MENU

Polícia quer ouvir amigo de Dudu, que sobreviveu a acidente em SC

Polícia quer ouvir amigo de Dudu, que sobreviveu a acidente em SC

Atualizado: Terça-feira, 21 Junho de 2011 as 12:14

Por G1 Florianópolis, SC

imprimir     A Polícia Civil está tentando localizar o amigo do jogador do Figueirense Eduardo Francisco da Silva Neto, conhecido como Dudu, de 31 anos, que sobreviveu ao acidente na madrugada do último domingo, quando que três pessoas morreram em Florianópolis (SC).

Segundo o delegado Jaime Martins, que investiga o caso, o amigo de Dudu estava no banco do passageiro, na parte da frente do carro, e foi retirado do local com ferimentos leves. Após deixar o hospital, a testemunha desapareceu. - Queremos ouvir o depoimento do amigo dele o quanto antes, hoje ainda ou na próxima semana, assim que o localizarmos. Parece que ele está já no Rio de Janeiro.

O jogador do Figueirense foi indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar) pelo acidente, pois estava dirigindo sem habilitação e com sinais de embriaguez. Martins afirma que Dudu admitiu em depoimento que bebeu, com os amigos, entre 8 e 10 garrafas de cerveja antes da tragédia.     O jogador dirigia o veículo e estava com outros quatro acompanhantes, quando perdeu o controle da direção e bateu contra um poste no km 5,8 da Via Expressa Sul em Florianópolis (SC). Dois rapazes morreram carbonizados no local. Segundo a polícia, um terceiro rapaz foi arremessado para fora do veículo e chegou a ser socorrido, mas não resistiu. Dudu e outro amigo sobreviveram.

DNA

Segundo Martins, os três homens que viajavam no banco traseiro do veículo estavam sem cinto de segurança.

- O que foi jogado para fora do carro, com o impacto, já foi reconhecido. Os outros morreram carbonizados e teremos que fazer exame de DNA para reconhecer os corpos, pois as famílias não localizaram no Rio de Janeiro nenhum dentista que tinha guardado radiografias da arcaria dentária, que poderiam ajudar na identificação.

Investigação

Martins entende que o jogador do Figueirense assumiu o risco de um acidente ocorrer ao dirigir embriagado e sem habilitação.

- Respeito a decisão do meu colega delegado que fez o flagrante e o enquadrou por homicídio culposo, mas acho que houve dolo eventual no caso.

O Ministério Público acompanha a apuração e ainda poderá pedir novas investigações à polícia.

Ainda não foram concluídos os laudos técnicos, que podem apontar se Dudu dirigia em alta velocidade. Apesar de apresentar sinais de embriaguez, o jogador se recusou a fazer o teste do bafômetro ao ser preso e também não realizou exame clínico no IML. Segundo o delegado, a Polícia Rodoviária Federal fez um auto de constatação de embriaguez.

Em nota, a assessoria de imprensa do Figueirense lamentou o ocorrido e diz que o time se solidariza com as famílias das vítimas. O clube também afirmou que está prestando atendimento ao atleta, que foi medicado e liberado do hospital.          

veja também