MENU

Peru bate a Venezuela e fica com terceiro lugar

Peru bate a Venezuela e fica com terceiro lugar

Atualizado: Sábado, 23 Julho de 2011 as 6:52

Em uma partida com poucas emoções, o atacante Paolo Guerrero deu algum charme à decisão do terceiro lugar ao marcar dois gols nos acréscimos e virar o principal artilheiro da 43ª edição da Copa América. Naquela altura, o Peru já batia a Venezuela e a vitória se transformou em uma goleada por 4 a 1, neste sábado, no Estádio Ciudad Único de La Plata, na Argentina.

Guerrero, que foi eleito o melhor jogador em campo pela Conmebol, fechou a partida com três gols - ele já havia feito um no início do segundo tempo - e chegou aos cinco na Copa América. Ele pode se tornar o terceiro jogador peruano a ser artilheiro de um edição de Copa América: Theodoro Fernandez (sete gols em 1939) e Malásquez (três gols em 1983). Agora, Guerrero só é ameaçado pelo uruguaio Suárez, que está com três. Chiroque também marcou para o Peru. E Arango descontou para o Vinotinto.

Apesar da derrota, a Venezuela sai da Copa América fortalecida após fazer sua melhor campanha na história da competição. Empatou com o Brasil, duas vezes com o Paraguai e ainda venceu o Chile e o Equador, mostrando uma grande evolução. A Venezuela é a única seleção sul-americana que nunca disputou uma Copa do Mundo.

Neste domingo, Uruguai e Paraguai decidem o título às 16h (de Brasília), no estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires.   Mesmo com três zagueiros e dois volantes, Peru tinha problemas para marcar o ataque venezuelano. Maldonado incomodava, principalmente quando caia pelo setor direito. Os peruanos só levavam perigo ao gol de Vega nas jogadas de bola parada. Mas as duas seleções falhavam no último toque e não conseguiam finalizar.

Na única jogada empolgante, o goleiro Vega deu um chutão para frente e a bola sobrou para Fedor. Ele girou na área em cima de Ramos e finalizou. Valverde espalmou para escanteio e evitou o gol venezuelano. Fora isso, apenas muitos passes errados, faltas e chutes sem direção.

O chato primeiro tempo já chegava ao final quando Chiroque puxou um rápido contra-ataque e tocou para Paolo Guerreiro na área. O atacante pedalou em cima de Vizcarrondo, mas errou o chute cruzado. A bola saiu torta e fraca, porém deu tempo de Chiroque aparecer por trás da defesa e tocar para o gol. Peru 1 a 0 Veio o segundo tempo e uma enorme bandeira peruana surgiu na arquibancada. Mas foi a Venezuela quem voltou bem melhor. E pressionou nos primeiros minutos. Foram duas boas chances. Na primeira, o goleiro Valverde defendeu o chute de Maldonado. Na segunda, Fedor se livrou da marcação na área e bateu rasteiro para fora.

Mas a recuperação venezuelana se complicou quando o volante Rincón foi expulso aos 13 minutos por falta violenta em Lobatón, que saiu da partida machucado. Foi o segundo cartão vermelho do jogador nesta Copa América. Ele já havia ido mais cedo para o chuveiro nas quartas de final contra o Chile. Com um jogador a menos, o Vinotinto não suportou por muito tempo. Cinco minutos depois, Guerrero recebeu na área, teve todo o tempo do mundo para dominar a bola e soltar a bomba para fazer o segundo gol peruano.

Aos 33 minutos, Arango diminuiu em uma bobeira da defesa do Peru. O atacante surgiu pela direita após ótimo passe de Orozco e chutou forte, no canto direito de Valverde. O jogo voltou a ganhar um pouco de emoção. Acreditando no empate, a Venezuela se lançou para o ataque. Mas sem organização. O que foi fatal. Aos 45, Guerrero driblou o zagueiro Vizcarrondo, entrou na área e chutou cruzado: 3 a 1. E dois minutos depois, o atacante peruano novamente aproveitou para fazer o quarto gol com um toque de categoria na saída do goleiro Vega. Virou goleada.

- Jogo na frente e, por isso, estou sempre atrás dos gols. Um jogador na minha posição sempre pensa em artilharia. Lógico que estou feliz com os gols e com a chance de terminar como principal goleador da Copa América - disse Guerrero.  

veja também