MENU

Platini elogia o Brasil, mas alfineta: -O melhor é que nunca perdi para vocês'

Platini elogia o Brasil, mas alfineta: -O melhor é que nunca perdi para vocês'

Atualizado: Quinta-feira, 24 Junho de 2010 as 2:09

Em entrevista exclusiva à TV Globo, o presidente da Uefa, Michel Platini, relembrou seus tempos de jogador. Carrasco do Brasil nos anos 80, o francês lamentou a situação de seu país na Copa do Mundo, mas preferiu não comentar a atual crise nos bastidores da Federação Francesa de Futebol. O ex-jogador elogiou muito os atletas comandados por Dunga, se mostrou otimista com a Copa de 2014, mas não perdeu a chance de alfinetar. Quando perguntado sobre o que lhe vem à cabeça em relação ao Brasil, Platini não pestanejou:

- Marquei meu último gol pela seleção francesa contra o Brasil. A melhor coisa é que eu nunca perdi para vocês, que sempre se complicam com a França - disse Platini, antes da eliminação precoce de seu país no Mundial.

Confira a entrevista na íntegra:

O que você está achando do nível desta Copa do Mundo? Está gostando do nível das partidas, das equipes? Por que estão acontecendo tão poucos gols?

PLATINI: Vocês olham para trás, para Copas do passado, porque o Brasil é um país que sempre jogou Copas do Mundo. O que eu quero dizer é que é o começo da Copa. No primeiro jogo, ninguém quer perder. No segundo, eles começam a atacar. E, no terceiro, têm que vencer para se classificar. Aconteceu o mesmo há quatro, oito, 12 anos. Toda Copa do mundo é assim, Copa América é assim. Na primeira rodada é sempre... você chega, está um pouco pressionado, tenso, e ninguém quer perder os jogos. A próxima rodada terá mais gols. E certamente mais gols nas próximas fases. Será totalmente diferente quando tiver 16 times, oito times.

Dos times que você viu, qual você mais gosta?

P: Conhecemos os times, vemos os jogos pela TV, conhecemos todo mundo. Não é porque você não joga bem uma partida que não vai jogar bem na final. Tem alguns times que vão até o fim, mas não têm condições de estar bem no início. Claro que eu gosto do estilo da Espanha, Argentina, Brasil, Holanda e Inglaterra. Gosto desses. Mas depois tem que ganhar da gente na final, isso é diferente (brincou Platini, antes de acompanhar a eliminação da França após derrota para África do Sul).

Platini afirma que Luis Fabiano é um belo goleador

E quanto aos jogadores? Quais chamaram sua atenção?

P: São os mesmos. Conhecemos os jogadores, todos eles atuam na Europa e disputam a Liga dos Campeões. Luis Fabiano é um belo goleador. Messi é muito bom, Cristiano Ronaldo é muito bom. Só os norte-coreanos é que não conhecemos tão bem. Os outros jogadores, vamos ver até o fim do torneio. Talvez algum não esteja em boas condições porque jogou o ano inteiro muito forte e agora está cansado.

O que você acha de Dunga como técnico, o estilo dele, do time, você provavelmente conhece. Dunga tem sido muito criticado em nosso país. Qual sua opinião?

P: Isso é problema de vocês, problema do Brasil, e não meu. Não dá para julgar um técnico do Brasil, da Argentina ou da França. Eu fui técnico de um time na França por cinco anos. Você tem que estar dentro. Todo mundo fala mas não sabe o que se passa lá dentro. Você não sabe, eu não sei, é complicado dizer o que se passa no Brasil, não tenho nada a dizer sobre Dunga. Eu o conheci como jogador. Era um bom meio-campo. Isso posso dizer, mas não como técnico. É muito difícil falar.

Mas e o estilo? Você acha que é o mesmo estilo do futebol brasileiro?

P: O estilo mudou. A França de hoje é a mesma de dez anos atrás? Não. Penso que o técnico faz o que pensa que é bom para seu time ganhar a Copa do Mundo. Talvez seja um estilo para ganhar uma Copa. Se ele pensa assim, ele é o técnico, ele vai fazer isso.

E sobre os seus planos na presidência da Uefa ou de ser presidente da Fifa?

P: No momento estou na Uefa. A eleição será em março do ano que vem. Teremos tempo para ver... Mas no momento é só a Uefa.

E Fifa, ainda não? Não passa pela sua cabeça?

P: Já é complicado ter a Uefa na minha cabeça. Vamos ver depois, temos tempo para pensar.

Platini avalia como positiva a organização da Copa

As pessoas comentaram sobre a segurança na Copa do Mundo. Você viu algum problema? O que ouviu a respeito?

P: Eu tenho dois guarda-costas toda hora que saio. Não sei, não estou na mesma situação dos jornalistas e dos fãs, porque estou protegido como outros executivos membros do comitê. Não posso julgar a segurança. Mas, lendo nos jornais, estou vendo coisas boas sobre a África do Sul. Estou muito otimista quanto à maneira como as coisas estão acontecendo. Acho que o governo do país e a Fifa estão trabalhando bem. Não é fácil, mas o fato é que não está ruim.

Sobre a próxima Copa do Mundo, em 2014: acha que o Brasil poderá fazer bonito?

P: Espero que sim. Quando falamos de Brasil, falamos de música, futebol, festa. Eu disse há dois anos que ir para o Brasil, para os fãs de futebol, é o mesmo que, para os cristãos, ir para Roma; para os muçulmanos, ir à Meca; e para os judeus, ir a Jerusalém. Eu espero que vocês estejam prontos, que os estádios estejam bons, porque isso é importante. Eu espero aproveitar o povo brasileiro, isso também é importante para o futebol. Muitas pessoas irão ao Brasil para participar deste evento mundial em 2014

O que vem à sua mente quando falamos sobre o futebol brasileiro? Quais as melhores coisas que já viu?

P: Marquei meu último gol pela seleção contra o Brasil. A melhor coisa é que eu nunca perdi para o Brasil. O Brasil sempre se complica contra a França. Eu disse para o Ricardo (Teixeira) que vocês têm chances, pois não acredito que a França vá passar de fase. Brasil é a história do futebol. É o país do futebol. Os jogadores são maravilhosos. Sempre teve times fantásticos. Tem e teve muito bons jogadores, começando por Pelé, Zico, Cerezo, Falcão. Agora tem o Luis Fabiano e o Lúcio. Uma geração de bons jogadores.

Vocês sempre ganham de nós...

P: Eu não disse que sempre ganhamos de vocês. Eu disse que nunca perdi para vocês.

Tenho certeza de que não gostaria dessa bola. Temos que tomar cuidado para dar um bom

produto. A Fifa tem que tomar cuidado com os estádios, os jogadores, o campo e a bola" Michel Platini E depois de você, Zidane...

P: Vocês sofrem com a França.

Michel Platini ou Zinedine Zidane?

P: Para os meus pais, sou eu. Para os pais do Zidane, ele.

Para terminar, você mencionou a França...

P : Não falo sobre a França com jornalistas franceses, não vou falar sobre ela com um jornalista brasileiro.

Você já experimentou a Jabulani? Chegou a tocá-la?

P: Não, mas tenho certeza de que não gostaria dessa bola. Temos que tomar cuidado para dar um bom produto. A Fifa tem que tomar cuidado com os estádios, os jogadores, o campo e a bola. A bola tem que ajudar os atletas.  Acho que as novas bolas não ajudam os atletas em campo. E na altitude também, porque são 1.700 metros de altitude, e a bola oscila. Você vê os goleiros... A Fifa tem que pensar nessas bolas para as competições maiores     Por Abel Neto Direto de Joanesburgo, África do Sul

veja também