MENU

Por lugar na 'final', tricolores montam acampamento nas bilheterias do Rio

Por lugar na 'final', tricolores montam acampamento nas bilheterias do Rio

Atualizado: Quarta-feira, 1 Dezembro de 2010 as 8:14

Faltar ao trabalho, perder prova, enfrentar chuva, dormir na rua....Vale tudo para garantir um lugar na partida decisiva do Campeonato Brasileiro, neste domingo, contra o Guarani, às 17h (de Brasília), no Engenhão. Nesta terça-feira, um dia antes do início da venda de ingressos, centenas de tricolores se espalharam pela cidade e formaram longas filas em frente às bilheterias dos tradicionais pontos de venda. A exceção foi São Januário. No estádio vascaíno não havia nem sombra de torcedores do Tricolor.

A diretoria do Fluminense ainda não confirmou os locais da venda de ingressos, nem o valor deles. Mesmo assim, muitos torcedores resolveram se arriscar e já formam verdadeiros acampamentos em alguns lugares. As maiores concentrações ocorrem no Engenhão e nas Laranjeiras. No local da partida, cerca de cem pessoas tentam se organizar à espera da abertura da bilheteria Sul. Os primeiros da fila têm cadeiras de praia e até uma tenda. Na hora do almoço, cada um contribuiu com alguma coisa para não faltar comida e bom humor. É o que eles mesmo chamaram de “união da família tricolor”.

Xará de um dos zagueiros do Fluminense, Euzébio, morador do Engenho de Dentro, chegou às 7h... de segunda-feira. Ele não foi para casa desde então. Entre os primeiros, também há um casal de Nova Iguaçu. Cristiano e Sol deixaram o filho de 10 anos com os tios e foram preparados para o Engenhão. Levaram isopor com alimentos e bebidas para ficar por lá o tempo que for necessário.

Na Arena da Barra, cerca de 50 torcedores já se aglomeravam no início da tarde e se viram como podem para não ficar sem a entrada. O primeiro da fila, que se identificou como Ademir, morador de Vargem Grande, chegou às 6h no local. Ele se dispôs a criar senhas e tentar impor uma ordem entre os torcedores. Elas seriam renovadas ainda nesta terça-feira para evitar que outras pessoas possam se aproveitar da situação.

O segundo da fila era um estudante de apenas 15 anos. Lucas também chegou às 6h e tem prova ainda na noite desta terça. Para não perder o ano, ele será substituído por um tio.

- Faço tudo para ver o Flu campeão. Vou ficar até quando for preciso. Trouxe até bola para jogar - disse o garoto.

Não é só com futebol que os torcedores da Arena da Barra prometem se distrair. Eles já programaram um churrasco com direito a carteado durante a madrugada.

- Ninguém vai dormir - disse um deles.

Houve também quem buscasse abrigo na sede do rival Flamengo. Cerca de dez torcedores se encontravam nas bilheterias da Gávea e por lá vão ficar até conseguirem ingresso. Tinha até gente matando trabalho e que, por isso, não quis aparecer na foto.

A torcedora Camila explicou por que decidiu comprar ingresso justamente na casa de um rival como o Flamengo.

- Infelizmente, na sede do Fluminense é uma bagunça. A diretoria não tem consideração pelo torcedor que vai ao estádio - reclamou.

O grupo literalmente pediu ajuda ao Fla. Solicitou à diretoria rubro-negra que coloque grades no local para evitar que a fila seja furada. E recebeu a promessa de que seria atendidos até a noite.

- Não tem problema vir comprar ingressos aqui porque o Flamengo já não está brigando por nada - explicou o tricolor Fábio.

Perto de São Januário, onde ninguém se arriscou a passar a noite, seis torcedores garantiram os primeiros lugares da fila na sede do São Cristóvão. O local foi estrategicamente escolhido por estar mais vazio que os demais.

As sedes de Laranjeiras, Gávea, São Januário e São Cristóvão, a bilheteria do Engenhão, a Arena da Barra, o centro de Niterói e o Tijuca Tênis Clube devem ser confirmados como pontos de venda ainda nesta terça-feira.

veja também