MENU

Perto do clássico, Thiago Silva prevê torcedores na bronca com Leonardo

Perto do clássico, Thiago Silva prevê torcedores na bronca com Leonardo

Atualizado: Sexta-feira, 1 Abril de 2011 as 1:53

Thiago Silva fez de um adjetivo pejorativo uma qualidade. O “Monstro” que chegou ao Fluminense desconhecido e com uma passagem fracassada pela Europa no currículo se transformou em meia década. Presença certa em qualquer lista dos maiores ídolos recentes do Tricolor, o zagueiro se firmou na Seleção Brasileira e agora é peça importante do Milan que almeja acabar com uma sequência de cinco títulos do maior rival no Campeonato Italiano. No caminho está justamente Leonardo, responsável por levá-lo ao rossonero e agora no comando do Inter  de Milão no clássico deste sábado, que vale a liderança.

 

Já em seu terceiro ano de Itália, o defensor conhece a torcida o suficiente para saber que os 13 anos de Leonardo no Milan serão substituídos por 90 minutos de “muitas cobranças e xingamentos” no San Siro, a partir das 15h45 (de Brasília), pela 31ª rodada da competição. Mas, embora esteja do lado de lá, ele exaltou a decisão tomada pelo treinador em janeiro ao receber o convite do time nerazzurro.

– Fui muito a favor dele ir para o Inter de Milão. Simplesmente não há motivos para ficar sem trabalho se há uma oportunidade única na vida como essa – disse Thiago Silva, em entrevista exclusiva ao GLOBOESPORTE.COM, por telefone.

A boa fase na Itália tem rendido muitos elogios, principalmente de Ronaldo Fenômeno e do vice-presidente Adriano Galliani , e comparações até com Paolo Maldini, lenda viva da defesa do  Milan. Porém, Thiago prefere não se envolver nisso:

– Não sei se seria ético falar de mim – afirmou.

Confira a entrevista completa abaixo em tópicos:

Propostas do Manchester United e Real Madrid

Até a mim não chegou nada, não estou sabendo de nada, fico sabendo mesmo através do globoesporte.com. A gente entra, acompanha, mas de concreto, por enquanto não chegou nada, estou muito bem no Milan e bastante contente. No sábado temos um jogo muito importante, então estou concentrado nesse jogo, nesse campeonato, para depois pensar em outras coisas. Não adianta pensar lá na frente se, no momento, não podemos fazer nada nem definir nada.

Reação contra Leonardo

Em relação a ele eu não tenho nada contra, sou muito a favor do que ele fez, até porque se você está começando uma carreira como treinador e o seu primeiro time é o Milan e o segundo é o Inter não tem currículo melhor possível. Fui muito a favor da decisão dele e fiquei bastante feliz com a ida dele para lá. Não foi da parte dele pedir demissão, acabaram acontecendo algumas coisas internas que não da forma que ele gostaria. E um ano depois ele foi convidado pelo time rival. Simplesmente não há motivos para ficar sem trabalho se há uma oportunidade única na vida como essa.   Fico feliz por ele, mas pode ter certeza que no sábado dentro de campo as coisas vão ser muito diferentes. Ele fez muita coisa pelo Milan, mas pode ter certeza que as cobranças e até xingamentos vão existir e serão muito grandes por ele ter ido ao rival. Mas sei que estará tranquilo, sem procurar responder, até porque ele deve muito ao Milan e o Milan muito a ele.   Elogios de Ronaldo Fico bastante feliz por se tratar do Fenômeno. Não é qualquer um jogador, Fenômeno é Fenômeno e não vai ter outro igual, pode ter certeza. Pode ter parecido, mas igual não. E quando você é elogiado por ele, um mito, um cara que deu tudo para o futebol brasileiro e mundial, já deve se sentir lisonejado. Esse com certeza é um dos melhores anos da minha carreira, estou numa fase muito boa e sempre recebendo elogios. Mas pode também ter certeza que a cobrança vem muito forte.

Novo Maldini?

Eu acho muito mais complicado. Fico feliz de estar em um grande clube, que tem como um dos maiores ídolos o Maldini. Não é fácil substituir um jogador de qualidade, ainda mais o Maldini que só jogou no Milan e é um mito aqui. Todo mundo ama ele, é incrível. Eu sei dessa dificuldade, quando saí do Fluminense teve algo meio parecido, e olha que eu só joguei três anos no Fluminense, fiz 145 jogos.

E logo após a minha saída um grande amigo, que é o Edcarlos, me substituiu. Para ele foi muito complicado a cobrança, eu já tinha deixado o clube e ele começou a jogar como titular e às vezes não ia muito bem. Naquela fase foi muito complicado, mas ele está vivendo um grande momento no Cruzeiro, falo com ele quase todos os dias e é grande pessoa também. Substituir o Maldini é um privilegio, espero que possa fazer a metade de tudo o que ele fez no clube. Vou estar realizado se isso acontecer.

Evolução do seu futebol

Acredito que meu jogo tenha melhorado bastante nesses dois anos de Europa. Você não é 100% perfeito, e também não é 100% de erro, tem uma porcentagem mais ou menos parecida. Não gosto de falar de mim, procuro deixar as pessoas falarem. Não sei se seria ético, deixo que analisem e falem por elas. Prefiro falar das pessoas que jogam comigo porque sem elas eu não teria esse carinho grande da torcida do Fluminense e do Milan.   Muitos falam que eu ajudei muito o Luiz Alberto e outros falam que ele muito me ajudou. Pode ter certeza que ele me ajudou muito mais com sua experiência. A qualidade vem com você, mas tem que aperfeiçoar muitas coisas. Na minha chegada ao Milan outro que me ajudou muito foi o Nesta. É um privilegio muito grande fazer parte dessa defesa do Milan com pessoas que ganharam tudo. São sete títulos da Champions, Mundial, Copa Uefa, Campeonatos Italianos... fazer parte dessa família é de um prazer muito grande. Acho que, resumindo, melhorei ainda mais o meu desarme e um pouco da bola aérea, até porque cada vez mais jogamos com cruzamentos aqui. É uma bola sempre difícil e pode decidir um jogo.   Último ano de parceria com Nesta? Espero que não, mas a gente sabe que um jogador quando passa dos 33, 34 anos, vai ficando difícil, ainda mais porque ele teve várias cirurgias. Isso torna muito mais complicado, mas ele tem totais condições de jogar ao menos mais um ano. Quando começamos a parceria ele falou “que o Thiago Silva iria alongar a minha carreira”. Se ele jogar pode ter a certeza que isso vai acontecer, é um cara de grupo e trata todos da mesma maneira. E grande jogador a gente sempre quer ao seu lado. Gostaria muito de ver ele renovando por mais um ano.

Experiência como volante

Acho que é melhor deixar como está. Joguei ali para ajudar, não tínhamos jogador para jogar naquela função, e como já joguei nessa função de volante, procurei ajudar o time de alguma forma. Se na Seleção eu tiver que jogar de volante é porque alguma coisa estará errada (risos). Lá não tem jogador fora de posição, e a gente se sente muito tranquilo quanto a isso. O Mano sabe que eu joguei não por minha opção, mas pela vontade do treinador (Allegri). Na época até alguns repórteres me perguntaram se o Mano tinha ligado e pedido para jogar ali, falei apenas que estava ajudando o Milan, que tinha suspensos e machucados. Mas, é claro, se por algum motivo precisar de mim ali eu estarei à disposição.   Clima de decisão em Milão

Estou sentindo um clima muito favorável. Claro que é um derby, e não vai decidir um campeonato tanto com derrota, empate ou vitória, mas estou bastante tranquilo. Nos últimos jogos não fizemos grandes atuações, empatamos com o último colocado em casa (Bari) e fora de casa perdemos para o Palermo. Ou seja, de seis pontos ganhamos apenas um. Enquanto isso, o Inter está numa ascensão muito grande, com a confiança muito mais alta... Mas a gente sabe que clássico é clássico, não é? Todas as vezes que joguei contra Vasco, Flamengo e Botafogo e estávamos numa situação melhor tínhamos muita dificuldade. Eles correm o dobro. E pode ter certeza que isso não vai faltar para o Milan.

Presença de Mano Menezes no San Siro Ele chegou a brincar comigo e com o Julio César em um treinamento da Seleção falando que iria ver o jogo. Perguntou quem iria pipocar. A gente deu risada no momento, e ele falou que iria ver a partida no San Siro. Você tem que procurar estar mais tranqüilo, pois esses jogos decidem no nervosismo da equipe adversária. Se não está concentrado o suficiente, por mais um segundo que seja, toma um gol.

Particularmente em jogos decisivos eu tenho um crescimento muito grande, a concentração chega lá no topo. É um jogo que todo mundo está vendo, o país todo parado. Se você acertar não faz mais que sua obrigação, fica até engraçado. Vai ser um grande jogo dentro e fora de campo. Até porque aqui fora a gente não tem muita confusão, é sempre tranquilo. Que vença o melhor e que ele seja o Milan (risos). Vamos fazer de tudo para voltar a vencer a Série A e entrar na Champions embalado, juntamente com, quem sabe, o Ganso aqui (risos).      

veja também