MENU

Peixe apresenta melhora de desempenho mesmo sem muitas mudanças

Peixe apresenta melhora de desempenho mesmo sem muitas mudanças

Atualizado: Sexta-feira, 12 Fevereiro de 2010 as 12

Dos 11 jogadores santistas que iniciaram o clássico contra o São Paulo, domingo passado, na Arena Barueri (o Peixe venceu por 2 a 1), sete já estavam na Vila Belmiro em 2009: Felipe, Edu Dracena, Léo, Rodrigo Mancha, Paulo Henrique Ganso, Neymar e André. Todos fizeram parte da péssima campanha da equipe no Brasileirão, quando o time só conseguiu escapar do rebaixamento nas últimas rodadas.

Neste ano, porém, com a mesma base, o time começou muito bem. Lidera o Paulistão com 16 pontos, tem o melhor ataque (17 gols em sete jogos), a segunda melhor defesa (cinco gols sofridos) e o artilheiro: Neymar, com sete gols. Para o meia Paulo Henrique Ganso, a mudança está acontecendo por causa do amadurecimento dos jogadores mais jovens.

De fato, em 2009, Neymar e Ganso eram promessas. O atacante, por exemplo, não conseguia convencer o Vanderlei Luxemburgo, técnico santista na segunda metade do Brasileirão. Luxa, hoje no Atlético-MG, considerava o garoto muito franzino, despreparado. Por isso, o deixava no banco. Preferia escalar Robson e Jean. Ganso já era titular, mas sentia a falta de atacantes mais rápidos para poder armar as jogadas.

- Houve um amadurecimento. Acho que estamos nos encaixando numa formação tática melhor, mais eficiente e os resultados estão vindo - afirma o meia.

Dorival Júnior chegou no fim do ano passado para substituir Luxa avisando que armaria o seu time apostando na dupla de garotos. Para isso, procurou ajeitar a defesa, recuperando Edu Dracena e contratando Durval. Plantou o volante Rodrigo Mancha para proteger os zagueiros.

- O suporte que estamos conseguindo dar lá atrás dá muita confiança para os atacantes. Eles têm tranquilidade para sempre buscar o gol e serem ousados - afirma Durval.

Por: Adílson Barros

veja também