MENU

Pelé aposta em sucesso da nova geração santista, mas pede paciência à torcida

Pelé aposta em sucesso da nova geração santista, mas pede paciência à torcida

Atualizado: Quinta-feira, 21 Janeiro de 2010 as 12

O Santos inicia 2010 apostando em sua tradição de formar jovens jogadores. Neste início de Paulistão, o time conta com um quarteto ofensivo formado por Wesley, Paulo Henrique Ganso, Neymar e André, todos oriundos das categorias de base. Para o Rei Pelé, este é o caminho certo a ser percorrido. O Atleta do Século, que um dia foi um menino da Vila (ele chegou ao Santos com 15 anos, em 1956), diz que a nova geração, se bem trabalhada, poderá dar muitas alegrias à torcida, como aconteceu em 2002, com Robinho, Diego e companhia.

No entanto, o eterno ídolo pede paciência. Pelé diz que nenhum jogador nasce craque e, embora os garotos da nova geração tenham muito potencial, é preciso trabalho duro e uma equipe equilibrada para que eles possam brilhar.

- A diretoria está trabalhando seriamente e apostando nos jovens. O craque não nasce feito, ele vem com uma equipe bem trabalhada, como tivemos (na época de) na época de Robinho, Diego e Elano. Dá para formar de novo isso, mas é preciso ter paciência - afirmou o Rei, em entrevista à rádio oficial do Santos. Ele esteve no Memorial das Conquistas do clube, na Vila Belmiro, nesta quinta-feira, para gravar um vídeo institucional para a Prefeitura de Santos.

Giovanni

Pelé falou também do retorno de Giovanni. O mais ilustre dos santistas faz coro com a torcida e comemora a volta do jogador que se transformou em ídolo nos anos 90. O Rei diz que, assim como todos os alvinegros, também é fã do meia. No entanto, lembra que ele já tem 37 anos e não é mais aquele jogador que brilhou em 1995 e 1996.

Para Pelé, Giovanni tem de ser homenageado pelo clube e pela torcida. O Rei considera que o "Messias", como G10 é chamado pela torcida, é muito importante para a história recente do clube, mas não pode ser mais visto como a solução de todos os problemas.

- Temos com o Giovanni um sentimento de muita gratidão, por tudo o que ele fez. Agora, é claro que não podemos esperar que chegue e corra como uma criança. Temos de pensar nele nos grandes jogos. O Giovanni é muito técnico, e o futebol hoje é de muito combate. Não podemos esperar que seja o salvador da pátria.

Dorival

O Rei aproveitou para pedir à diretoria que tente mudar uma prática que se tornou corriqueira no clube nos últimos dois anos. Entre 2008 e 2009, o Peixe teve cinco técnicos diferentes (Emerson Leão, Cuca, Márcio Fernandes, Vagner Mancini e Vanderlei Luxemburgo). Pelé lembrou que, quando Mancini foi demitido, em julho do ano passado, ele foi contra.

- Eu fui um dos que mais lutaram para que o Santos conseguisse continuar com a mesma equipe, que tivesse mantido o Mancini no ano passado. O Dorival, todos sabem, é um treinador sério, já mostrou que tem capacidade. Nós, que amamos o Santos, estamos torcendo para que tudo dê certo - disse.

Recado à torcida

Por fim, Pelé mandou um recado para os torcedores do Santos. Ele disse que o time está em formação. Houve, na virada do ano, uma ampla reformulação em todo o clube. Por isso, pede que os alvinegros tenham paciência.

- Temos de apoiar o time em qualquer situação. Sendo campeão ou terminando em último lugar. Se é santista de coração, tem de apoiar. Eu vou estar ao lado do Santos até a minha morte, esteja o time onde estiver. Então, quero que o torcedor entenda o momento e seja paciente.

veja também