MENU

Pinheiros surpreende o Rio de Janeiro, que perde a invencibilidade na Superliga

Pinheiros surpreende o Rio de Janeiro, que perde a invencibilidade na Superliga

Atualizado: Sexta-feira, 5 Fevereiro de 2010 as 12

Único invicto na Superliga Feminina 09/10, até então, o Rio de Janeiro foi surpreendido pelo Pinheiros. Jogando na casa do rival, em partida válida pela 14ª rodada, a equipe carioca chegou a abrir duas parciais de vantagem, mas não segurou a frente e foi derrotada por 3 sets a 2, com parciais de 25/16, 25/22, 16/25, 22/25 e 11/15.

- Só conquistamos o resultado porque fomos uma equipe. O grupo acabou fazendo a diferença - disse Thais, do time paulista, maior pontuadora da partida com 19 acertos.

Do lado do Rio de Janeiro, o consenso entre as jogadoras foi que faltou concentração após o segundo set. De acordo com a capitã Fabiana, o momento é de analisar os erros para que os mesmos sejam reparados já na próxima partida.

- Não podemos vacilar tanto. Tivemos deficiências no saque e na defesa e vamos trabalhar isso. Demos chance para que nosso adversário começasse a acertar. A partir disso, o Pinheiros encaixou seu jogo e não conseguimos mais reagir.

Após o título paulista e com vitórias expressivas na Superliga 09/10, o Pinheiros já poderia ser indicado como favorito ao título. Poderia se não fosse os pés no chão de todos na equipe.

- Nosso time é operário. Nosso propósito é manter a regularidade. Para estarmos entre os melhores, precisamos sempre jogar no nosso limite. Eu sempre digo isso. Os times favoritos são Rio, Osasco e São Caetano. Eles contam com jogadoras mais experientes e têm mais opções de jogo. Nós somos um grupo de trabalhadores que luta por seu lugar. Corremos por fora nesta Superliga e ainda lutamos para nos firmar nas primeiras posições - disse o técnico Paulo Coco.

O sistema defensivo do Rio de Janeiro, junto com a recepção, foram fundamentais na vitória no primeiro set. A equipe carioca chegou à frente no placar nos dois tempos técnicos: 8/7 e 16/13. O ataque do time paulista, por sua vez, encontrou dificuldades para superar o bloqueio adversário. No final do set, o Pinheiros desperdiçou muitas finalizações. E foi assim que o Rio fechou o set inicial: 25/16 após um erro de ataque do atual campeão paulista.

No segundo set, a equipe carioca abriu 6/1 no placar. Com um ataque de Fabiana pelo meio de rede, o Rio chegou ao primeiro tempo técnico: 8/4. O bloqueio bem posicionado do time foi a principal arma mais uma vez e a diferença chegou aos 10 pontos (18/8). Mas o Pinheiros reagiu. A entrada da ponteira Thais e a melhora no saque deixaram o time paulista vivo na parcial. Com um serviço melhor do adversário, o Rio deixou de ter uma de suas maiores forças, as bolas rápidas de primeiro tempo.

Atento à melhora do adversário, o técnico Bernardinho instruiu sua levantadora, Dani Lins, a não forçar jogadas. Ele pediu que ela passasse a usar mais bolas de segurança para garantir a vitória. A diferença chegou aos dois pontos (24/22), mas a equipe carioca acabou fechando o set: 25/22.

O terceiro set foi diferente dos demais. A melhora do Pinheiros na segunda parcial fez com que as duas equipes entrassem mais ligadas em quadra. Novamente com um saque mais forçado, o time paulista quebrava o passe do Rio, que passou a ter mais dificuldade para armar seus ataques. O placar ficou parelho até 11/11, quando o time carioca passou a errar muito em sua recepção e no ataque. Assim, o Pinheiros conseguiu abrir onze pontos consecutivos (22/11), garantindo a vitória no set: 25/16.

Na quarta parcial, o Rio voltou a acertar seu jogo. A recepção do time carioca melhorou e a levantadora Dani Lins voltou a jogar com o passe na mão. Assim, a equipe paulista não conseguia parar as bolas de primeiro tempo do adversário e, no primeiro tempo técnico, o placar já apontava: 8/4. Aproveitando a parada técnica, o treinador do Pinheiros, Paulo Coco, chamou atenção das suas jogadoras para a importância do saque mais forçado, que tiraria um pouco do poder de ataque rival. Assim, o time paulista voltou melhor e conseguiu virar o jogo e abrir vantagem: 13/9.

Foi a vez de Bernardinho pedir tempo e chamar sua equipe de volta para o jogo. E também deu certo. O Rio voltou a receber e atacar bem, encostando no placar: 14/12. O empate aconteceu no 16º ponto, mas a equipe carioca voltou a errar muitos ataques, deixando o Pinheiros com a vitória: 25/22.

No tie break, a tônica dos dois últimos sets continuou. Um Pinheiros impondo seu jogo, enquanto o Rio cometia alguns erros. A equipe paulista abriu 7/1 num ace da ponteiro Fernanda Garay, destaque também no bloqueio. A equipe carioca até conseguiu melhorar seu desempenho, encostou no placar (11/9), mas não conquistou a vitória: 15/11 para o Pinheiros.

veja também