador é hostilizado por torcedores. Depois, admitiu o peso que a opinião das arquibancadas teve.

- Decidimos preservar o Adilson, porque o torcedor é muito mal educado. A reação (da torcida) no sábado foi constrangedora. Por isso, julgamos melhor optar pela saída do técnico - disse, referindo-se aos xingamentos durante jogo contra o São Bernardo, na Vila Belmiro. O jogo terminou 1 a 1 e Adilson foi bastante hostilizado.

Pedro Luiz garante que não está arrependido que ter contratado Adilson Batista em dezembro do ano passado, embora reconheça que o trabalho do treinador não correu do jeito que a diretoria imaginava. Afirma que, nas circunstâncias do momento, Adilson era a melhor opção: tratava-se de um técnico disponível no mercado, com bom histórico em Taça Libertadores e que havia montado um time leve, rápido, com vocação ofensiva no Cruzeiro, entre 2008 e 2010.

- O currículo e o histórico dele em outros clubes já nos sinalizavam que o Adilson tinha o DNA do Santos, pois o Cruzeiro, nos últimos anos, foi um time alegre e ofensivo. Foi isso o que pautou a nossa decisão naquele momento. Acontece que, ultimamente, o time não vinha se apresentando muito bem.

O Santos irá pagar cerca de R$ 1 milhão de multa a Adilson pela quebra do contrato.    

veja também