MENU

Pelo xeque-mate, Inter une Oscar, D'Alessandro e Damião

Pelo xeque-mate, Inter une Oscar, D'Alessandro e Damião

Atualizado: Quarta-feira, 30 Março de 2011 as 10:52

O futebol, para Celso Roth, tem semelhanças com um jogo de xadrez. As peças distribuídas pelo tabuleiro têm capacidades diferentes, fazem movimentos específicos, e é a união delas que faz a força. Ele entende que o mesmo acontece em um campo de futebol. Equilibrar as particularidades de cada atleta é o grande lance. E o chefão do time colorado não tem do que reclamar.

Nesta quarta-feira, contra o Jorge Wilstermann, no Beira-Rio, pela Libertadores, ele terá, pela primeira vez, a união de três peças que estão muito mais para rei do que para peão. Oscar, D’Alessandro e Leandro Damião irão juntos a campo.

Será a junção dos dois maiores destaques do time vermelho em 2011 com o principal jogador do clube. D’Alessandro ficou mais de um mês afastado do time por causa de lesão na sola do pé direito. Acabou substituído por Oscar, um dos responsáveis pela enxurrada de gols de Damião. O resultado é que o meia de 19 anos, mesmo com o retorno do argentino, segue no time.

A presença do trio deixa o técnico confiante. Roth vê neles qualidades fortes. E o mais importante: diferentes de um para o outro. - É a primeira vez em que eles jogarão juntos, mas já trabalham há um bom tempo. Nós ganhamos qualidade, velocidade e presença de área com o Damião. Dentro daquela conversa que temos, o futebol é um jogo de xadrez, em que um completa o outro. O Damião se impõe fisicamente e tem presença de área. O Oscar tem qualidade técnica, chute de longa e média distância e velocidade nos movimentos. O D’Alessandro é altamente técnico, tem experiência. Eles se completam – disse o treinador.

Os próprios jogadores parecem ver com entusiasmo a parceria. Oscar e Damião se entendem muito bem. E a presença de D’Alessandro é, pelo menos na teoria, uma boa para os dois.

- Quando eu toco no D’Alessandro, já passo para receber. Se não recebo, é porque ele fez alguma outra boa jogada. Ele é ídolo aqui do Inter. É o 10 do time. A volta dele vai nos ajudar bastante. Se eu jogar ao lado dele, vou procurar ajudá-lo bastante. Eu preciso da ajuda dele, e ele também vai precisar da minha. Com a gente se entrosando, pegando uma sequência, tudo pode sair muito bem – comentou Oscar.

Ao trio, se juntam figuras como o meia-atacante Zé Roberto, o volante Guiñazu e o lateral Kleber, todos com boa chegada na frente. Aí está a teia de opções de Roth para o jogo desta noite. A escalação está definida: Lauro, Nei, Bolívar, Índio e Kleber; Wilson Matias, Guiñazu, Oscar, D’Alessandro e Zé Roberto; Leandro Damião.      

veja também