MENU

Pelé sofre como torcedor, vibra após a conquista e abraça Muricy

Pelé sofre como torcedor, vibra após a conquista e abraça Muricy

Atualizado: Quinta-feira, 23 Junho de 2011 as 8:17

                                    Em 1962 e 1963, ele só não fez chover dentro de campo e levou o Santos ao bicampeonato da Taça Libertadores da América. Quarenta e oito anos depois, o coração do Rei Pelé voltou a bater mais forte. Desta vez, do lado de fora dos gramados. Como torcedor, Edson Arantes do Nascimento sofreu durante os 90 minutos, viu a dupla Neymar e Ganso brilhar mais uma vez e, assim que o argentino Sergio Pezzotta terminou a partida contra o Peñarol, o rei do futebol entrou no gramado para comemorar mais uma noite gloriosa na história do Santos.

Primeiro fez questão de abraçar o técnico Muricy Ramalho. De mãos dadas com o comandante santista, desfilou pelo gramado. Depois, cumprimentou vários jogadores. Emocionado, o maior jogador de todos os tempos conversou rapidamente com os jornalistas antes de subir para o palco para participar da premiação. E revelou que sofreu muito mais como torcedor do que na época de jogador.     Pelé comemora o título do Santos no estádio do Pacaembu (Foto: Marcos Riboli / Globoesporte.com)

- É um prêmio muito grande para toda essa garotada. É uma coisa maravilhosa. Sou um cara emotivo. O homem de Três Corações (referindo-se a cidade em que nasceu) quase teve o coração saindo pela boca. Como torcedor é fogo, olha só como eu estou – afirmou Pelé, com os olhos cheios de lágrimas.            

veja também