MENU

Perto da despedida, Enderson diz: "Não me arrependo de nada"

Perto da despedida, Enderson diz: "Não me arrependo de nada"

Atualizado: Sábado, 28 Maio de 2011 as 8:54

Enderson Moreira assumiu o Fluminense em uma situação delicada. No meio de março, ele ganhou a missão de substituir Muricy Ramalho enquanto Abel Braga não chegava dos Emirados Árabes. Mesmo desconhecido, o interino conseguiu bons resultados no comando da equipe, como as vitórias sobre América-MEX e Argentinos Juniors, antes das eliminações no Carioca e na Libertadores. No próximo domingo, contra o Atlético-GO, às 18h30 (de Brasília), no Serra Dourada, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, o treinador fará provavelmente a sua última partida à frente do Tricolor. E diz não se arrepender de nada que fez até aqui.

- A gente amadurece a cada dia e aprende sempre. Vivo do presente, não lambo as feridas do passado. O que conta é o presente e o que posso fazer para intervir. Não me arrependo de nada. Em algumas situações temos de tomar decisões.

Sempre tive o intuito de fazer o melhor para o Fluminense. Sei que sou um ser humano, mas fiz o meu melhor - disse Enderson

No dia 1º de junho, Leomir, ex-jogador do Fluminense e atualmente auxiliar técnico de Abel Braga no Al Jazira, dos Emirados Árabes, desembarcará no Brasil para dar início ao trabalho do futuro técnico. No período em que Enderson teve as rédeas da equipe, o Tricolor viveu de altos e baixos. Capaz de conseguir uma classificação épica em Buenos Aires vencendo o Argentinos Juniors por dois gols de diferença fora de casa e ao mesmo tempo de uma atuação apática em Assunção, que resultou na derrota por 3 a 0 para o Libertad-PAR e na eliminação da Libertadores. Em onze partidas até agora, Enderson alcançou um aproveitamento de 60,7% dos pontos conquistados, com seis vitórias, dois empates e três derrotas. Desempenho suficiente para dar ao treinador a sensação de que o trabalho foi bem feito.

- O sentimento quando o Abel chegar é de trabalho bem feito. A minha sensação é de buscar sempre fazer o melhor. Tenho a cabeça no lugar e durmo extremamente bem. Nem sempre o resultado do jogo é apenas culpa do treinador. O técnico tem de tomar decisões. Quando elas dão resultado, é porque foram bem feitas - resumiu.

Na terceira rodada, contra o Cruzeiro, com Leomir já no Brasil, Enderson ainda não sabe se ficará no banco de reservas. Mas garante não se incomodar com isso:

- Leomir vem para iniciar o processo de transição. Não existe vaidade. Sou tranquilo quanto a isso. Vamos ver como o Abel espera que seja feito esse processo.   FOnte: Globo Esporte

veja também