MENU

Peixe vai comprar a porcentagem de Danilo que pertence ao Grupo DIS

Peixe vai comprar a porcentagem de Danilo que pertence ao Grupo DIS

Atualizado: Sexta-feira, 24 Junho de 2011 as 10:08

Danilo fez um dos gols do Santos sobre o Peñarol

(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

  Um dos primeiros reforços do Santos após o título da Libertadores já está no elenco: o lateral/volante Danilo. Diante do assédio de clubes europeus ao jogador, o presidente do Peixe, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, diz que fará valer a cláusula que lhe dá preferência de compra dos direitos econômicos que pertencem ao Grupo DIS, garantindo assim a permanência do autor de um dos gols da vitória por 2 a 1 sobre o Peñarol, quarta-feira, no Pacaembu, resultado que garantiu ao Peixe o tri da Libertadores.

Contratado do América-MG em julho de 2010, o jogador de 19 anos assinou com o Santos até junho de 2014, mas o clube paulista detém apenas 37,5% dos direitos econômicos dele. O Grupo DIS tem o mesmo quinhão. O América-MG manteve 25%.     - No contrato do Danilo, há a cláusula que diz que se aparecer uma proposta do exterior, o Santos tem a opção de cobrir. E nós vamos fazer valer esse direito – disse Luis Alvaro.

O presidente não abre valores, mas explica que será feita, pelo menos a princípio, a compra apenas da parte que pertence ao DIS.

- Mas se precisarmos pagar o América para ficar 100%, vamos estudar – emendou.

Se um fica, outro sai...

Danilo defenderá o Brasil no Mundial Sub-20 que será disputado na Colômbia entre 29 de julho e a 20 de agosto. Outro santista que fará parte do grupo é o meia Alan Patrick. Este, porém, é a terceira baixa confirmada após o título da Libertadores, depois dos atacantes Maikon Leite e Zé Eduardo, que já haviam assinado pré-contrato com Palmeiras e Genoa, respectivamente. A venda de Alan Patrick para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, será assinada na semana que vem. O negócio gira em torno de € 6 milhões (R$ 13,8 milhões), valor não confirmado pelo presidente santista e que não vai integralmente para o clube. Os direitos de Alan Patrick estão divididos entre o Santos (50%), Grupo DIS (40%) e jogador (10%). O meia já esteve na Ucrânia, há duas semanas, para conhecer a estrutura do Shakhtar e fazer exames médicos .

Alan Patrick no treino do Santos

(Foto: Ricardo Saibun / Site Oficial do Santos)

  - Não assinei nada ainda e nem assinaria antes da final. O Shakthar fez uma proposta que interessou muito ao jogador e os números para o Santos são razoáveis. Conversei com o Alan Patrick e ele disse que esta era a oportunidade da vida dele. O Muricy entende que por esse valor ele pode ser alienado – disse Luis Alvaro.

Alan Patrick, coincidentemente, também é da DIS. Ao vender o meia e comprar da empresa a parte de Danilo, o Santos volta a reduzir a participação desses investidores no clube. A relação é conturbada. Peixe e DIS travam batalha judicial a respeito da venda de parte dos direitos de diversos jogadores (inclusive Ganso), feita pela diretoria anterior, comandada por Marcelo Teixeira. A dificuldade na renovação do contrato de Ganso e os comentários sobre uma suposta negociação.

- Gostaríamos de acertar os ponteiros com a DIS. Tenho esperança de em algum momento os titulares dessa empresa afastem seus executivos que mais querem tumultuar do que resolver. Com o proprietário da empresa (Delcir Sonda), nós temos um bom diálogo – disse Luis Alvaro.

A DIS tem ainda participação em Neymar, mas, ao contrário do que ocorre com Ganso, a empresa não tem a gestão da carreira do atacante, que cabe ao empresário Wagner Ribeiro e ao pai do jogador, Neymar da Silva Santos.        

veja também